SIGA O
Correio Braziliense

MEC defende Enem em um dia e cogita aplicação por meio de computador

Novo formato do Enem será baseado em consulta pública aberta nesta quarta-feira (18)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/01/2017 13:26 / atualizado em 18/01/2017 17:22

O Ministério da Educação (MEC) abriu, nesta quarta-feira (18), uma consulta pública sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Já no dia de abertura, mais de 3 mil pessoas opinaram sobre o tema na internet. A consulta ficará aberta até 10 de fevereiro. Acesse e opine também.

 

Por meio do canal, é possível fazer sugestões, críticas e dar opiniões sobre temas como o tempo de aplicação da prova (Um ou dois dias? Um fim de semana? Dois domingos seguidos? Entre outras opções), a plataforma de aplicação (computador ou papel) e o número de questões no exame.

 

As sugestões feitas na consulta pública serão aplicadas a partir da edição de 2017. O edital do Enem 2017 será lançado em fevereiro. Caso a consulta pública aponte para a aplicação por computadores, tal mudança só ocorrerá em 2018. Uma garantia dada pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em coletiva de imprensa do MEC nesta quarta-feira (18), é que treineiros continuarão podendo fazer o exame.

 

Sobre a duração da prova, o ministro da Educação defende que reduzir os dias de aplicação é um caminho para diminuir gastos e uso de papéis, visto que seria uma prova menor e a avaliação seria aplicada em um único dia, de preferência num domingo, pois no sábado, muitas pessoas, pela questão religiosa, ficam esperando o dia inteiro no local para fazer a prova. Outra opção seria a aplicação do Enem num domingo e numa segunda-feira, sendo essa feriado escolar. A prova também poderia ser aplicada em dois domingo seguidos. Apesar disso, Mendonça Filho acredita que quem deve tomar essa decisão são "os mais afetados pelo exame", ou seja, os estudantes. Por isso, a participação na consulta pública é importante.

 

"Muitos boatos se espalham nas redes sociais. Principalmente de integrantes da oposição que não estão satisfeitos com as mudanças. Tudo é mentira. Um exemplo é que a redação sairia do exame, é isso não é verdade. Também são falsas as informações de que o MEC aplicaria o exame só no sábado", disse o ministro.

 

O MEC anunciou que também fará outras mudanças no exame. A primeira delas é que a próxima edição do Enem não servirá como certificação do ensino médio. Na visão do MEC, o Enem é uma prova abrangente que serve para acesso ao ensino superior e não como medida de verificação do conhecimento do ensino médio — algo que pode ser verificado por meio do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

 

Além disso, a gestão atual do MEC deseja que o Enem não seja mais visto como um sistema de avaliação do ensino médio. "O Inep está estudando uma forma nova de avaliação de desempenhos do ensino médio por meio do Saeb (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica). O Enem não terá mais a característica de fazer o ranking das referências de desempenho das matrizes do ensino médio", afirmou Maria Helena Castro, secretária-executiva do MEC.

 

* Estagiárias sob supervisão de Ana Paula Lisboa