SIGA O
Correio Braziliense

Na Unip, portão reabre para um grupo de 10 pessoas após ser fechado

Entre os motivos usados pelos atrasados estavam a chuva, a falta de ônibus, um acidente na Ponte JK e o congestionamento do trânsito por causa da manifestação na Esplanada dos Ministérios

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/12/2016 13:18 / atualizado em 04/12/2016 17:04

Hugo Gonçalves/ Esp. CB/ D.A. Press

Chuva, falta de ônibus, um acidente da Ponte JK e o congestionamento do trânsito por causa da manifestação na Esplanada dos Ministérios foram principais motivos que os atrasados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) usaram como justificativa. Na Universidade Paulista (Unip), na 913 Sul, mais de 10 pessoas perderam a prova. O portão fechou às 13h, no entanto, um grupo de 12 candidatos conseguiu entrar no local de prova após o portão ter sido fechado e, depois, reaberto.


Após alguns minutos, outros 10 candidatos chegaram, também atrasados, e ficaram de fora. Um deles foi a moradora do Varjão Alessandra Martins, 37 anos. Ela queria medicina veterinária e contou que saiu de casa às 12h30, mas enfrentou um grande engarrafamento por causa da chuva. “É uma pena, porque a redação é o que dou melhor e a prova de ontem foi muito fácil.”

 

Luis Fernando Carrazza, 46 anos, também perdeu a prova no segundo dia do Enem. Ele contou que ficou 40 minutos na parada do Itapoã, mas não passava ônibus e precisou pedir carona a um amigo, mas não conseguiu chegar a tempo. Ele tentava uma vaga para o curso de fotografia.

 

Por e-mail, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) garantiu que, segundo informações da aplicadora — Cebraspe —, não houve qualquer tipo de descumprimento às regras do edital do Enem. De acordo o Inep, existem cinco coordenações de aplicação de provas do Enem. No local houve duas situações que envolveram reabertura de portão: uma delas se refere ao remanejamento de equipe entre as coordenações, o que exigiu a abertura de um portão interno. 

 

Já a segunda, de acordo com o Instituto, diz respeito à reabertura de portão para cumprimento do horário estabelecido em edital, que é de 13h. "Por um equívoco, o vigilante responsável pela segurança fechou o portão faltando ainda, aproximadamente, um minuto e meio para o referido horário oficial. Essa ocorrência foi imediatamente percebida pelo coordenador local, que rapidamente reabriu o portão e permitiu a entrada dos participantes dentro do tempo regular e sem prejuízo ao cumprimento das normas do edital", informou.

 

O Instituto garantiu que o fato será registrado em ata da coordenação, com assinatura das testemunhas, que comprovam a regularidade dos procedimentos.