SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Candidatos que fizeram Enem no Cemab sábado devem voltar para o segundo dia

Quem recebeu aviso sobre o cancelamento e não assinou a lista de presença na escola de Taguatinga terá a chance de fazer o exame em 3 e 4 de dezembro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Antonio Cunha/CB/D.A. Press

 

Os candidatos que estavam inscritos para fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 no Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab) e que assinaram a lista de presença no primeiro dia de avaliação, no último sábado (5/11), deverão voltar para fazer as provas de Linguagens e Códigos, matemática e redação neste domingo (6). Estudantes reclamam da falha de comunicação.

 

A orientação é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que informou ontem que, por um erro, os candidatos que estavam designados para fazer prova nesse local acabaram recebendo, equivocadamente, uma mensagem informando que o teste seria cancelado e reagendado para 3 e 4 de dezembro, assim como o dos demais locais de prova que foram ocupados entre outubro e a primeira semana de novembro.

 

No entanto, os alunos que chegaram até o Cemab encontraram o local pronto para a aplicação do exame e conseguiram fazer a avaliação normalmente. Por isso, devem voltar para responder as questões do segundo dia. O Inep reforçou, no entanto, que quem não foi fazer a prova por ter recebido a mensagem de cancelamento terá o direito de participar em 3 e 4 de dezembro.

 

A movimentação em frente a escola é tranquila. A estudante Jaine Nascimento, 19 anos, chegou às 11h30 para realizar o exame. No primeiro dia da avaliação, no sábado (5), ela conta que foi pega de surpresa ao receber mensagem do Inep, às 11h17, poucas horas antes da prova. Como já estava a caminho, resolveu checar se não faria o Enem mesmo. "Assim que o portão abriu, pedi informação para um fiscal e fui informada que haveria prova", relembra. Jaine conta que na sala de aula tinham apenas 15 alunos, sendo que, pela lista de presença, deveriam constar 36 pessoas.

 

A confusão, no entanto, não atrapalhou a estudante na realização da prova. Veterana no certame, essa é a terceira vez que Jaine participa. "Eu esperava um nível de dificuldade maior. Achei os textos mais fluidos e dinâmicos", explica. Neste domingo (6), o medo da estudante é a redação. "Tenho palpite sobre o tema. Ontem, as questões envolviam mobilidade, machismo e cultura. Acho que vai seguir essa linha".

 

 

publicidade

publicidade