SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ORIENTAÇÃO VOCACIONAL »

Faça a escolha certa

Decidir qual carreira seguir nunca foi fácil, mas o ensino médio também não tem ajudado os jovens. Universidades oferecem programas especiais para promover a descoberta de novas áreas e afinidades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/07/2015 11:13

Gustavo Moreno/CB/DA Press
Letícia Gomes, 18 anos, está no primeiro semestre de biotecnologia na Universidade de Brasília (UnB), mas considera mudar para letras ou comunicação organizacional. “Acabei decidindo influenciada pelos meus pais e pelos professores. Por ser um mercado novo, achei que me adaptaria”, afirma. Segundo a jovem, a escola não a preparou para decidir a profissão a seguir. “O ensino médio está mais focado em fazer o aluno passar no vestibular — independentemente do curso”, explica

Pressão para ser aprovado, expectativas de pais e professores, falta de autoconhecimento. São vários os fatores que podem levar um estudante a escolher um curso em que não se encaixa. No futuro, a escolha pode resultar em uma carreira malsucedida e pouco produtiva. Para prevenir frustrações, a experiência prática (por meio de feiras de profissões, estágios, atividades extracurriculares e outras opções) pode ajudar. “As dificuldades se apresentam para pessoas que ainda não sabem quem são nem do que gostam de verdade”, afirma Simone Maia, diretora técnica da consultoria Véli RH. O resultado dessa confusão toda é mau desempenho no curso, no estágio e, futuramente, na vida profissional.

O orientador vocacional Maurício Sampaio explica que o estudante deve se conhecer e descobrir os próprios interesses. “Preste atenção aos detalhes do dia a dia. Quais canais você segue no YouTube? De quais tipos de blog você gosta? Tudo isso pesa.” Os jovens também podem observar atividades que executam com mais facilidade em relação aos colegas. Pesquisar as opções de cursos e universidades e conversar com profissionais da área para entender a rotina da carreira também é importante.

Segundo a pedagoga Raquel Caruso, um erro comum é o estudante se guiar pelas matérias de que não gosta. “O aluno vai para a educação física achando que vai fugir da matemática, mas isso não se concretiza”, exemplifica.

Aos 17 anos, Mariana Peixoto fez essa opção. Ela queria cursar engenharia civil e se matriculou em um curso técnico de edificações, o qual abandonou após perceber que não se adequava ao perfil dela. Um ano depois, a estudante está no primeiro semestre de administração, mas sente que não se encaixou e procurou, então, o acompanhamento vocacional da Universidade Católica de Brasília (UCB), que oferece visita guiada ao câmpus a jovens do ensino médio. “Com os testes vocacionais, percebi que, realmente, estava no curso errado.”

Ensino médio modelo
Os colégios Juarez Wanderley e Casimiro Montenegro Filho, localizados em Botucatu e dirigidos pelo Instituto Embraer, selecionam estudantes da rede pública de cidades do interior de São Paulo para bolsas de estudo. Desde 2006, os alunos do ensino médio participam do Programa de Preparação para a Universidade (PPU). Com carga de seis horas semanais, a iniciativa é dividida em duas etapas. No primeiro ano do ensino médio, o aluno participa de atividades de humanas, exatas ou biológicas. No ano seguinte, ele escolhe se dedicar a apenas uma das áreas. O terceiro ano é reservado aos estudos para o vestibular. “O trabalho é para que eles, primeiramente, se conheçam e, depois, se desenvolvam”, explica Mariana Luz, diretora superintendente do Instituto Embraer.

Eduardo Rodrigues, 22 anos, está no último ano do curso de administração na Etep Faculdades em São José dos Campos e avalia que a experiência foi útil: “No PPU, a gente aprende conceitos como proatividade e liderança. Isso vale para o mercado de trabalho”, elogia.

Simulados premiados
Na plataforma Missu, os usuários podem realizar simulados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A partir dos resultados, o estudante acumula moedas virtuais que podem ser revertidas em smartphones, tablets, vale-compras e em tours para qualquer universidade do Brasil. Para participar, o usuário assina um plano gratuito, ou de R$ 29,90 a R$ 79,90. É possível parcelar o valor em até seis vezes. Acesse pelo site www.missaouniversitario.com.br.

Procure orientação no DF
Universidade Católica de Brasília (UCB)
» Por meio do Projeto de Orientação Vocacional (POP), organiza visitas ao câmpus da UCB, palestras e oficinas de orientação profissional para escolas e estudantes, que podem procurar o serviço para agendar atividades. Já o Serviço de Orientação e Acompanhamento Psicopedagógico (Soappe) realiza atendimentos psicopedagógicos, oficinas de comunicação em público e orientação pedagógica e profissional para estudantes da UCB. Contatos: pop@ucb.br / 3356-9323.

Universidade de Brasília (UnB)
» No Serviço de Orientação ao Universitário (SOU), psicólogos e técnicos educacionais oferecem atendimento voltado para adaptação ao curso e ao ambiente universitário, orientação profissional e mudança de curso. Contato: 3307-2669.

» Escolas podem agendar, por meio da Diretoria de Esporte, Arte e Cultura (DEA), o passeio Tour no câmpus científico, em que os estudantes visitam o Hospital Veterinário, o Museu de Anatomia e os laboratórios de física e química da universidade, às terças e quintas, das 8h às 12h. É possível marcar visitas à UnB também durante a Semana Universitária, em que ocorrem oficinas e mostras de cursos, normalmente no segundo semestre de cada ano. Contato: 3107-6795.

publicidade

publicidade