SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

15.327 inscritos no Mais Médicos ainda precisam regularizar situação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2013 17:13 / atualizado em 26/07/2013 18:05

O Programa Mais Médicos registrou a inscrição de 18.450 profissionais, mas apenas 3.123 entregaram os documentos necessários. Do total de inscritos, 8.307 foram cadastrados com o registro nos conselhos regionais de medicina (CRM) inválidos. Os médicos brasileiros que ainda estão com o cadastro pendente têm até a meia-noite de domingo (28) para regularizar a situação.

Os médicos brasileiros poderão, no ato da inscrição, escolher seis opções de cidades em que desejam trabalhar. O registro está disponível na internet, no Sistema de Gerenciamento de Programas do Ministério da Saúde.

Outros 1.270 médicos que se inscreveram são residentes. Se esses quiserem confirmar a participação do programa solicitar nas cordenações dos cursos um certificado de desistência da especialização por meio da residência.

O balanço foi divulgado pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante coletiva na tarde desta sexta-feira (28). Segundo os dados apresentados, o índice de adesão dos municípios brasileiros foi de 63%, totalizando 3.511 cidades que solicitaram reforço de profissionais de saúde na assistência básica.

"Ficamos muito satisfeitos com a participação dos municípios. Nunca tivemos uma adesão tão grande a um programa federal em apenas 15 dias”, avaliou Padilha. Ao todo, 92% dos municípios com maior déficit de médicos aderiu. Segundo o ministro, a pasta deverá agendar reuniões para entender porque os 8% restantes ficaram de fora.

Desse modo, por enquanto, a demanda de profissionais total é de 15.460 vagas. No entanto, as inscrições serão reabertas em 15 de agosto para que as cidades que, porventura, tiveram algum problema no cadastro, se inscrevam.

Médicos estrangeiros
O balanço revelou que, do total de inscritos, 1.920 profissionais têm diplomas emitidos por instituições estrangeiras. A maioria dos estrangeiros vem da Argentina, Espanha e Portugal. Para esse grupo, o prazo para entregar todos os documentos encerra em 8 de agosto.

Os profissionais que se graduaram no exterior receberão treinamento durante três semanas para melhorar o português e aprender sobre o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS). Depois desse período, eles serão acompanhados por tutores e professores de 41 universidades federais em todo o país. Segundo Padilha, esses profissionais não precisarão passar pelo Sistema de Revalidação de Diplomas de Médicos (Revalida), mas ficarão restritos a atuar no programa.

Agenda
A lista com a primeira chamada, incluindo os nomes com os médicos brasileiros selecionados, sai em 1º de agosto. Eles têm até o dia 3 para assinar o termo de compromisso, que confirma a participação do profissional no programa.

Entre os dias 4 e 6, as vagas que sobraram serão disponibilizadas para inscrição dos médicos formados em instituições estrangeiras. Os médicos começam a trabalhar em suas respectivas regiões em setembro. Depois disso, os médicos que decidirem aderir ao programa poderão fazê-lo mensalmente.

Boicote
O ministro da Saúde comentou uma denúncia de boicote e sabotagem ao programa. Segundo ele, um movimento nas redes sociais incentivava as incrições e, posteriormente, a desistência do programa. Padilha garantiu que uma investigação está sendo conduzida para identificar se essa é a razão para o elevado número de inscrições com CRMs inválidos."Adotamos medidas para proteger tanto o médico que quer participar quanto a população que precisa do serviço. Só a Polícia Federal poderá dizer se existiu sabotagem ou não."

Tags:

publicidade

publicidade