SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Experiências femininas de sucesso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2015 09:29 / atualizado em 13/07/2015 09:30

Carlos Moura
Elas mudaram de carreira e, agora, pretendem ajudar outras mulheres a tomar a mesma decisão. No caso de Fiamma Barbalho, 38 anos, a mudança envolveu deixar o cargo de gerente financeira de uma multinacional da área de mineração para trabalhar por conta própria como coach. “Eu tinha um ótimo salário e muitos benefícios, mas não via mais como crescer na empresa. Não me enxergava lá em 10 anos, e por isso a insatisfação foi crescendo”, conta.

Fiamma é, também, diretora financeira da Associação de Mulheres Empreendedoras (AME), entidade que oferece cursos e orientação a mulheres que querem abrir o próprio negócio. “Além de estar mais satisfeita, posso tirar uma parte do meu tempo para fazer essa contribuição social, orientando mulheres que também querem fazer uma mudança de carreira.”

A empresária Cristiana Mendanha, 37 anos, tem trajetória parecida. Há cerca de três anos, deixou o cargo de gerente comercial numa multinacional farmacêutica para se dedicar à chefia de duas marcas do ramo de beleza: a clínica de estética Duohaus, que já tem três unidades no DF, e a clínica de terapia capilar Sweet Therapy, com dois pontos na capital – ambas são redes de franquias. “O negócio começou pequeno. Durante dois anos, eu trabalhei como gerente na multinacional e na Douhaus, até para analisar se gostava mesmo daquilo e se teria retorno financeiro”, diz. Uma das motivações para a mudança foi melhorar o equilíbrio entre trabalho e vida familiar. “Acredito que hoje eu trabalhe o mesmo em termos de carga horária, mas tenho mais oportunidades de estar com a minha família”, conta.

A diretora social da AME, Renata Queiroz Dantas, 38 anos, deixou para trás o trabalho na empresa da família para fundar a Lavi — detox for life, companhia do ramo de alimentação que oferece menus especializados para aqueles que pretendem levar uma vida mais saudável. “Não estava feliz e decidi que queria construir minha própria trajetória. Minha mãe teve um câncer e, por isso, precisou de uma dieta com restrição de glúten, lactose e açúcar.  Fizemos uma mudança na cozinha dela e comecei a pesquisar mais o assunto”, diz.

Com a iniciativa, ela retomou um interesse antigo. Antes de se formar em hotelaria, Renata cursou nutrição durante dois anos e meio.  “No início, oferecia o serviço de detox para amigos e para a família. Agora, trabalhamos para industrializar uma linha de produtos”, conta. “ Não vejo mais a hora passar, o trabalho não é um peso para mim”, revela.

publicidade

publicidade