SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

PERFIS DE SUCESSO

Das redes sociais ao endereço comercial

Divulgação pela internet impulsionou a venda dos doces feitos pela empresária, que decidiu abrir uma loja

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/07/2013 18:59

Mariana Niederauer

Viola Junior/CB/D.A PresS
A paixão pelos doces começou desde pequena para Karla Sousa, 29 anos. Ela aprendeu várias receitas durante os cursos que fez com a mãe, que é confeiteira. Mas logo descobriu o talento para criar os próprios sabores. “Nunca gostei daqueles brigadeiros enroladinhos, por causa dos confeitos, que eram muito ruins. Eu fazia o brigadeiro em casa e comia na panela”, conta. Depois de visitar algumas lojas especializadas em São Paulo, gostou da ideia de fazer brigadeiros com vários ingredientes e decidiu testar receitas em casa. Depois de passar uma semana na cozinha, ela tinha 46 sabores para oferecer. Começou a divulgar intensamente os produtos por redes sociais e foi um sucesso.

As encomendas não paravam de chegar. Karla fazia 700 doces por mês e viu que não dava mais para ficar apenas produzindo em casa. Decidiu abrir uma loja. Após algum tempo de pesquisa, encontrou um ponto no bairro Sudoeste e investiu numa grande reforma, para deixar o local com a cara que ela queria. Contratou arquiteto e pedreiros. A intenção era abrir as portas logo no início do ano, com tranquilidade para aproveitar uma das melhores épocas no ramo, a Páscoa. Mas a obra se estendeu por muito mais tempo do que a empresária esperava. Quando a Brigadeirando estreou, há um ano e três meses, tinha apenas um balcão e a força de vontade da dona, que trazia os quitutes feitos em casa para vender.

Pouco tempo depois estava, tudo no lugar. As paredes pintadas de rosa claro e com papel de parede floral expressam toda a delicadeza dos produtos comercializados. O ambiente fica completo com mesas para receber os clientes, balcão e prateleiras exibindo os produtos e, é claro, muito brigadeiro. Essa é a filosofia da loja, servir doces que tenham na receita o brigadeiro. São tortas, cupcakes, cappuccino, pães de queijo, croissants, brownies, chocolate quente e a receita original, servida também em vários formatos: de colher, enroladinho e coberto com confeitos, em marmitas, formas de noivinhos para casamentos ou panelinhas. Todos os dias da semana a loja oferece 18 sabores fixos do doce e as receitas do dia, que variam. Tem brigadeiro de escondidinho de trufa, de caipirinha, de ovomaltine, de pistache, de avelã, de pimenta, de mel com damasco e muitos outros.

Início
Antes de ter a ideia de fazer uma loja só de brigadeiros, Karla já aprimorava os dons artísticos e culinários. Tudo começou quando ela resolveu aprender a fazer noivos de biscuit para enfeitar o topo de bolos de casamento. Esculpidas nos mínimos detalhes, as peças fizeram sucesso, e encomendas chegaram até do Paquistão. Acostumada a cozinhar também os doces das festas de família, os cupcakes que fez para a festa da sobrinha chamaram a atenção de uma noiva, que pediu, além dos noivos de topo do bolo, que ela fizesse também os cupcakes para o casamento. Era um grande desafio para alguém que nunca tinha trabalhado na área, mas Karla estava disposta a enfrentá-lo. “A noiva gostou demais e divulgou no blog dela”, conta.

No início, a empresária chegou a se preocupar com a sobrevivência da loja, mas logo no primeiro mês o empreendimento se manteve sozinho. Hoje, a empresária comercializa 6 mil doces por mês, e até o marido deixou o emprego para ajudá-la. Mas o que faz de uma receita tão comum, presente em todas as festas de aniversário infantis, ser um sucesso de vendas? “O brigadeiro é um doce essencialmente brasileiro”, destaca Karla. Porém, o uso de ingredientes sofisticados, como o chocolate belga, dá outro nível à receita. “Hoje, o diferencial é a qualidade do produto”, atesta. Além disso, o apelo às lembranças caseiras dos clientes, com um produto artesanal, feito com carinho e delicadeza atrai o público.

Um dos maiores desafios da empresária é o mesmo enfrentado pela maioria dos empreendedores: a falta de mão de obra qualificada. “Prefiro contratar pessoas para eu treinar e ensinar a fazer da forma que a Brigadeirando faz”, explica. Além disso, foi difícil fechar parcerias com distribuidores no início, pois grande parte exige que a empresa tenha fechado outras compras para facilitar o pagamento.

Karla já começou a fazer pesquisas para expandir o negócio e está analisando qual será o melhor ponto para abrir uma nova loja. Também está planejando a a gestão do tempo para coordenar os dois empreendimentos, já que faz questão de acompanhar de perto a produção dos doces na cozinha. E não deixou de lado a divulgação pelas redes sociais. Os seguidores na internet ficam sabendo das novidades da loja em primeira mão e ainda têm a oportunidade de participar de promoções on-line. O objetivo da empreendedora, agora, é manter a qualidade e sempre apresentar novidades para manter a clientela fiel. “Eu vou para minha casa e chego morrendo de vontade de fazer novas receitas. Eu me sinto realizada, amo o meu trabalho.”
Tags:

publicidade

publicidade