SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

APRENDIZADO »

Idioma com um incentivo a mais

Cursos temáticos em língua estrangeira atraem estudantes e promovem uma imersão profunda. Não é preciso sair de Brasília para aproveitar: no DF, há opções que envolvem moda, filosofia e muito mais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/07/2015 10:12 / atualizado em 20/07/2015 13:27

Juliana Espanhol

Carlos Moura

Aprender sobre diversos assuntos e, de quebra, praticar um idioma é a proposta dos cursos temáticos em língua estrangeira. Em Brasília, é possível estudar assuntos como literatura, história e cinema em francês, inglês e espanhol. Para diversificar a grade curricular, escolas de idiomas oferecem formações diferenciadas. É o caso da Aliança Francesa, que tem cursos de história francesa, literatura, moda e filosofia na língua de Molière, além de curso intensivo de degustação de vinhos (o próximo será em agosto) e até aulas de ioga, em que é possível aprender sobre movimentos e partes do corpo na prática.

O engenheiro civil Sérgio Dantas, 47 anos, frequenta as aulas de filosofia há cerca de cinco anos. “São bem práticas e me ajudaram a melhorar minha habilidade de argumentação e de resolução de problemas, algo bastante útil para o ambiente profissional”, afirma. No total, o curso tem duração de cinco semestres, porém, alguns alunos gostam tanto que continuam por mais tempo, como Sérgio.

O sociólogo e professor universitário Luís Otávio Assumpção, 57 anos, também aprova a disciplina. “A filosofia é essencial na formação de qualquer profissional. O fato de a aula ser em francês é uma vantagem dupla”, diz. A disciplina revisa grandes pensadores em ordem cronológica, com debates sobre vários temas. Não há avaliações, o que permite flexibilidade para pessoas com menos tempo para acompanhar as aulas regularmente. Professor responsável pela disciplina desde 2009, o belga David André Ringoir diz que o perfil de quem participa das aulas é diversificado. “Argumentação é algo bastante trabalhado, e quem consegue defender um ponto de vista em francês terá mais facilidade para debater em sua língua materna também”, diz.

 

Carlos Moura

O estudante de ciência política Pedro Augusto de Carvalho Lerbach, 23 anos, teve uma verdadeira imersão em degustação de champanhes e vinhos num curso da escola junto de uma turma de sete pessoas. “Em duas noites, aprendemos sobre os processos de fabricação e a questão técnica de identificar os sabores. Tudo era em francês, mas o professor tinha bastante paciência para explicar algum conceito que alguém não tivesse entendido”, lembra. “O aprendizado de uma língua traz uma bagagem cultural. Foi bom entender como os franceses encaram o queijo e o vinho”, conta. Além da Aliança Francesa, outra opção para degustar vinhos existe no Instituto Cervantes, em que o aluno se aprofunda em vinhos espanhóis. A próxima edição será em 29 de julho (veja quadro).

Incentivo
A estilista Alessandra Zacharias, 33 anos, fez o curso de moda da Aliança. Para ela, o fato de a formação ter um tema específico é um incentivo para aprender a língua. “Isso motiva mais o aluno. Para quem quer se profissionalizar, é uma chance de aprender o vocabulário utilizado no meio da moda”, diz ela, que admira a estilista francesa Coco Chanel. A professora do curso, Vera Passos, explica que os alunos são encorajados a apresentar trabalhos durante as aulas. “Algumas alunas são senhoras, outras estudantes de moda e cinema. No ano passado, encerramos o semestre com um desfile e uma exposição fotográfica”, relembra.

 

Carlos Moura

O coordenador pedagógico da Aliança, Guillaume Perche, afirma que a tendência é que a oferta desse modelo de formação cresça. “Como a prática é de duas horas por semana, os alunos são, principalmente, pessoas que trabalham e que querem ter uma prática regular de língua. Um dos nossos objetivos é iniciar parcerias com outros centros de idiomas de Brasília para oferecer formação trilíngue em tradução”, diz.

No Instituto Cervantes, o ensino de espanhol passa por temas como dança, direito e negociação. Ana Isabel Reguillo Pelayo, coordenadora acadêmica da escola, explica que existem aulas regulares e que grupos podem solicitar cursos customizados. “É preciso ter, pelo menos, cinco pessoas para fechar uma turma. Também oferecemos a opção in-company para empresas. Esse formato é motivador tanto para o professor, por lidar com algo diferente, quanto para o aluno, que estuda algo que o interessa”, afirma.

Onde estudar


Em Brasília
Aliança Francesa

A escola está com matrículas abertas para cursos de ioga, história, literatura, moda e filosofia em francês — as aulas começam em agosto. A próxima edição do curso de degustação de vinhos será entre 12 e 14 de agosto. Informações: www.afbrasilia.com.br ou 3262-7600.

Casa Thomas Jefferson
Os amantes da sétima arte podem discutir sobre filmes em inglês na Movie Talk. Há ainda curso de tradução presencial, e de inglês jurídico, on-line. Informações: www.thomas.org.br ou 3442-5501.

Instituto Cervantes

Interessados em assuntos específicos podem fechar cursos customizados em espanhol. Na oferta de formações especiais, há opções de espanhol jurídico, tradução, negociação e cursos de dança, como salsa e merengue. Em 29 de julho, às 19h, o instituto promove mais uma edição do curso de vinhos das principais regiões produtoras da Espanha. O palestrante é o diretor da importadora B-Cubo. Informações: brasilia.cervantes.es ou 3242-0603.

No exterior
CI

A Central de Intercâmbio (CI) conta com diversos programas temáticos em língua estrangeira em vários destinos. Informações: www.ci.com.br.

Experimento
A agência oferece cursos combinados de idiomas com outros assuntos e de extensão universitária. Informações: www.experimento.org.br.

STB
A Student Travel Bureau (STB) oferece programas de formação profissional no exterior. Informações: www.stb.com.br.

 

 

Passaporte em mãos

 

Arquivo Pessoal

Para quem deseja uma imersão ainda maior, há a opção de fazer um curso temático no exterior e, com isso, turbinar o currículo. Para a consultora de moda Renata Meireles, 24 anos, a experiência foi determinante para a escolha da carreira. Ela se formou em administração no ano passado; porém, estava incerta sobre a área em que gostaria de trabalhar. Por isso, resolveu investir em cursos no exterior sobre assuntos que a interessavam: ela fez dois meses de aulas de moda e inglês em Londres e, depois, um curso intensivo de espanhol e de edição de imagens em Barcelona. “Isso me ajudou bastante a escolher o que eu faria. Estou trabalhando na área desde fevereiro deste ano”, conta. “É um investimento profissional que vale para toda a vida porque treinamos o idioma e aprendemos a nos virar sozinhos.”

De acordo com Bruno Contrera, coordenador de Produto da Student Travel Bureau (STB), essa modalidade de ensino promove uma imersão maior do que aquelas focadas na língua. “Nos cursos temáticos, os brasileiros têm contato com estudantes locais, o que não ocorre quando a pessoa vai fazer aulas de idioma. Registramos um aumento de procura de cerca de 90% nesse modelo de formação no último ano”, afirma. As exigências para participar de um programa como esse variam conforme a instituição de ensino e o certificado a ser obtido. A duração das aulas é flexível, com opções a partir de uma semana de duração.

 

publicidade

publicidade