SIGA O
Correio Braziliense

PRODUTIVIDADE »

O foco dos executivos

Obter resultados é a prioridade da maioria dos profissionais de alta e média gerência brasileiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/03/2014 09:50 / atualizado em 24/03/2014 09:52

Paula Rafiza
Definir prioridades dentro de uma empresa e assim obter sucesso nos resultados é o objetivo de qualquer empresário ou executivo de alta gerência. Mas, para garantir o bom desempenho da empresa  sempre, é importante encontrar o equilíbrio entre metas financeiras, satisfação de funcionários e métodos de gestão eficientes. De acordo com pesquisa feita pela Michael Page, 67% dos executivos brasileiros buscam resultados, 17% têm foco nos processos e apenas 16% dão prioridade às áreas de gestão de pessoas.
Segundo o gerente de Finanças da Michael Page, Alberto Lopes, os números mostram que há uma tendência de profissionalização em todas as áreas das companhias, para que aumentem o faturamento. Quando se trata de foco em resultados, deve-se pensar na balança positiva, ou seja, obter maior lucro no fim do mês. “A maioria está investindo em ferramentas de gestão de alto nível, como sistemas integrados, e estão deixando de lado as antigas planilhas de controle. Na área de gestão de pessoas, há uma maior estruturação física para dar mais conforto aos funcionários, além de ações de engajamento e interação social, buscando assim o melhor retorno dos investimentos”, explica.


Para o consultor Homero Reis, um bom executivo deve basear-se em três pilares: negócio, métodos e processos e desenvolvimento de pessoas. Por isso, é importante haver equilíbrio. “A pesquisa demonstra que a maioria está destinada a se focar em resultados, e, para chegar a metas expressivas, é preciso harmonizar esses três tópicos. Ao ter uma base disso, o sucesso depende também de atitudes adjetivas da gestão, como o clima, o mercado, a conjuntura, entre outros”, diz.


O foco apenas nos resultados pode levar ainda a uma cobrança exagerada e não surtir o efeito necessário, uma vez que a equipe fica sobrecarregada, como lembra a sócia e diretora da Dextera Simone Costa. Ela questiona o fato de a maior parte dos entrevistados terem esse objetivo. “Geralmente, esse é um olhar míope. É preciso respeitar uma série de métodos para alcançar um bom resultado. O executivo, hoje, sofre tanta pressão das altas gerências que não questiona se uma demanda é viável e sobrecarrega toda a equipe. Dessa forma, a credibilidade desse gestor fica abalada e todo um trabalho acaba prejudicado”, comenta. A especialista destaca que é preciso ter uma meta bem definida e analisar se todos os envolvidos são capazes de realizá-la para chegar ao resultado esperado.

Equipe

O trabalho colaborativo é outro ponto destacado por especialistas como essencial para atingir os objetivos traçados na organização. “Os melhores resultados são gerados por meio de uma equipe. Quando há a junção de bons funcionários em um time, em que eles sabem com clareza o que deve ser feito e em qual prazo, o gestor não precisa se estressar e criar conflitos com a cobrança frequente”, diz a psicóloga e coach Júlia Ramalho.


Ela destaca ainda que o gestor precisa deixar de ser apenas uma pessoa que cobra resultados para se tornar um verdadeiro líder. E esse trabalho não pode ser substituído por nenhum mecanismo tecnológico: o executivo precisa estar em contato direto com a equipe, atento a funcionários desmotivados ou com baixo rendimento, e dar a eles oportunidades de expor os problemas. “Fazer reuniões para escutar a equipe é muito importante, mas, muitas vezes, com ações como um simples happy hour, ou uma conversa mais descontraída, o gestor pode detectar falhas que prejudicam os resultados técnicos”, ressalta Júlia.


Na rede de supermercados Super Maia, o trabalho tem foco pluralizado e dividido entre os diversos setores da empresa. A área de negócios, por exemplo, é responsável pela parte administrativa, e a de Recursos Humanos, por desenvolver diversas ações com jovens aprendizes, estagiários e treinamentos para gerentes, além de promover ações com o objetivo de diminuir a rotatividade de funcionários, como explica Nayra Maia, membro do conselho administrativo do grupo.


Segundo ela, a rede desenvolve métodos de pesquisa e mensuração em todas as áreas, com o objetivo de definir metas futuras da empresa. “A partir de indicadores reais, analisamos a satisfação dos nossos funcionários. Ao investir em pessoas, estamos também investindo e visando resultados mais duradouros”, completa.

 

América Latina
O levantamento, publicado em fevereiro deste ano, ouviu 1.423 profissionais de média e alta gerência na América Latina e mostrou que 58,6% dos executivos latino-americanos trabalham com foco em resultados, 24,4% em pessoas e recursos humanos e 17% em processos e metodologias. 

Tags: