SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Privados de liberdade têm novas datas para fazer Enem

Candidatos em situação de restrição de liberdade realizarão o exame em 13 e 14 de dezembro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2016 13:22 / atualizado em 04/11/2016 13:25

Candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que estão em condição de pessoas privadas de liberdade (PPL) e de jovens sob medida educativa terão novas datas para fazer o exame. Segundo o edital nº 25, de 3 de novembro, publicado hoje (4), as provas ocorrerão em 13 e 14 de dezembro nas unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos órgãos de cada unidade Federativa.
 
Podem fazer as provas os estudantes indicados pelas instituição que assinaram termo de adesão, responsabilidades e compromissos com o Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC) responsável pelo exame.
 
Os responsáveis pedagógicos de cada instituição de administração prisional e socioeducativa inscritos  terão acesso aos resultados e terão a incumbência de divulgar aos inscritos as informações relativas às provas, além de informar sobre programas de acesso à educação superior, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
 
Em 2015, foram 45.582 inscritos no Enem em situação de privação de liberdade. Neste ano, o Inep comunicou que foram 54.347 inscritos para as provas, que serão aplicadas em 1.290 unidades prisionais de todo país.
 
No primeiro dia de prova, a avaliação será acerca de ciências humanas e suas tecnologias, como história, geografia, filosofia e sociologia), e de ciências da natureza e suas tecnologias (química, física e biologia), com duração de 4 horas e 30 minutos. o segundo dia será dedicado aos conhecimentos de linguagens, códigos e tecnologias (língua portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação). redação e matemática, com duração de 5 horas e 30 minutos.

publicidade

publicidade