SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Habilidade para lidar com pessoas e atenção ao mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/05/2012 09:00

Previdência privada, ações na bolsa de valores, investimentos de curto ou de longo prazo. Quem nunca teve dúvidas relacionadas ao cada vez maior mundo financeiro que atire a primeira moeda. E, se o assunto é dinheiro, a preocupação é certa. Afinal, lidar com juros, IOF, fundos DI, taxa Selic não é tarefa fácil. Para ajudar a compreender melhor a complexa sopa de letrinhas da economia, entra em cena a figura do planejador financeiro. A carreira atende também pelo nome de consultoria de investimentos. Responsável, entre tantas tarefas, pelo cálculo do risco de aplicações e pela avaliação do que cada pessoa deseja, esse profissional caiu no gosto e na confiança do brasileiro. Ao olhar para um mercado econômico interno aquecido, o bacharel em relações internacionais Felipe Chad, 32 anos, percebeu que seguir a carreira de planejador financeiro seria possível. Em 2007, ele e dois sócios abriram uma empresa de consultoria em investimentos. Desde então, a demanda pelos serviços só cresceu. %u201CNo início, nossos clientes eram amigos e familiares que apostavam na gente. Hoje, temos mais de 3 mil clientes%u201D, conta. Para ele, o aumento na procura é um sinal dos tempos. %u201CAntes, havia o pensamento de que apenas os milionários precisavam de um planejador financeiro, mas o cidadão comum se deu conta de que há inúmeras possibilidades para ele também.%u201D Quem atua na área deve agregar múltiplas capacidades. Saber lidar com as pessoas é, segundo Chad, uma das principais qualidades que um planejador financeiro deve ter para ser bem-sucedido. %u201COs clientes são diferentes. Cada um traz uma preocupação, um objetivo. Se não tivermos paciência para entendê-los, perdemos nossa principal matéria-prima.%u201D No jogo dos investimentos, é importante dar atenção redobrada às mudanças que ocorrem quase diariamente. %u201CÉ um trabalho para quem não gosta de rotina e, sobretudo, está sempre bem informado%u201D, afirma. Estudante do quinto semestre de ciências econômicas na Universidade Católica de Brasília (UCB), Clarissa Borges, 21 anos, pretende ser planejadora financeira. %u201CSempre tive gosto pelo mundo dos negócios e percebi o quanto as pessoas são desorganizadas com suas finanças%u201D, diz. A jovem teve contato com a área ainda no início da graduação. Desde então, seu interesse pelo assunto deslanchou. Hoje, Clarissa faz parte do laboratório de finanças da universidade e preside a Valor, empresa júnior de consultoria econômica da UCB, que orienta pequenos e médios investidores. %u201CEsse tipo de experiência contribui muito para que eu chegue ao mercado preparada, já que o trabalho de um consultor não pode se basear em achismos.%u201D Além disso, ela busca se capacitar por meio de cursos de extensão e leitura diária do noticiário econômico. Para Rogério Lúcio Soares, doutor em economia e professor da UCB, apesar de bem consolidada, a carreira de planejador financeiro ainda é carente de profissionais capacitados. Por isso, segundo ele, quem opta por se especializar no assunto tem inúmeras possibilidades. %u201CComo não há um curso de graduação específico, a capacitação para trabalhar com o mercado financeiro fica a critério de cada um%u201D, explica. A carreira demanda conhecimentos de economia e finanças, mas não há exigência de que a pessoa tenha um diploma na área. %u201CÉ comum encontrarmos contadores e administradores, por exemplo, atuando como planejadores financeiros.%u201D De acordo com o professor, em Brasília, assim como em todo o Brasil, os profissionais habilitados estão em falta. %u201CA cidade tem muito espaço para acolher quem deseja trilhar esse caminho.%u201D Um dos atestados de qualidade que podem ser obtidos por esses profissionais é a Certified Financial Planner (CFP), certificação internacional de padrões de conduta ética e responsabilidade na prestação de serviços de planejamento financeiro pessoal. O documento é emitido pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF), entidade independente que promove a autorregulação profissional. Para obter o título, o candidato faz uma prova em que são testados conhecimentos técnicos em várias áreas, como gestão de riscos e planejamento fiscal. Patrício Lobos, diretor do IBCPF, acredita que o profissional certificado represente segurança para o cliente. %u201CAfinal, o planejador que obtém essa distinção foi testado em diversas categorias e aceitou aderir ao nosso código de ética. Isso é importante, pois lidamos de perto com os sonhos das pessoas.%u201D Parâmetros internacionais Segundo o IBCFP, no Brasil existem atualmente 823 planejadores financeiros com a certificação reconhecida mundialmente. A meta é que, este ano, tal número aumente para 1 mil.
Tags:

publicidade

publicidade