SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Inep cancela prova em escola do DF, mas exame é aplicado normalmente

Candidatos que deveriam fazer a avaliação no Cemab, em Taguatinga, foram avisados, de madrugada, que as provas no local estariam canceladas. No entanto, quem chegou ao local neste sábado (5) conseguiu responder as questões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press

 
Um erro de comunicação no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) causou transtorno na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no DF. Candidatos que fariam a prova no Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab), em Taguatinga, foram avisadas que a prova havia sido cancelada no local. No entanto, os inscritos que foram até lá encontraram toda a estrutura para a realização do exame preparada e conseguiram entrar para participar da avaliação.
 
O órgão reforça que os estudantes que não foram ao local fazer a prova por terem recebido a mensagem do cancelamento poderão fazer o exame na nova data, 3 e 4 de dezembro. O levantamento de quem terá direito a realizar a avaliação será baseado na lista de presença. O mesmo aconteceu no câmpus Amazonas da Universidade Federal do Oeste do Pará.
 
O Cemab está entre as escolas que foram ocupadas no Distrito Federal e entrou na lista do Inep de locais com provas canceladas. A atualização ocorreu na madrugada deste sábado (5). 
 
O estudante Thiago Luiz Santos, 16 anos, recebeu a mensagem do Inep sobre o cancelamento às 11h16, mas o celular estava sem bateria. Ele tinha dúvidas se ia ou não ocorrer a prova no local, porque alguns amigos disseram que  a escola estava ocupada. Na dúvida, ele foi fazer o exame e percebeu que a sala estava bem vazia. "Muita gente deixou de vir por conta da ocupação, eu acho que acabou prejudicando", comentou. 

Segundo a direção da escola, a instituição foi informada que o local seria mantido para aplicação da prova. Salas e pátio foram limpos e o Inep ficou responsável pela escola nesse período. A direção não recebeu, no entanto, a informação de que os inscritos tinham recebido avisos sobre o cancelamento.
 
Ocupação 

A escola foi desocupada de maneira pacífica na última terça-feira (1º), horas depois do prazo oficial estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC) para que os locais de provas fossem liberados em tempo hábil para aplicação do Enem. A Polícia Militar, o Conselho Tutelar e o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, participaram das negociações para a saída.
 
A ocupação no Cemab começou em 27 de outubro e participaram do movimento estudantes, pais e professores. O protesto faz parte de movimento nacional contra a medida provisória que reforma o ensino médio e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que impõe limite aos gastos públicos pelos próximos 20 anos e hoje tramita no Congresso Nacional como PEC 55.
 
Breno Fortes/CB/D.A Press

publicidade

publicidade