SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

MUDANÇA »

Lição para empreender

Antes de largar o emprego e tentar um negócio, é preciso planejar e aproveitar oportunidades, em vez de levar em conta apenas a necessidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2015 09:27 / atualizado em 13/07/2015 09:28

Juliana Espanhol

Carlos Moura
A insatisfação no ambiente de trabalho é um problema que atinge cada vez mais pessoas. Segundo pesquisa da International Stress Management Association (Isma Brasil), 72% dos trabalhadores estão descontentes nesse quesito. De acordo com o levantamento, realizado no fim do ano passado com profissionais das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, as principais reclamações têm a ver com falta de reconhecimento, excesso de tarefas e problemas de relacionamento. Diante de um cenário como esse, muitos apostam no empreendedorismo como saída. Foi o caso de Marcelo Sousa, 35 anos, franqueado de uma empresa de comércio de colchões há dois anos e meio. Educador físico de formação, ele fez carreira na área de autopeças, passando de auxiliar de estoquista a representante comercial em cerca de 15 anos.

No entanto, as mudanças constantes de local de trabalho constantes passaram a incomodá-lo. “Em 2009, conheci a franquia. Durante um tempo, trabalhava na empresa de autopeças durante o dia e era vendedor de colchões à noite, de porta em porta”, relembra Sousa. Quando a franqueadora passou a exigir ponto fixo para continuar no negócio, ele teve uma atitude radical: vendeu o apartamento onde morava e, com o dinheiro, teve recursos para reformar uma loja no centro de Taguatinga. “Sou casado e tenho três filhos, mas em nenhum momento tive dúvidas sobre a minha decisão porque minha esposa me apoiou. Antes de tomar esse passo, procurei me capacitar para ter mais conhecimento sobre gestão”, afirma.

Vontade coletiva
Cerca de 38,5 milhões de brasileiros sonham em fazer parte do time de Marcelo Sousa. Segundo pesquisa do instituto Data Popular divulgado no final de junho, 28% dos brasileiros querem empreender. Em 2013, o percentual era de 23%. De acordo com o levantamento, 78% das pessoas que desejam abrir o próprio negócio estão se preparando: 38% pesquisam a área em que desejam atuar, 28% guardam dinheiro para investir e 12% se aperfeiçoam em cursos e estudos. Procurar orientação sobre a área em que pretendem atuar é passo fundamental para obter sucesso na opinião do consultor de empresas Guilherme Mendes. “Empreender não é uma decisão fácil e também não se pode começar com a ideia de que tudo vai dar super certo. É preciso planejar e aproveitar oportunidades, em vez de levar em conta apenas a necessidade”, diz.

Entre as medidas que devem ser tomadas antes de pedir as contas, estão descobrir se o produto ou serviço a ser oferecido tem demanda, analisar a concorrência e, de preferência, elaborar um plano de negócios. “Não recomendo sair do trabalho sem ter algo encaminhado. Você pode aproveitar a noite e os fins de semana para se dedicar às pesquisas sobre o negócio”, orienta Mendes. “Quando tiver uma posição definida, conte para o chefe imediato e para o setor de recursos humanos com antecedência”, diz.

 Do outro lado da história, a gerente de RH Mara Bonafé, da Employer Recursos Humanos, recomenda cautela a quem decide deixar o emprego. “A pessoa deve tentar sair bem com todo mundo, agindo com educação. Um bom funcionário pode voltar para a empresa normalmente se tiver o cuidado de deixar as portas abertas”, diz. Para o gestor que se vê diante de um funcionário insatisfeito, ela aconselha a busca das razões para tanta desmotivação. “Não podemos desprezar mão de obra qualificada. Se o problema é salarial, o gestor pode estudar a possibilidade de um aumento. Caso seja uma questão interpessoal, com colegas ou chefia, pode-se organizar uma reunião para amenizar o conflito ou sugerir mudança de setor”, diz.

"Antes de tomar esse passo , procurei me capacitar para ter mais conhecimento sobre gestão”
Marcelo Sousa, franqueado de uma loja de colchão

Saída segura


Confira dicas para não se queimar ao deixar para trás o emprego e correr atrás do seu projeto

» Aja com educação: evite conflitos desnecessários que possam comprometer sua imagem.

» Deixe as portas abertas: bons funcionários têm espaço para voltar caso a empreitada dê errado.

» Abra o jogo: se o motivo para sair da empresa vai além do puramente profissional – por exemplo, falta de tempo ou problemas familiares —, pode ser útil revelar a situação a fim de, talvez, receber uma contraproposta.

Fonte: Mara Bonafé, gerente de RH da Employer Recursos Humanos

publicidade

publicidade