GUIA DE CONCURSOS »

1.240 vagas para marinheiros

As oportunidades são destinadas a jovens solteiros, com ensino médio completo. Os aprovados passarão por formação em regime de internato por um ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/03/2017 14:18

Arquivo Pessoal

Os candidatos ao processo seletivo de aprendizes-marinheiros ainda têm tempo para se dedicar aos estudos. As inscrições para o certame organizado pela Diretoria de Ensino da Marinha (DEnsM) terminam amanhã (6), mas a data, os locais e horários da prova objetiva só serão divulgados a partir de 3 de abril. São 1.240 vagas, sendo 248 destinadas a negros. O interessado deve ser do sexo masculino, maior de 18 anos e menor de 22, não ser casado ou manter união estável (como prevê o artigo 144 do Estatuto dos Militares) e ter concluído o ensino médio. Os selecionados participarão do Curso de Formação de Marinheiros para a Ativa em uma das Escolas de Aprendizes-Marinheiros (EAM) — localizadas em Fortaleza (CE), Recife (PE), Vitória (ES) e Florianópolis (SC) —, sob regime de internato, com duração de um ano letivo. No ato da inscrição, o candidato poderá manifestar preferência por uma das quatro unidades, porém a Marinha se reserva ao direito de designar o candidato para qualquer outra das escolas, conforme a necessidade.


Durante 48 semanas, os jovens terão disciplinas do ensino básico e do ensino militar-naval. Além de receber gratuitamente alimentação, uniforme, assistência médico-odontológica, psicológica, social e religiosa, o aprendiz-marinheiro terá remuneração de R$ 879. Depois do curso, o aprovado será considerado um grumete (com salário de R$ 936) e iniciará a especialização técnica em uma das três áreas escolhidas na inscrição: eletroeletrônica, apoio ou mecânica. Ao concluir a capacitação, o aluno é graduado marinheiro (com vencimentos de R$ 1.398) e assume compromisso de tempo de serviço pelo período de dois anos a bordo de navio ou em organização militar. Somente após aprovados na avaliação de desempenho ao longo do primeiro ano é que os marinheiros serão plenamente adaptados à carreira naval, podendo permanecer no serviço ativo e, após atingir pré-requisitos, poderão alcançar a última graduação na carreira de praças, a de suboficial, com remuneração de R$ 5.307.

Por dentro da prova
O concurso compreenderá avaliação objetiva com duração de quatro horas, abrangendo 50 questões sobre matemática (15), português (15) e ciências — física e química (20). Também haverá, na fase preliminar, inspeção de saúde, teste de aptidão física (natação e corrida) e verificação de dados biográficos. Lucas Gonçalves Lemos, professor de português do curso preparatório Espaço Câmpus, observa que a área de interpretação de texto poderá trazer dificuldades aos candidatos, por exigir concentração, leitura e conhecimento de vocabulário. Para o especialista, o assunto mais importante é morfologia (classificação das palavras). Na hora de estudar, Lucas afirma que, independentemente da estratégia adotada pelo aluno, o essencial é praticar com exercícios. “Assistir a videoaulas pode ser mais adequado para uns, curso presencial, para outros, mas todos devem se concentrar na resolução de questões de provas anteriores”, recomenda.
Rafael de Oliveira Rego, professor de matemática do Colégio Alub, observa que as questões dessa área do conhecimento são mais tradicionais, pois envolvem funções do 1º e do 2º graus e tópicos de geometria. Com base em certames anteriores da Marinha, o professor recomenda memorizar as fórmulas mais recorrentes e treinar a resolução de equações básicas de geometria, pois são muito cobradas. Rafael também recomenda a resolução de questões de certames anteriores, para que o candidato não só ganhe agilidade nas resoluções, mas também descubra o padrão das provas e saiba o que esperar no grande dia. Mas calma: “é importante não se forçar a estudar por muitas horas, pois o corpo tem um limite. Por isso, separe os conteúdos em blocos e foque em um assunto por vez para não se desgastar”, finaliza o professor.


Marco Aurélio Carvalho, professor de química do Colégio e Curso SEI, ressalta que cada tema cobrado no exame tem características e graus de dificuldade específicos. “Não dá para escolher um assunto como o mais difícil. Mas cada candidato pode identificar no que tem mais facilidade e, na hora da prova, deve focar em resolver primeiramente as questões que achar mais fáceis, depois, as mais difíceis, tentando não deixar nenhuma sem resposta”, recomenda. Outra dica valiosa é se preparar emocional e fisicamente, para não cair em armadilhas de autossabotagem. “Vale apostar numa alimentação leve na véspera e no dia da prova, ter uma boa noite de descanso e evitar ao máximo situações de problemas e desgastes emocionais, para aumentar as chances de aprovação”, afirma Carvalho. Ele também recomenda que o candidato verifique a procedência do material de estudo utilizado, pois muitas fontes, especialmente da internet, acabam passando informações incorretas e podem prejudicar em vez de ajudar. “Indico que sejam usados livros consagrados do ensino médio.”

De olho na vaga
Brendon Lohan Lima Rosário Correia, 17 anos, se interessou pela carreira de aprendiz-marinheiro pelo prazer da natação e também por ter parentes que trabalham na Marinha. Atualmente, o jovem trabalha como ajudante de pintor para pagar o cursinho preparatório em que está matriculado. A rotina é intensa: após o trabalho na parte da manhã, segue para o curso, onde fica das 13h às 18h, e reserva três horas todas as noites para revisar o conteúdo. “Depois que passar na prova, quero fazer faculdade de engenharia química, pois tenho o curso de técnico em química e pretendo melhorar de vida”, planeja. A disciplina em que Brendon tem mais dificuldade é português, por isso ele se dedica mais a ela. “Nas matérias que envolvem cálculo, como matemática, química e física, eu tenho mais facilidade, mas nem por isso deixo de estudar”, afirma.

 

Passe bem / Português

Em qual das sentenças abaixo, a regência verbal está em DESACORDO com a norma-padrão?
a) Esqueci-me dos livros hoje.
b) Sempre devemos aspirar a coisas boas.
c) Sinto que o livro não agradou aos alunos.
d) Ele lembrou os filhos doS anos de tristeza.
e) Fomos no cinema ontem assistir o filme.

Comentário:
a) O verbo pronominal “esquecer-se” exige a preposição “de”.
b) O verbo “aspirar” no sentido de desejar, almejar exige a preposição “a”, pois é verbo transitivo indireto; sendo assim, a construção está certa. Lembre-se de que, quando o verbo “aspirar” indicar o sentido de absorver ou respirar, será transitivo direto.
c) O sintagma nominal “agradou”, no sentido de satisfazer, é transitivo indireto e exige a preposição “a”, portanto não há desvio da norma padrão.
d) A forma verbal “lembrou” pode ser transitiva direta e indireta: quem lembra, lembra alguém de algo. Logo, a oração não está em desacordo com o padrão.
e) As formas verbais “fomos” e “assistir” exigem a preposição “a” e não a preposição “em”. Com base nessas informações, a construção correta para o texto é: fomos ao cinema ontem assistir ao filme. Observe-se, porém, que a forma verbal “assistir” pode ter outros sentidos, com outras regências.

Questão de língua portuguesa da banca Cesgranrio retirada da prova para técnico de informática da Petrobras de 2011, comentada por Lucas Gonçalves

Gabarito: letra E

 

O que diz o edital

Concurso público de admissão às Escolas de Aprendizes-Marinheiros (CPAEAM)
Inscrições: até amanhã (6) pelo site www.ensino.mar.mil.br
Taxa: R$ 30
Vagas: 1.240
Salário: baseado na Lei de Remuneração dos Militares, varia dependendo da fase
Provas: datas e horários serão divulgados a partir de 3 de abril
Locais: Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), São Pedro da Aldeia (RJ), Angra dos Reis (RJ), Nova Friburgo (RJ), Vila Velha (ES), Salvador (BA), Natal (RN), Olinda (PE), Fortaleza (CE), Belém (PA), São Luís (MA), Rio Grande (RS), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Ladário (MS), São Paulo (SP), Santos (SP) e Manaus (AM)
 

 

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa