SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

FáBIO BINDES E LUCAS ESPíNDOLA » Perfis de sucesso

Dupla bem-sucedida

Amigos de infância são responsáveis por rede de comida oriental presente em três regiões do país. Franquia deve chegar às 50 unidades ainda este ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/09/2015 11:54

Juliana Espanhol

Ana Rayssa

 

Com um conceito divertido, que transita entre o restaurante japonês tradicional e a temakeria, um jovem negócio de Brasília vem conquistando o paladar de clientes país afora. Fundada há sete anos, a rede Sushiloko experimentou um crescimento expressivo desde a abertura da primeira loja: hoje, são 45 unidades em oito estados. Até o fim do ano, a franquia espera abrir mais cinco pontos. Além de sócios, os fundadores da marca, Fábio Bindes e Lucas Espíndola, ambos de 30 anos, são amigos de infância. Os dois têm em comum o empreendedorismo no histórico familiar: o pai de Fábio é dono de uma lavanderia e o de Lucas já atuou na área de moda praia e, agora, investe na gastronomia. “Desde pequeno acompanhava a rotina na loja, e acho que isso acabou me influenciando. Sempre busquei algo mais dinâmico, em que eu não ficasse oito horas na frente de um computador”, conta Lucas.

A formação acadêmica também contribuiu para o objetivo de abrir o próprio negócio — ambos optaram por estudar administração de empresas. Antes de fundar a marca, Fábio trabalhou com micro e pequenos empreendimentos, além de ter gerido três franquias de uma rede de fast-food aos 21 anos. Lucas, por outro lado, ocupou o cargo de supervisor de inteligência financeira numa multinacional da área de bebidas. Para eles, investir numa franquia é uma boa opção para entrar no mundo do empreendedorismo, já que o modelo de negócio é pré-testado e mais seguro.

Segredo da vitória
“Abrimos a empresa na época em que as temakerias estavam na moda. No entanto, optamos por um posicionamento mais jovem e colorido, diferentemente dos restaurantes japoneses, que costumam ser bastante tradicionais”, sintetiza Fábio. Outro diferencial foi o menu de refeições rápidas, com opções de combos — pratos combinados com diversas especialidades — individuais. Além dos clássicos sushis e sashimis, eles servem temakis e alguns pratos quentes, como yakissoba. Os restaurantes também têm promoções de acordo com os dias da semana.

Para eles, boas estratégias de marketing, padrão elevado de qualidade e de atendimento são fundamentais para ter sucesso na área de alimentação. “Outra questão é a boa relação com os franqueados. No nosso negócio, a maioria deles têm mais de uma franquia, o que mostra satisfação com a marca”, pontua Lucas. Eles têm três lojas próprias em Brasília. No total, são 23 franquias da rede no Distrito Federal. Os empresários não notaram queda no ritmo de vendas diante da desaceleração econômica por que o país passa. “Os clientes vêm substituindo os restaurantes caros pelos baratos. Como o nosso produto tem preço mais acessível, não percebemos os efeitos da crise”, diz Fábio. Para ele, o fato de a cidade ter alta renda per capita também contribuiu para o crescimento do negócio.

Os planos de expansão da empresa se concentram, principalmente, nas regiões Centro-Oeste e Sudeste. A dupla se espelha num gigante brasiliense do ramo da alimentação — o Giraffas, rede presente em todo o Brasil, que também conta com unidades nos Estados Unidos. Eles têm mantido o ritmo de abertura de 12 a 14 lojas por ano. “Já tivemos o sonho de ser a maior rede do Brasil, mas, hoje, nos concentramos em crescer com qualidade”, afirma Lucas. Sempre em busca de novos produtos para agradar à clientela, a mais recente aposta do Sushiloko é a oferta de paletas mexicanas de sabores como abacaxi com hortelã, paçoca, brownie e banana com nutella. “Sabemos que as paletas têm pouco a ver com o conceito de comida japonesa, mas é um produto que vende bem e que não compromete a agilidade das operações”, conta Fábio.


3
lojas próprias

23
franquias no Distrito Federal

19
franquias espalhadas pelos estados de Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, São Paulo, Mato Grosso e Rio de Janeiro

publicidade

publicidade