Mudança de prioridade. Etapas do PAS serão em 3/12

A poucos dias das provas das três etapas da seleção da Universidade de Brasília, quem estava priorizando o Enem precisa correr para recuperar o tempo perdido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/11/2017 17:06 / atualizado em 17/11/2017 16:13

Lanna Silveira/Esp. CB/D.A Press
 
Com o fim do ciclo do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2017, estudantes da capital retomam os estudos com força máxima em busca de uma vaga na Universidade de Brasília (UnB) por meio do Programa de Avaliação Seriada (PAS). O desafio é maior para quem estavam com os olhos voltados apenas para a prova do último domingo, mas não é tempo de desanimar. A contagem regressiva para a seleção em etapas da UnB está perto do fim: as provas das três séries do ensino médio serão aplicadas em 3 de dezembro.
 
Vista como a forma mais fácil de acesso ao ensino superior público em Brasília, de acordo com professores, o PAS tem como vantagem o fato de o inscrito precisar responder itens acerca do conteúdo de um ano por vez, no lugar de toda a matéria do ensino médio conjuntamente. Apesar da atratividade, estudantes também precisam se dedicar ao vestibular e ao Enem, afinal também são portas de entrada para o ensino superior. A escolha entre qual dos métodos priorizar não é fácil, mas a menos de 20 dias do PAS, não há tempo para o lamento. Arrependidos ou não, alunos precisam aproveitar os últimos momentos antes da prova para reforçar os estudos.

Preparação
Segundo Carlos Fernando Oliveira, professor e coordenador de física do Alub, do grupo Educar Holding, o problema gira em torno do forma de planejamento dos estudantes. “O nosso adolescente não tem visão de longo prazo e não pensa em cada PAS individualmente e acreditam que o Enem é mais fácil por ser só no 3º ano. No entanto, neste exame, concorre-se com o país inteiro”, observa. “Quem deixa o PAS de lado perde uma grande chance”, diz. É o caso de Elisa Celani, 17, do colégio Alub. A aluna do 3º ano conta que se prepara para a prova desde o ensino fundamental, mas que relaxou com a expectativa em torno do Enem. “Eu levava a escola muito com a barriga, então fiz o primeiro PAS despreocupada porque sabia que teria ainda a segunda e a terceira etapas e o Enem”, admite ela, que quer cursar direito.
 
Giovanna Meira, 14,aluna do Alub, fará a primeira etapa do PAS. Para ela, o apoio da família e da escola foram fundamentais ao disciplinar os estudos e determinar as prioridades. A adolescente sonha ser médica e está consciente da importância da prova. “Hoje, perto do PAS, tenho a consciência de sua relevância. Tenho que focar desde já porque é o momento em que a maioria se descuida”, percebe. Atualmente, ela tem focado em revisão. “Uso um aplicativo ótimo, o Easy Study, que traça uma rotina com as matérias que eu tenho que estudar dentro de um determinado tempo”, conta. “Eu tinha essa noção de que o PAS é mais vantajoso, porque o conteúdo é daquele ano que você estudou e a concorrência é só de Brasília”, relata Ayrla Costa, 16, aluna do 2º ano do colégio Alub. Ela quer fazer arquitetura e urbanismo e está ansiosa para o teste. “Eu me preparei lendo as obras exigidas pelo edital, estudando os conteúdos… Acho que fui bem no ano passado comparado à média do primeiro ano.”

Especialistas ditam o tom
A diferença entre o Enem e o PAS é quase unânime entre os professores. Enquanto o primeiro costuma ser mais contextualizado, científico e com abordagem cotidiana, o segundo é mais conteudista, específico e exigente. O caminho lógico e mais fácil para quem busca uma vaga na UnB é o processo seletivo local. “A Universidade de Brasília oferece 50% das vagas de acesso para o PAS. As vantagens são que todos os inscritos são da mesma faixa etária, a experiência de vida é mais nivelada. É mais justo”, afirma o professor de química do Galois Euclides Chacon. Carlos Fernando Oliveira concorda: “É bem mais fácil entrar na UnB pelo PAS do que pelo Enem”. Qual o processo queridinho dos alunos? Aí os professores divergem.
 
Na visão de Euclides, o PAS é o mais desejado. “Ele detém a grande preferência dos alunos de Brasília porque a UnB oferece mais vagas por este meio”, aponta. Carlos tem outra visão. “Os jovens estão preferindo o Enem e se preparam muito mais para ele. A prova tem a vantagem de abrir caminho para universidades em todo o Brasil. Se a sua pontuação não for suficiente para a UnB, dá para ir para a federal de Goiás ou do Rio de Janeiro, por exemplo”, comenta. O perfil dos alunos aprovados pelos processos seletivos é diferente. “Uma pesquisa recente da Universidade de Brasília revelou que quem entrou pelo PAS tem o IRA (Índice de Rendimento Acadêmico) maior e índice de evasão menor em relação aos candidatos que entraram pelo Enem, os quais, às vezes tem outras preocupações, como o trabalho”, observa Euclides.

Dicas de revisão na reta final
O tempo antes do PAS é curto, sobretudo para quem se dedicou exclusivamente ao Enem. Diante desta realidade de muitos candidatos, o professor Euclides dá algumas orientações: “O aluno que vai fazer o PAS precisa, necessariamente, de um conteúdo mais específico. Somente uma leitura das questões não ajuda, como vemos no Enem. O ideal é pegar as quatro últimas provas e revisar várias vezes”, aconselha. “O aluno deve rever as provas anteriores e como os conteúdos foram trabalhados. É a maneira mais rápida de se preparar faltando 20 dias”, orienta Carlos Fernando. Apesar disso, ele faz um alerta aos alunos. “O último ano do ensino médio é só consolidação. Não adianta achar que o 3º ano vai salvar você. É preciso ter feito o trabalho no primeiro e no segundo anos também”, conclui.
 
Assista neste vídeo às dicas do professor Carlos Fernando Oliveira sobre o PAS
 
 
Serviço
Data das provas: (1ª, 2ª e 3ª etapas): 3 de dezembro, às 13h
Local: será divulgado em 23 de novembro, segundo previsão dos editais
Duração das provas: cinco horas

O que levar obrigatoriamente
Caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente
comprovante de solicitação de inscrição ou comprovante de pagamento da taxa de inscrição, além de documento de identidade original
 
O que não levar
Livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta, máquina calculadora, agenda
eletrônica ou similares, telefone celular, smartphone, tablet, gravador, pendrive, mp3 player ou similares. Receptor ou transmissor de dados e mensagens, bipe, notebook, palmtop, walkman, máquina fotográfica, controle de alarme de carro. Relógio de qualquer espécie, óculos escuros, protetor auricular, chapéu, boné, gorro Lápis, lapiseira/grafite, marca-texto, borracha. Quaisquer recipientes que não sejam fabricados com material transparente (como garrafas ou
embalagens de alimentos
 
 *Estagiário sob supervisão de Ana Sá