SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

REDE SOCIAL »

Snapchat para negócios

O aplicativo de transmissão instantânea de fotos e vídeos conta com 200 milhões de usuários mundialmente - público mais do que suficiente para motivar empresários a usarem a plataforma para promover marcas. Saiba como não errar nesse processo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/07/2016 14:49

Gabriele Studart

O Snapchat, mídia social popular entre jovens, tem chamado a atenção de empresários de diversos ramos. As 200 milhões de contas da rede — 150 milhões usadas diariamente — fazem brilhar os olhos de quem deseja aumentar a visibilidade de uma marca, produto ou serviço. Embora não seja ainda o principal canal para promover campanhas, a plataforma vem ganhando espaço como meio de interação com clientes. O aplicativo, criado em 2011 pelo norte-americano Evan Spiegel, permite a usuários tirar fotos e gravar vídeos, com um diferencial: o tempo limitado de exibição, pois, após 24 horas, tudo é excluído automaticamente (saiba mais em Entenda a rede). Segundo uma pesquisa da Comscore, empresa norte-americana de análise da internet, o Snapchat é a terceira rede social mais acessada entre pessoas de 18 a 34 anos. Com 32% de envolvimento, o aplicativo fica atrás do Facebook (75,6%) e do Instagram (43,1%).

O canal pode significar uma oportunidade de mostrar a cultura da empresa e se conectar com o público de uma maneira diferente. Diego Lopes, supervisor do curso de produção de conteúdos e mídias digitais do Centro Europeu, localizado em Curitiba, garante que o aplicativo é a rede social que mais cresce atualmente e que é importante às marcas se atualizarem. “O Snapchat é popular e se adequa bem à necessidade da geração mais imediatista de jovens. Com foco em negócios, é uma ferramenta importante por conta do público-alvo, da rapidez e da abrangência”, observa. A possibilidade de contar histórias e interagir, por meio de fotos e vídeos com hora para expirar, é uma novidade para os empresários. “Eles ainda não conhecem uma forma efetiva para promover suas marcas por lá; mas é possível ser criativo e aproveitar a rede social.” Segundo ele, uma característica diferenciada do aplicativo é a pessoalidade. “Para criar engajamento, o conteúdo precisa ser bom e interessante, mas que trabalhe com os valores da empresa”, revela.

Na opinião de Lívia Dantas, profissional de mídias sociais, especialista em marketing digital pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), os empresários podem se beneficiar ao travar um relacionamento mais próximo com os clientes, mostrando bastidores, fazendo concursos e promoções e ainda receber feedbacks. Mesmo sendo aceito por consumidores mais jovens, o site tem um alcance muito grande. “Um fator que contribui para a popularização do aplicativo é que ele não gera arquivo por ser autodestruidor, além de ser mais dinâmico. Ele tem ferramentas de pincel e emojis sem gerar peso para o smartphone”, acrescenta. Segundo a especialista, cada vez mais empresários e celebridades têm percebido o potencial da rede social para se promover e estão no caminho certo. “Eles precisam se manter atualizados, abrir-se para o novo e interagir com o público.”

Do jeito certo
Para que o ingresso no Snapchat com foco em negócios não seja um tiro no pé, organização e estudo são fundamentais. “Não se faz uma comunicação efetiva sem planejamento. É quase um diário moderno, dá a possibilidade de criar histórias bacanas, mas a empresa tem que ter estratégia de campanha”, alerta Diego Lopes. “A tendência mundial é que os conteúdos de marcas saiam do estático: as pessoas querem interagir. Planejar-se, saber o que quer comunicar, fazer perguntas, pedir feedbacks e ter bom humor são primordiais para os empreendedores conquistaram espaço no aplicativo”, ensina Lívia Dantas. Apesar de o site ser mais informal, um perfil empresarial não deve errar no tom. “Não mostre bagunça, não fale palavrão e não manche a imagem de ninguém. Aposte numa apresentação pessoal arrumada. Além disso, informações sigilosas da empresa não devem ser reveladas por ali.” Afinal, mesmo que o conteúdo suma depois, há um público de olho.

Produtor, músico e apresentador numa rádio, Valternei Serafim de Souza, 37 anos, conhecido como Mr. Pingo, diretor-executivo da produtora musical Sotero. Ele aproveita 10 perfis em redes sociais para promover a própria carreira musical. “O Snapchat é mais intimista, então sou eu mesmo e falo sobre situações engraçadas que passo no dia a dia”, conta.

Paula Montalvão, 25 anos, é dona de uma empresa de cerimonial e eventos que leva seu nome. Focada na organização de casamentos, ela tem interesse em adquirir mais conhecimento sobre o aplicativo para melhorar os resultados. “Eu vi no Snapchat uma forma de me aproximar dos clientes. Eu mostrp bastidores das festas em que trabalho. Como o vídeo é curto, não fica cansativo”, diz ela, que entrou na rede social há dois meses e usa o aplicativo apenas para mostrar detalhes do trabalho, sem revelar aspectos da vida pessoal. Outra vantagem da plataforma é que ela recebe perguntas dos clientes.

A empresa de cosméticos Niely se promove no Snapchat em contas de embaixadoras, como  a cantora Anitta,  a atriz Fernanda Souza e Thaynara OG, celebridade que surgiu com o aplicativo. “Preferimos usar porta-vozes, com planejamento, porque a interface do Snapchat não é tão amigável para marcas”, diz Renan Tavares, gerente de Comunicação e Marketing da companhia.

Entenda a rede
Cada snap (publicação feita no aplicativo) dura de um a 10 segundos, e a imagem ou vídeo pode ser visualizado pelo tempo escolhido (dentro do limite de um dia) pelo remetente, que também decide o público do conteúdo: só um amigo, um grupo ou qualquer um que o seguir. O que circula no aplicativo não fica visível para quem não faz parte da rede. Além da possibilidade de adicionar textos, o usuário pode colocar desenhos e filtros nos conteúdos. Pelo canal é possível iniciar conversas.

Contraponto

Só 24 horas

Marcelo Vitorino, consultor estrategista de comunicação digital, acredita que os esforços que empresários fazem para usar o Snapchat não valem a pena pelo fato de o conteúdo permanecer disponível por apenas 24 horas.“Tem tantas ferramentas para transmissão ao vivo, como Periscope, Facebook e YouTube, então qual a finalidade de investir esforço e tempo em produzir conteúdos que somem em determinado tempo? Os jovens não usam somente Snapchat e também estão em outras redes sociais”, analisa.

publicidade

publicidade