SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EU ESTUDANTE »

Ocupações impedem 3 mil de fazer o Enem

A tomada de sete instituições da rede pública obriga o Ministério da Educação a adiar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio marcadas para esses locais. Dois câmpus da UnB estão ocupados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/11/2016 16:46 / atualizado em 02/11/2016 17:54

Adriana Bernardes

Breno Fortes

O adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) afetará 3.178 alunos da rede pública do Distrito Federal, de um total de 167.821 inscritos. Eles fariam prova em uma das cinco instituições ocupadas em protesto contra a reforma do ensino médio e a PEC 241, que cria um teto para gastos públicos por 20 anos e pode congelar investimentos em saúde e educação — no total, restam sete centros de ensino tomados pelos estudantes. Esse grupo fará o teste somente em 3 e 4 de dezembro. Os demais participantes serão avaliados normalmente neste fim de semana.

Os mais de 3 mil alunos fariam o Enem no Centro de Ensino Médio de Taguatinga Norte (CEMTN); no Centrão, em Planaltina; nas unidades do Instituto Federal de Brasília (IFB) do Riacho Fundo I e de Samambaia; e no Centro de Ensino Médio 304 (Samambaia) (veja Balanço). Este último acabou desocupado no início da tarde de ontem, apesar de continuar na lista do Ministério da Educação.

 

Breno Fortes
 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que os estudantes afetados pela medida receberão um aviso por SMS, e-mail e divulgação no site. O candidato também pode consultar a informação por meio do aplicativo Enem 2016 ou tirar dúvidas pelo telefone 0800 616161.

Desde 19 de outubro, 10 instituições de ensino foram ocupadas no DF. Desse total, três estão liberadas, uma delas pela Polícia Militar, e outras duas, por um acordo entre a direção e os estudantes. Na manhã de ontem, o Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab), em Taguatinga, foi desocupado pacificamente por ordem judicial. A retirada ocorreu de forma pacífica nas primeiras horas da manhã. Segundo a PM, cerca de 100 policiais participaram da operação no local, onde havia 65 pessoas, entre jovens, pais e professores. O grupo ocupava o prédio desde quinta-feira. Na noite de segunda, uma confusão acirrou os ânimos entre favoráveis e contrários à ocupação. Quem discordava pulou os muros e entrou em confronto com quem estava na escola. A Polícia Militar negociou e resolveu o conflito.
Pacífico


Breno Fortes

 

Na decisão que determinou a ação policial no Cemab, o juiz Alex de Oliveira autorizou o isolamento dos manifestantes com cortes de água, luz e gás, além de som contínuo para impedir o período de sono. Tais métodos foram considerados exagerados pelo PT-DF, mas especialistas em segurança pública avaliaram que eles são utilizados como procedimento padrão para evitar confrontos. As atitudes, porém, não foram necessárias. As aulas no colégio estão previstas para voltar amanhã. PMs farão a guarda da escola para evitar novos movimentos.

Em outra decisão do processo, o juiz Newton Mendes de Aragão Filho ordenou a desocupação do Centro de Ensino Médio 304 Samambaia; do Centro Educacional 1, em Planaltina; do Centro de Ensino Médio Setor Oeste, na Asa Sul; do Centro de Ensino Médio 111, no Recanto das Emas; do Centro de Ensino Médio Elefante Branco, na Asa Sul; do Centro de Ensino Médio de Taguatinga Norte; e do Centro Educacional Gisno, na Asa Norte. Desses, só o colégio de Samambaia foi desocupado ontem. Segundo a PM, as demais retiradas devem ocorrer entre quinta e sexta-feira.

Ontem, o juiz Pedro Oliveira Vasconcelos reiterou as desocupações e autorizou o uso da força pela PM e a prisão de quem resistir. Contudo, dá prazo de 60 dias para saída pacífica e voluntária.

O Ministério Público Federal no DF (MPF/DF) enviou uma recomendação ao comandante-geral da PM para que as desocupações levem em consideração a presença de adolescentes. A preocupação é garantir que não haja ameaça ou violação de direitos. O MPF/DF também solicita diligências para impedir atos violentos de quem não seja agente de segurança pública.

Colaborou Júlia Chaib

Balanço

Instituições ocupadas


» Centro Educacional 01, o Centrão, em Planaltina
» Centro de Ensino Médio Elefante Branco, na Asa Sul
» Centro de Ensino MédioSetor Oeste, na Asa Sul
» Centro de Ensino Médio, em Taguatinga Norte
» Centro Educacional Gisno, na Asa Norte
» Instituto Federal de Brasília (IFB), no Riacho Fundo 1
» Instituto Federal de Brasília (IFB), em Samambaia

Instituições desocupadas


» Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab), em Taguatinga
» Centro de Ensino Médio 304, em Samambaia
» Centro de Ensino Médio 111, no Recanto das Emas

publicidade

publicidade