SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Velhos problemas, novos métodos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/06/2012 09:00

As causas para muitas dúvidas e bloqueios no ambiente de trabalho podem estar nas relações familiares %u2014 e não só nas mais próximas. Aquilo que outras gerações fizeram no passado têm influência na vida presente do profissional e das empresas. Ao menos é isso que sugere a abordagem sistêmica fenomenológica, ferramenta transdisciplinar de diagnóstico de problemas que surgiu há mais de 30 anos na Alemanha e possui uma vertente organizacional. Com o objetivo de qualificar profissionais e gestores para essa prática, a especialista Miriam Coelho Braga, em parceria com a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), ligada à Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Distrito Federal, coordena três cursos de pós-graduação lato sensu no assunto. Brasília é a única cidade brasileira a sediar cursos de especialização nessa área, que ainda não tem ensino formal no país. %u201CPaíses como o México, por exemplo, já dispõem de um mestrado em sistêmica fenomenológica%u201D, explica Miriam. A parceria com a ESCS, conta, foi ao encontro da vontade da SES de fortalecer os servidores no campo gerencial. %u201CA técnica possibilita perceber as dinâmicas que atuam na organização, os elementos que a afetam, suas relações com o mercado%u201D, avalia. Terapeuta e consultor, Alex Possato atua em São Paulo como facilitador sistêmico há cinco anos. Em seus atendimentos, faz uso das constelações sistêmicas %u2014 uma das técnicas desenvolvidas na sistêmica fenomenológica %u2014 e garante que os resultados no ambiente de trabalho são perceptíveis. Segundo ele, a procura por esse tipo de serviço existe tanto individualmente quanto em grupo. %u201CMuitos clientes vêm até nós porque encontram problemas com a chefia, mas há casos em que tentamos resolver conflitos entre departamentos inteiros de uma empresa.%u201D E é aí que as constelações sistêmicas entram em cena. %u201CA ideia é colocar as pessoas em um espaço para representar, como se fossem atores, a dinâmica familiar ou do grupo em questão%u201D, explica o terapeuta sistêmico Homero Zolli, que também atende na capital paulista. %u201CPor meio de encenação, o grupo vai vivenciar as questões que uma pessoa traz, de forma a tentar liberar suas emoções. O indivíduo em questão fica de fora enquanto outras pessoas interpretam seus conflitos, cada uma delas.%u201D Saber resolver conflitos de poder e quebras de hierarquia. Essas são duas das questões mais pertinentes para o médico ginecologista e obstetra Mário Horta, aluno do curso de pós-graduação. Gestor da área de saúde pública, Horta, 58 anos, acredita que a utilização das constelações sistêmicas nas mais diversas organizações pode significar uma diminuição considerável dos conflitos de poder. %u201CComo a questão gerencial é muito complexa, é preciso que a gente busque novas ferramentas para lidar com ela%u201D, afirma o médico, que já concluiu dois dos 12 módulos do curso. Para ele, com o aprendizado das constelações sistêmicas é possível diagnosticar soluções para muitos dos problemas gerados no ambiente profissional. Divergência A psicóloga e consultora em psicologia organizacional Janice Pereira, que atua no Distrito Federal, ressalta que %u201Ctodo tipo de metodologia aplicada às organizações deve ser tratada com muito cuidado%u201D. Para ela, que é professora do departamento de psicologia no Centro Universitário de Brasília (UniCeub), a abordagem sistêmica, por trazer à tona conteúdos emocionais muito específicos dos indivíduos, não deveria ser conduzida no ambiente profissional. %u201CHá uma série de outras ferramentas convalidadas que permitem lidar de forma segura com a resolução de conflitos dentro das empresas%u201D, pontua. Procurado pela reportagem, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) preferiu não se manifestar sobre o assunto. No entanto, a coordenadora da pós-graduação, Miriam Braga, garante que a prática das constelações sistêmicas não consiste necessariamente em uma terapia, mas sim em um conjunto de práticas que auxiliam na solução de conflitos. %u201CTemos consciência de que o nível de profundidade emocional que será atingido em uma dinâmica organizacional não deve ser o mesmo de quando se faz uma análise sistêmica individual%u201D, argumenta. Com base na prática Desenvolvida pelo filósofo alemão Bert Hellinger, a sistêmica fenomenológica é um método psicoterápico e de coaching profissional que trabalha principalmente as emoções e energias inconscientes que influenciam as decisões. A abordagem é relacionada à fenomenologia por ser descrita por meio da experiência vivida e anterior a uma explicação teórica, não sendo validada cientificamente. Tradução equivocada As constelações familiares nada têm a ver com os astros ou corpos celestes. Do alemão Familienaufstellung, que em uma tradução literal significa colocação familiar, o termo constelação trata-se, na verdade, de uma falha de tradução. É que de alemão para inglês o conceito virou %u2014 corretamente %u2014 family constellation, isto é, disposição, posicionamento. Entretanto, quando os primeiros ventos dessa corrente sopraram no Brasil, a tradução foi feita ao pé da letra e colocação virou, então, constelação. Palavra de especialista Todos estão interligados %u201CPara cada pessoa, um conjunto de emoções. Quando há um grupo de indivíduos, um sistema emocional invisível é formado. A dinâmica da constelação demonstra que existe uma ligação inconsciente que influencia mutuamente as pessoas que convivem dentro de um sistema: seja uma família, uma empresa, um departamento, uma cidade ou até um país. Quando não ajustada, essa ligação exerce uma influência que traz conflito, dor, dificuldades, mantendo pessoas que criam um sentimento de codependência entre si.%u201D Alex Possato, terapeuta e facilitador sistêmico. Gestor da consultoria Nokomando em São Paulo Onde encontrar Pós-graduação lato sensu em sistêmica fenomenológica* » Três especializações distintas: sistêmica familiar, organizacional e pedagógica » As inscrições para a etapa organizacional estão abertas e podem ser feitas pelo site www.sistemicaconsultoria.com » Início das aulas: 26/7 » Duração: 32 horas-aula » Informações: Miriam Braga (61) 35772697 %u2013 92235685 * O diploma é chancelado pela ESCS
Tags:

publicidade

publicidade