SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Passos cautelosos

Os primeiros meses do ano serão essenciais para os novos investimentos e negócios já consolidados. Um bom planejamento é a melhor estratégia para os empreendedores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/12/2014 11:11

Antonio Cunha/CB/D.A Press
Mal acabou o ano e o governo já anunciou aumento de taxas. Especialistas imaginam um cenário difícil para os primeiros meses da economia brasileira. Entre tantas análises e prognósticos, a realidade é: a economia brasileira passa por desaceleração do crescimento e alta da inflação. Não só os empresários como também toda a população sofrerão com as incertezas do mercado em 2015. Com todos os receios com que o Brasil começa o ano, será que 2015 será um bom momento para empreender?


Para o economista César Bergo, um planejamento correto é a saída para o empresário viabilizar a abertura do seu negócio ou a expansão, mesmo em tempos de crise econômica. Apesar de todas as dificuldades de se abrir uma empresa, o fator que mais pode influenciar os planos do empreendedor para 2015 é o crédito. “O risco aumentou pelo fato da taxa estar elevada. Quem tiver que financiar o empreendimento vai encontrar dificuldade. Por outro lado, a taxa de juros para investimento tem momento oportuno. Do ponto de vista econômico, vai existir o custo de oportunidade”, explica.


É com cautela e analisando as respostas do mercado, nos primeiros meses do ano, que os empresários Cristobal Mujica, Helena Brandão e Mirella Montella pretendem expandir a Dulce Patagonia, empresa especializada em alfajores e outros produtos chilenos e argentinos. A produção caseira marcou o início da empresa. Em março, abriram a loja que termina o ano superando as expectativas traçadas pelos empreendedores. “No Chile, trabalhava na área do turismo, mas sempre gostei de fazer doces. Quando cheguei em Brasília, vi uma oportunidade para começar um negócio. Aqui, não havia oferta de produtos característicos do meu país e da Argentina. Adaptei a receita da família para o gosto dos brasileiros; por isso há muita saída”, conta Cristobal, chef responsável pela fabricação das iguarias da marca.


O plano para a Dulce Patagonia é continuar a crescer no próximo ano. “Ouvimos que a economia não está bem, mas o que sentimos do mercado em 2014 foi diferente. Os planos de expansão são para atender a demanda dos nossos clientes. Nossos passos são sempre com muita cautela, de acordo com o que podemos alcançar. Mas queremos investir na cozinha para aumentar a produção”, pondera Cristobal.

 

Palavra de especialista

 

Siga com cuidado
“As empresas maiores estão com receio sobre o mercado e isso acaba refletindo nos pequenos e médios negócios. O início de 2015 será marcado por um cenário econômico temeroso por causa da alta do dólar, aumento da inflação e da taxa de juros. Acredito que seja mais cauteloso esperar para investir. De todo modo, é necessário fazer um bom planejamento, com pesquisa de mercado e melhores fornecedores, considerando o aumento de custos da produção ou serviços. Outro ponto importante é garantir os recursos financeiros para garantir o empreendimento.“

César Bergo, economista

publicidade

publicidade