Ministro da Educação afirma que redação será mantida no Enem

De acordo com Mendonça Filho, comentários na internet são falsos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/01/2017 16:39 / atualizado em 18/01/2017 17:36

O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou em coletiva à imprensa, nesta quarta-feira (18), que vai manter a  a valiação de redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo o ministro, as informações que circulam nas redes sociais sobre o fim da redação são falsas. “Nunca foi cogitado, em qualquer modalidade que seja de aplicação do Enem, no ano de 2017, parar com a redação”, garantiu.

“Muitos boatos se espalham nas redes sociais, principalmente aqueles patrocinados por partidos que, desde que tomamos posse como ministro da Educação, ficam inconformados com as mudanças que nós introduzimos para melhorar a educação no Brasil”, disse Mendonça Filho. “Então, algumas situações como essa ensejaram, possivelmente, que a redação poderia ser extinta do exame do Enem. Isso eu quero colocar com todas as letras: é mentira”, completou o ministro, que também anunciou a liberação dos resultados individuais do Enem 2016 e a divulgação da Consulta Pública sobre as mudanças no exame.

 

Mendonça Filho também lembrou que a  consulta  pública já está disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)  e tem o objetivo de ouvir os estudantes se concordam com a realização do exame em único dia ou em dois.  “Seja a modalidade realizada em dois dias, ou o Enem aplicado na prova de um dia, será mantida a redação”, enfatizou. Segundo a proposta, se  as provas do  Enem forem  aplicadas em um dia, haverá a redução do número de questões objetivas (até 100) para que o participante possa fazer o exame de redação. A duração da prova seria de 5h30. Na Consulta Pública também é possível escolher a opção de manter o exame no formato atual.

Outro ponto discutido é a extinção do exame aos sábados, sendo apenas no domingo. “No caso das provas serem no sábado, afeta diretamente algumas religiões, algumas denominações, como judeus e adventistas, que guardam o sábado. E, muitas vezes em condições inadequadas, ficam trancafiados em salas isoladas aguardando o pôr do sol para se submeterem à prova do Enem. Então, é algo que vai significar ter mais segurança”, afirmou Mendonça Filho.