SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ARTESANATO »

Espaço para o que é feito à mão

Diversidade de feiras e encontros no DF aparecem como boas oportunidades para divulgar o trabalho. Além de shoppings, Brasília conta com eventos independentes, como o que é sediado numa casa no Lago Norte

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/11/2015 15:32 / atualizado em 15/11/2015 15:37

Paula Braga /Especial para o Correio

Gustavo Moreno

As comemorações de fim de ano e a busca por presentes diferenciados podem representar um bom momento para profissionais que se dedicam à arte de fazer objetos à mão. No Distrito Federal, feiras e pontos de encontro de artesãos são importantes para a divulgação de produtores que, na maioria das vezes, não contam com o espaço de lojas fixas para expor os artigos produzidos. Além da Torre de TV, a capital federal também tem chamado a atenção com grandes eventos, como o Salão Internacional do Artesanato, que realizou a oitava edição na primeira semana de novembro e recebeu cerca de 80 mil visitantes; a Feira de Artesanato do Distrito Federal (Fiarte/DF), prevista para dezembro deste ano; e a Feira Internacional de Artesanato (Finnar), que chegou à nona edição em abril.

A capital federal conta também com eventos independentes. A arte do encontro e outras artes, que ocorre duas vezes ao ano, tem um local inusitado como sede: a casa da artesã Renata De Sordi, 55 anos, no Lago Norte. A programação se repete há 17 anos e se firmou como referência para profissionais da área. A cada edição, participam cerca de 35 artesãos, artistas plásticos e designers. “A ideia é compartilhar o espaço com várias pessoas ligadas à arte”, conta Renata. A 35ª reunião de artesãos vai da sexta-feira (20) ao próximo domingo (22).

 

 

 

 

Entre os expositores desta edição, estão Ivna Mourão e Gustavo Torres, 43. A originalidade dos trabalhos justifica o sucesso dos objetos expostos em diversas feiras. Há 20 anos, ela trabalha com desenhos aplicados em porcelana. Além de miniaturas e acessórios gravados com nomes, Ivna produz artigos personalizados com a história dos clientes. “As pessoas procuram para presentear em aniversários, ocasiões especiais. Faço uma pequena entrevista sobre quem será presenteado e desenho a vida dele na caneca, num prato ou em um quadro”, explica a artesã cearense. Segundo ela, o segmento tem ganhado espaço, e o público continua interessado em adquirir peças desenvolvidas manualmente. “Mesmo na crise, o retorno é garantido para trabalhos benfeitos, criativos e com preço justo”, conclui.

A arte de Gustavo é focada na releitura de artigos com o objetivo de somar novas funcionalidades a objetos do dia a dia. Assim, uma caixa de fósforos ou um porta-copos viram ímãs de geladeira; e um pendurador de chave pode receber qualquer objeto. “Uma vez fiz um desses para pendurar a coleira do cachorro, e até hoje uso para isso. O objeto pode ter a função que a pessoa quiser”, destaca. Para ele, a principal vantagem do trabalho de empresário das artes, como se denomina, é a diversidade do público. “Poder circular é muito legal, falar com quem compra. Acredito que espaços para expor artesanato estão virando uma tendência em Brasília”, comenta o brasiliense.

A artista Cleziana Ribeiro, 37, também está entre os profissionais que ocuparão um estande no espaço. Ela participa do evento há 10 edições e faz esculturas em cerâmica, em que retrata cenas do cotidiano, que variam de 15cm a 1,20m. “São mulheres lavando roupa, mães amamentando, pais com filhos. Uma peça muito procurada é a imagem de São Francisco de Assis”, afirma a artista.

 

Guia de feiras para artesãos 

 

 

A arte do encontro e outras artes
O evento é realizado na casa da organizadora (SHIN, QI 14, Conjunto 8, Casa 23 - Lago Norte) e reúne, além de artigos de artesanato, apresentações culturais e opções gastronômicas. A 35ª edição será entre sexta-feira (20) e o próximo domingo (22). No primeiro dia, o funcionamento vai das 17h às 22h; no sábado, das 10h às 22h; e, no último dia, das 10h às 20h. Para esta edição, não há mais vagas para expositores. A próxima será realizada em maio, ainda sem data definida. A curadoria dos expositores é realizada pela organizadora Renata De Sordi. Há uma taxa para expor. Mais informações podem ser obtidas no site www.artedoencontro.com ou pelo telefone 9942-5125.

Mostra de artesanato do Boulevard Shopping
É realizada no primeiro fim de semana de cada mês. O local recebe artesãos do Distrito Federal e de outras unidades da Federação. Há uma taxa para expor no evento. Os profissionais que desejam participar podem entrar em contato com a curadora, Renata De Sordi, pelo telefone 9942-5125 ou pelo e-mail renatadesordi@gmail.com.

Feira botânica do Águas Claras Shopping
Há três anos, a exposição reúne artigos de paisagismo, artesanato e gastronomia. O evento é realizado na primeira ou na segunda semana de cada mês e conta com a presença de cerca de 35 expositores. Os interessados em participar podem entrar em contato com a curadora, Kézia Pimentel, pelo telefone 8290-0059 ou pelo e-mail keziapimentel1@gmail.com. A taxa é de R$ 350 para expor durante quatro dias.

Expo Estados 2015
A Festa dos Estados do Brasil ocorrerá entre 25 e 29 de novembro e reunirá expressões culturais de diferentes regiões do país. Estão previstas exposições com música regional, comidas típicas, folclore, artesanato, turismo e outras manifestações características. Estima-se a presença de mais de
20 mil pessoas por dia no evento, que será realizado no estacionamento externo do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Brique Parque da Cidade

O evento estreou em novembro e será realizado aos domingos, das 9h às 17h, no Estacionamento 11 do Parque da Cidade. A feira reúne artesanato, antiguidades, colecionismo e artes plásticas. Interessados em participar podem entrar em contato pelo site: goo.gl/tkrUcV.

 

publicidade

publicidade