SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Como montar uma empresa de sucesso

Quatro empresários contam como deram certo nos negócios. Tudo começou com uma ideia inovadora

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/09/2012 08:00 / atualizado em 23/09/2012 16:59

Planejamento e informação são palavras chave para garantir o sucesso de um novo empreendimento. Dificilmente o negócio dará certo sem essas duas características. Porém, nem sempre os caminhos para uma empresa dar certo estão nas mãos de seu dono. O superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no DF (Sebrae/DF), Valdir Oliveira, explica que o empreendedor não pode controlar os efeitos de uma crise econômica, por exemplo. Nessas situações, segundo ele, as micro e pequenas empresas são as primeiras a sentirem os impactos, mas também são aquelas que vão a dar a volta por cima.

Levando em consideração apenas aquilo que está sob a governança dos empresários, o principal é ter noção do que se quer fazer e de como funciona o mercado onde pretende atuar. “Quando você se conhece, domina o mercado em que está inserido, e trabalha com inovação, amplia a sua competitividade e consegue condições para crescer”, afirma Oliveira. Quatro empresários brasilienses tiveram ideias inovadoras e, com isso, conseguiram aumentar a competitividade de seus negócios. Conheça a história deles. (MN)

De vendedora a dona
Jéssica Guimarães, 23 anos, sempre gostou de moda. Quando pequena, organizava desfiles com as amigas da escola. Hoje, a estudante de arquitetura virou uma empresária de sucesso por apostar na habilidade que mostrou ter desde a infância. Ela abriu uma loja multimarcas que leva seu nome e fica na Asa Sul. O próximo passo será o lançamento da primeira coleção de roupas, marcado para dezembro deste ano. Jéssica passou um tempo em Nova York, onde ampliou os conhecimentos no ramo trabalhando na área, o que a ajudou a adquirir experiência, conhecer o mercado e as possíveis futuras clientes. A loja foi inaugurada em abril e, em pouco tempo, recuperou o investimento inicial, de R$ 250 mil. O faturamento médio é de R$ 150 mil por mês. A empresária atribui o sucesso à experiência, ao planejamento, e à estratégia de marketing utilizada. “Uso a internet para divulgar a loja, tenho uma página no Facebook, faço parceria com blogueiras famosas e tenho um site pessoal”, conta.

Souvenir de Brasília
Aquela imagem de uma lâmpada acendendo quando se tem uma grande ideia foi mais ou menos o que ocorreu com Raffael Inneco, 32 anos. Depois de participar do Empretec — seminário promovido pelo Sebrae para pessoas interessadas em abrir um negócio —, ele pensou em fazer camisetas customizadas e se uniu à mulher, Thatiana Dunice, 35, para colocar o projeto em prática. A complementação veio com uma sugestão da mãe dele, que encomendou camisetas com estampas de Brasília. O produto fez sucesso e o casal resolveu começar a fazer objetos e camisetas só com estampas sobre a capital. Foi quando nasceu a BSBMemo. Os dois vendiam os artigos customizados nos fins de semana, em frente a um supermercado e, em dezembro do ano passado, resolveram abrir a primeira loja. “Fizemos algo em que acreditávamos, porque nós amamos Brasília. E é algo novo, havia uma carência de produtos que ressaltassem e valorizassem a cidade”, explica Thatiana.

 O poder da inovação tecnológica
Criada por seis amigos que estavam no fim do curso de ciências da computação em 2005, a empresa Intacto se desenvolveu na área de tecnologia da informação oferecendo pesquisas e projetos para a televisão digital. “Começamos nossos trabalhos em uma garagem com equipamentos próprios, cada um levava o que tinha. O investimento inicial foi pequeno, não passou de R$ 1,5 mil, mas tivemos um retorno rápido”, revela Fabrício Nogueira, 28 anos, sociofundador da empresa. A startup foi registrada oficialmente em 2006 e os empresários começaram a comercializar mais. Chegaram a ganhar prêmios e reconhecimento nas feiras de tecnologia. Um dos principais produtos do negócio é o QualCanal.TV, que mede a audiência das emissoras por meio das redes sociais. As ideias inovadoras rederam frutos para o grupo de empresários. Eles venceram edital de licitação para o desenvolvimento de softwares e fecharam um contrato anual de aproximadamente R$ 1 milhão com o governo federal.

Um salão só para unhas
Uma temporada em Paris despertou o espírito empreendedor de Andressa Pádua, 30 anos. Formada em direito, ela sabia que tinha duas opções: estudar para concursos públicos ou abrir o próprio negócio. Resolveu investir na última e o passeio pela Europa fez com que percebesse que a paixão pelos esmaltes poderia virar um grande empreendimento. Quando apresentou a ideia, foi chamada de louca por amigos e familiares. Como um salão poderia dar certo sem cabeleireiros e maquiadores? Mesmo assim, ela sabia que estava indo pelo caminho certo. Se funcionava em outros lugares, como em aeroportos dos Estados Unidos, poderia perfeitamente funcionar em Brasília. A aposta de Andressa mostrou estar certa. A Unha de Gata vai completar dois anos e faz sucesso entre as mulheres da capital ao oferecer um serviço diferenciado. Apenas tratamentos para unhas e depilação têm espaço no salão de beleza de Andressa. “O segredo é você saber trabalhar e ter profissionais qualificados.”

Tags:

publicidade

publicidade