Papai Noel chegou mais cedo

O comércio já iniciou as contratações de profissionais para representar o personagem mais querido do Natal. Salários podem alcançar R$ 12 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2013 20:00 / atualizado em 27/10/2013 16:57

Carlos Moura/CB/DA Press
Além da chegada das luzes coloridas e das árvores enfeitadas, o último trimestre do ano significa ofertas de empregos temporários no comércio para vendedores e auxiliares, mas outro profissional também é muito requisitado no Natal: o Papai Noel. Com uma faixa salarial que varia de R$ 5 mil a R$12 mil por temporada, a presença do Bom Velhinho é requisitada em shoppings centers e no comércio de rua da cidade. Também serão contratados noeletes, ajudantes, duendes. A expectativa é de que sejam criadas cerca de 200 vagas, segundo estimativas dos grupos de recrutamento especializados de Brasília.

Embora gratificante, ser escolhido para incorporar o personagem não é algo simples. São, em média, 50 dias de jornada — incluindo sábados, domingos e feriados — e a carga horária é de oito horas. Para aguentar o ritmo de trabalho, os candidatos passam por avaliações de saúde, afinidade com crianças, maneiras de lidar com o público, histórico de vida e de trabalho, pontualidade e carisma. A aparência típica também é determinante. “Tem alguns candidatos deixando a barba crescer e fazendo clareamento para ficarem mais parecidos”, conta Cinthia Almeida, sócia da empresa de organização de eventos Vértice Associados. Na equipe de Cinthia, a maioria das barbas são originais. A maioria dos shoppings já fechou as contratações, mas ainda há vagas para o comércio de rua e eventos particulares.

Dedicação e delicadeza
O aposentado dos fuzileiros da Marinha Fernando Xavier, 57 anos, natural de Morada Nova de Minas (MG), transforma-se no Papai Noel do Brasília Shopping há 13 anos e explica que cada detalhe, das botas feitas por encomenda às luvas que ele mesmo confecionou, precisa estar em dia para viver o personagem. “Minha barba e meus cabelos são pretinhos, e levo quatro dias para deixar tudo branco e macio, pois, senão, as crianças percebem”, brinca.

Das histórias que presenciou ao sentar na cadeira com detalhes vermelhos, Fernando lembra da vez em que um adulto se aproximou para contar a situação em que vivia e parabenizou o aposentado pelo serviço feito ao trazer felicidade para os visitantes do local e, no fim, pediu um abraço. “Não é algo fácil, você pode ser bem-sucedido e perder o emprego no fim. O Papai Noel precisa ser gentil e saber conversar, pois ver a alegria das pessoas, sejam elas crianças ou já crescidas, é algo maravilhoso. Mas, para isso, é necessário saber lidar com as diversas situações com calma e profissionalismo”, conta.

O desejo de trabalhar com crianças e a renda extra foram as motivações para estudante de psicologia Amanda Ramos Dantas, 19 anos, se inscrever como auxiliar de Papai Noel pela primeira vez. Até a véspera de Natal, a jovem ocupará o cargo de noelete, funcionária que ajuda na organização das visitas ao Bom Velhinho. Amanda conta que foi convidada para o posto devido ao bom rendimento em outro trabalho, que exigia o contato com os pequenos. Ela acredita que a experiência ajudará também na formação superior. “Tenho o desejo de trabalhar com crianças na minha profissão, sem falar que a função envolve lidar com algo especial, como o Papai Noel e o Natal”, justifica.

A gerente de Marketing do Brasília Shopping, Maíra Garcia, explica que a busca por noeletes começa em agosto, com processos seletivos e conversas com psicólogos. De acordo com a gerente, os atributos necessários para assumir a posição são gostar de trabalhar com crianças, saber se comunicar com os pais e ter, no mínimo, 18 anos. “Além de acompanhar o Papai Noel, elas ficam responsáveis por controlar as filas e o tempo, para evitar transtornos na hora das visitas.”

Como se inscrever

Para concorrer aos postos de trabalho, envie o currículo para grupociranda@gmail.com ou cinthiaoalmeida@gmail.com
Tags: