Alunos não conseguem concorrer ao Sisu por demora no resultado do Encceja

Notas devem ser divulgadas em março, após o fim dos programas mais importantes de acesso ao ensino superior. Inep afirma que os candidatos foram avisados sobre o calendário

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/01/2018 19:10 / atualizado em 23/01/2018 21:48

Arquivo pessoal
Enquanto candidatos de todo o Brasil correm na busca pela tão sonhada vaga no Sisu, milhares de estudantes (679.366, segundo o Inep, fizeram as provas) serão prejudicados pela data de divulgação dos resultados - prevista para o primeiro trimestre de 2018 - do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos). Por causa disso, não conseguirão se inscrever para os processos seletivos que dão acesso ao ensino superior ainda no primeiro semestre de 2018. As provas foram aplicadas em 20 de novembro. 
 
De acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), a previsão era de publicação entre janeiro e março, mas até o momento, os participantes não têm o resultado disponível. Dessa forma, aqueles que desejam utilizar a certificação para concorrer a uma vaga por meio dos programas de acesso às universidades e institutos, como o próprio Sisu, o Prouni e o Fies, só poderão fazer isso a partir do meio do ano. 
 
Viviane Monteiro, 18 anos, é um caso entre os vários participantes que estão perdidos em meio à incerteza da publicação dos resultados. Ela conta que o planejamento foi atrapalhado pelo atraso no calendário. “Por mais que o desempenho não tenha sido muito bom, eu queria, sim, utilizar o exame. Mesmo sendo nova, saindo a nota do Encceja logo, eu poderia correr atrás disso, começar a faculdade neste semestre. Eu trabalho em academia e, por já estar no ramo, facilitaria”, conta. 
 
Apesar de admitir o desempenho ruim na redação e a nota média nas provas, a jovem via a chance de conseguir algum benefício na hora de tentar a vaga em educação física em alguma instituição. “Eu gostaria de tentar ao menos uma bolsa parcial de 50% ou desconto na mensalidade. Tenho esperança ainda. Se não der, vou correr atrás no meio do ano”, lamenta. 
 
Soma-se ao atraso no cronograma o trâmite burocrático necessário após a obtenção dos resultados. Por causa disso, até mesmo o vestibular agendado, única saída para os estudantes nessa situação, corre o risco de não ser acessível. Essa é a visão da diretora pedagógica do Centro Educacional D’Paula, Danielle Bazzo. “Falam que o aluno termina em março e, de repente vai ter acesso à faculdade pelo vestibular agendado, mas não é bem assim. Porque tem um período pela frente para tramitar o restante. O resultado sai em março, mas ele não pega a documentação no mesmo mês. Vai demorar cerca de 40, 50 dias. De fato, só vai ter acesso ao ensino superior no segundo semestre”, afirma.  
 
Para Rodrigo Gonçalves, 22, à medida que o resultado não sai, o planejamento é atrapalhado. Ele quer fazer nutrição e esperava agilizar o processo de certificação para usar a nota do Enem e entrar em alguma faculdade. “Tenho uma matéria pendente e dependia do Encceja para eliminá-la. Sem isso, não consigo usar o Enem para entrar na faculdade. O estudante afirma que não foi avisado e sentiu falta de maior propagação da informação de que os candidatos que fizeram o exame não poderiam ingressar no Sisu neste semestre.  “A prova do Encceja foi adiada duas vezes e nada. Em comparação ao Enem, eram muito menos cadernos, o número de participantes era menor. Não teria porque demorar tanto para corrigir”, acrescenta. 
 
Segundo Rodrigo, ele havia avisado no trabalho - atua como vendedor - que não permaneceria por lá, devido ao desejo de entrar na faculdade com a nota do Enem. “Eu planejei pegar o resultado do Enem, entrar na faculdade e fazer um estágio. Agora, eu terei que avisar que vou ficar, por causa do Inep."
 
A professora Danielle Bazzo acredita que a demora se deve à aplicação do exame especificamente para o Encceja. “Talvez, o planejamento inicial fosse de menos inscritos, de uma coisa menor e deve ter tido uma demanda maior, o que causou um atraso. Não creio que seja um despreparo, mas como é o primeiro ano de volta do Encceja foi acima da expectativa do governo”. 
 
O Inep esclareceu que anunciou, antes do período de inscrições do Encceja 2017, que “os participantes não conseguiriam a certificação do ensino médio a tempo de se inscreverem no Sisu do primeiro semestre de 2018 e que os participantes do Encceja 2017 que obtiverem a certificação poderiam se inscrever no Sisu do segundo semestre de 2018."
 
O órgão afirma, também, que não há atrasos na programação inicial e que segue dentro do planejado e divulgado anteriormente. “Não há nenhuma demora no resultado da certificação. Informamos várias vezes por meio das redes sociais que os resultados sairão no primeiro trimestre de 2018”. 
 
Questionado sobre uma possível falta de planejamento ao não permitir que os candidatos do Encceja pudessem concorrer ao Sisu e demais processos de acesso à universidade por conta do calendário, o instituto disse que “é uma questão técnica e que houve um planejamento feito por toda a equipe e pelos pesquisadores e que foi amplamente discutido, mesmo que não dentro do tempo que o participante precisa”.