Força, foco e capacitação

Especialistas indicam que cursos e palestras ajudam a garantir o bom andamento de um negócio. Calendário do Sebrae oferece mais de 200 atividades para a consolidação de uma empresa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/02/2015 08:00 / atualizado em 06/02/2015 20:12

Weudson Ribeiro/Esp. CB/D.A Press
Conhecer a realidade do mercado, contar com apoio e orientação de profissionais especializados e planejar o negócio são fatores essenciais para se alcançar sucesso em um empreendimento. Especialistas sugerem que a participação de novos empresários e aspirantes a empreendedores em atividades de capacitação podem fazer a diferença na consolidação de uma empresa. Com mais de 200 eventos voltados para empreendedores agendados no primeiro semestre deste ano apenas no DF, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Nacional (Sebrae) aparece como boa oportunidade para quem deseja se dar bem no negócio próprio. “São palestras, cursos, oficinas, seminários e missões empresariais para os pequenos negócios, que representam 20% do PIB (Produto Interno Bruto), cerca de R$ 1 trilhão do total”, explica Claudia Trindade, analista de educação da instituição.

Dono do canil Ita Raizama, criado em 2012, em Taguatinga, o veterinário Yuri Francis Ferreira, 25 anos, pretende expandir os negócios e abrir um pet shop. Para alcançar a meta, ele não poupa ao investir em qualificação. “O importante é sempre crescer. Com essas palestras e oficinas, encontro mais motivação para seguir em frente. Sou veterinário por formação, mas não possuía conhecimento formal sobre empreendedorismo. Com os cursos voltados à gestão de finanças e planejamento estratégico do Sebrae, acredito que vou progredir quando começar a nova empreitada”, diz.

Outro empresário que aproveita as ofertas de capacitação do Sebrae é José Francisco da Silva, 37 anos, dono da JF Emergência do Lar, empresa de serviços gerais aberta há um ano no Guará 2. O negócio conta com dois funcionários, e o dono planeja aprimorar as técnicas de gestão e investimento com a ajuda de palestras, oficinas e cursos. “Seguindo um plano de negócios, posso ter a noção de quanto gastar em pessoal, ferramentas. Como pretendo contratar mais três funcionários até o ano que vem, aprender como lidar com lucros e investimentos é indispensável”, declara.

Em busca de atualização
Graças a uma experiência inusitada, o professor de educação física Eduardo Lustosa, 29 anos, teve a ideia de abrir a própria empresa. Vítima de um sequestro relâmpago em que perdeu o carro, não pensou duas vezes: com o dinheiro do seguro, investiu em um sonho antigo e comprou, em maio de 2012, a Uniclass Fitness, academia que mantém em sociedade com os pais. Com 50 funcionários, divididos entre as unidades do Paranoá e do Cruzeiro, hoje a empresa recebe mais de 1,5 mil clientes. “O negócio deu mais certo do que eu esperava. Agora, planejo abrir mais uma academia no Plano Piloto, nos próximos dois ou três anos”, conta. A capacitação foi a chave para o crescimento: desde 2011, Eduardo fez 15 cursos no Sebrae e pretende continuar neste ritmo. Ele também incentiva a capacitação da equipe por meio da participação em palestras e cursos oferecidos pela instituição. “O maior obstáculo, no início, era gerir o pessoal. Com cursos de empreendedorismo, aprendi como administrar, já que o negócio gira em torno, inclusive, do público interno. Com uma equipe capacitada, não só a empresa cresce, mas também os próprios funcionários”, explica o vencedor da categoria Serviços no Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas (MPE Brasil) em 2014.

País empreendedor
Ao lado da China e dos Estados Unidos, o Brasil lidera o ranking de países com o maior número de adeptos da iniciativa empreendedora, segundo pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2012, contando, na época, com 27 milhões de investidores em pequenos negócios. Segundo Ricardo Vargas, gerente de Soluções e Inovações do Sebrae Nacional, esse número continua crescendo devido à abertura de possibilidades para o empreendedor iniciante. De acordo com o especialista, para garantir o sucesso na empreitada, considerar cursos pró-empreendedorismo renomados é uma ótima ideia. “Não existe fórmula para o sucesso, mas qualificação, associada a um bom planejamento, pode garantir a longevidade de um negócio. Além disso, persistência e força de vontade são chaves para o crescimento”, alerta.

Já Marcus Quintella, coordenador do MBA em empreendedorismo da Fundação Getulio Vargas (FGV) no DF, ressalta que não se pode apostar apenas no fator vontade. O empreendedor precisa estudar detalhadamente o mercado em que pretende atuar, conhecer produtos e serviços de concorrentes e a área de influência do futuro negócio. Com base em números oficiais, o professor lembra que a taxa de mortalidade das micro e pequenas empresas é alta, em comparação a casos de sucesso. De acordo com o Conselho Federal de Contabilidade (CFC), nove em cada 10 empreendimentos no Brasil são classificados como micro ou pequenas empresas. Ainda segundo a instituição, cerca de 71% dessas empresas fecham antes de completar cinco anos.

Instabilidade econômica, dificuldade para aquisição de financiamentos, juros altos e queda do poder aquisitivo são apontados como possíveis razões para a falência desses negócios. “Entre as principais razões para a mortalidade precoce das empresas, estão a falta de planejamento e o descontrole na gestão. O problema é que apenas casos de quem deu certo são mostrados como se fossem unânimes, e o aspirante a empreendedor acha que é fácil chegar lá na base da sorte, da força de vontade ou do poder financeiro”, avalia Marcus Quintela. Segundo ele, a troca de experiências com outros empresários é o que determina o fôlego de uma empresa. “Conhecimento é a base para a tomada de decisões. Independentemente do tamanho do investimento, a participação em cursos, palestras e exposições é de extrema importância, já que esses eventos fazem com que possíveis oportunidades sejam vistas. O ambiente é propício para conhecer outras realidades, fechar negócios e saber o que o mercado está buscando”, conclui.

Confira a lista completa de cursos, palestras e oficinas oferecidos pelo Sebrae no primeiro semestre de 2015 pelo site.