SIGA O
Correio Braziliense

Provas do Enem terminam com 30% de abstenção após segunda aplicação

Polícia Federal monitorou o exame mais uma vez para evitar fraudes. Ministro anunciou possíveis mudanças para o próximo ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/12/2016 21:46 / atualizado em 04/12/2016 22:07

Luís Fortes/MEC/Divulgação
A segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 terminou, neste domingo (4/12), sem o registro de ocorrências graves. Apenas 11 participantes dessa etapa foram eliminados por descumprir, especificamente, regras gerais do edital, tais como portar equipamento eletrônico e sair do local de prova antes do horário.
 
O índice de abstenção chegou a 39,7% no primeiro dia e a 41,4% no segundo. De acordo com Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), esse número de faltas representou um custo de cerca de R$ 236 milhões. “Precisamos fazer um apelo social para que, no próximo ano, possamos diminuir esse índice”, espera. O Inep investiu um total de R$ 10,5 milhões na segunda aplicação do Enem 2016. Considerando as duas aplicações, a abstenção foi de 30,4%. 
 

Reestruturação

Mendonça Filho salientou que o MEC abrirá consulta pública para promover debate sobre possíveis mudanças no exame. Segundo ele, o termo de referência será elaborado ainda este ano. A reestruturação proposta terá como objetivo aprimorar as edições de 2017 e 2018 do exame. “Nós dependemos de uma discussão que seja madura, tenha suporte técnico e que atenda aos interesses dos jovens e daqueles que sonham com o Enem como caminho para acessar um curso superior no Brasil”, disse o ministro, durante coletiva de imprensa.
 

Fraude

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou que a Polícia Federal (PF) monitorava 70 suspeitos de fraude, mas eles não compareceram à segunda aplicação do exame.
 
O delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni afirmou que não houve nenhum cumprimento de mandato de prisão neste fim de semana, dado importante  para a magnitude de um exame como o Enem, com mais de 273 mil candidatos envolvidos nesta segunda edição. "Mantivemos o mesmo conjunto de policiais a serviço, de modo a garantir a lisura do exame”, garantiu. 
 
O ministro também falou sobre a investigação de fraude na primeira edição deste ano do exame. "A rigor, foi algo localizado e detectado a partir de um processo de investigação, com base na atuação da Polícia Federal e dados do Inep”, afirmou.
 
O ministro garantiu que não há qualquer indício de vazamento do gabarito oficial, e que "não há nenhum sinal de envolvimento de qualquer servidor público em qualquer tentativa de fraude com relação ao Enem”.
 
Ainda segundo Mendonça Filho, os vazamentos verificados não comprometem a lisura do processo. O ministro afirmou que os candidatos que não fraudaram o exame podem ficar tranquilos. “Não vamos prejudicar a grande maioria. Os que trapacearam ou tentaram fraudar as provas serão eliminados”, garantiu.
 
De acordo com o chefe da pasta, 16 alunos que fizeram as provas do Enem em 2013,  2014 e 2015 serão expulsos das universidades e dos cursos que frequentam atualmente. Esses estudantes teriam se beneficiado de esquemas de fraudes nas respectivas edições. Pelo menos um desses candidatos estuda medicina hoje.

Gabarito e tema de redação

O gabarito da segunda aplicação do Enem 2016 será divulgado na quarta-feira (7). Os cadernos de questões também estarão disponíveis para download. O tema da redação dessa edição foi racismo e o resultado do exame está previsto para sair em 19 de janeiro de 2017.