SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

OLIMPíADA DO CONHECIMENTO »

Os jogos do saber

Desafios interativos, exposições e palestras com youtubers, designers, estilistas e outras personalidades são algumas das atrações da competição, que começa esta semana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2016 16:52 / atualizado em 06/11/2016 18:08

Torneio das profissões técnicas em brasília

 

Minervino Junior

Quatro equipes de alunos de cursos técnicos do Distrito Federal se juntarão a um total de 1,2 mil competidores na nona edição da Olimpíada do Conhecimento, maior competição de educação profissional das Américas, a partir da próxima quinta-feira (10), em Brasília. O evento, promovido a cada dois anos desde 2001, continuará até dia 13, domingo. Quem passou pelo Eixo Monumental nos últimos dias deve ter reparado numa estrutura montada nos arredores do Ginásio Nilson Nelson. É num espaço de 50 mil m² — onde até um curral foi montado para os testes de produção leiteira — que estudantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) passarão por provas individuais e em grupo. Os estudantes devem concluir 80% dos projetos coletivos antes do evento.


Além da competição principal, haverá festival de robótica, exposições, palestras e outras atividades. A programação é fruto de parceria entre o Senai e o Ministério da Educação (MEC) e vai além dos desafios. “Será um grande festival de informações sobre o universo das profissões técnicas. O tema central é ‘Escolha’, para que o jovem possa definir de que maneira quer se engajar no mundo do trabalho”, define Rafael Lucchesi, diretor-geral do Senai. Quem pensa em eleger uma profissão terá apoio: “embaixadores” estarão disponíveis para explicar sobre as carreiras técnicas e as médias salariais. Além disso, haverá diversas palestras abertas ao público. “Teremos personalidades que dialogam com as redes sociais e o mundo do trabalho”, afirma o também diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI).


Minervino Junior

Entre os convidados, estão o designer de interiores Marcelo Rosenbaum; o criador do canal do YouTube Manual do Mundo, Iberê Thenório; o estilista Alexandre Herchcovitch; o chef e apresentador do SBT Carlos Bertolazzi; e o blogueiro Hugo Gloss. “São pessoas que vocalizam ambições dos jovens e dialogam com o mundo das profissões”, afirma Lucchesi. “O evento passará a mensagem da importância da educação técnica como caminho provedor de oportunidades para jovens, empresas e o país.” A expectativa é receber de 100 mil a 150 mil visitantes. A organização espera que mais de 1 milhão de pessoas acompanhem o evento on-line, pelo site www.mundosenai.com.br/eventos/olimpiada-do-conhecimento.


Neste ano, a programação contará, pela primeira vez, com um novo formato de provas. Os testes individuais terão menor duração. “Será como uma partida de futebol, em que as pessoas poderão assistir até a premiação”, observa Lucchesi. A grande estrela serão os desafios por equipe, que envolvem sete áreas: construção e edificações; tecnologias de manufatura e engenharias; tecnologias da informação e comunicação; transporte e logística; moda e criatividade; serviços; e engenharias agrícola e pecuária (saiba mais sobre os desafios na página 5). Outra novidade é o fato de que os visitantes poderão votar nas equipes. “É um formato que dialoga mais com a juventude, mas sem perder o rigor técnico”, garante o diretor-geral do Senai.

 

Demanda brasiliense

Segundo o Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Senai, o Distrito Federal terá de formar 190.915 trabalhadores em profissões industriais (em níveis técnico, de qualificação e superior) entre 2017 e 2020. Na capital federal, as áreas com maior demanda são construção (81 mil), tecnologias da informação e comunicação (26 mil), meio ambiente e produção (21 mil) e alimentos (19 mil).

 

As equipes do DF

Casa e carro turbinados
 

Minervino Junior

Na unidade de Taguatinga do Senai, duas equipes se preparam para duas diferentes provas: a de construção de uma casa popular e a de tuning — ou customização — de um carro. O treinamento é intenso, de domingo a domingo, e chega a ultrapassar 10 horas diárias. O primeiro grupo é coordenado pelo instrutor de construção civil Mateus Mariano. “Trabalhamos na ideia de uma casa-contêiner. Para as provas individuais, estamos treinando várias coisas, pois a gente não sabe o que vai ser cobrado”, afirma.


O time de alunos que ele coordena é formado por Gabriel Borba, 20, João Victor dos Anjos Oliveira, 16, Jônatas Ferreira Teles, 18, Kleder Gomes, 19, Nilvan de Souza Poeck, 21, Saulo Rafael Oliveira, 18, e Wanderson Teixeira, 20. “Estou tendo apoio dos professores e aprendendo muito. É uma experiência diferente com foco em inovação”, conta Kleder, que fez ensino médio integrado a um curso técnico em edificações. Técnico em eletrotécnica, Jônatas é responsável pela parte elétrica da casa. “A carga de ansiedade para a prova é muito grande. O evento vai ser uma vitrine em que grandes empresas estarão de olho em nós”, comenta. “Sou responsável pela parte de alvenaria. Estou muito animado para a prova e treinando para botar as dificuldades para baixo”, diz, confiante, o técnico em edificações Wanderson Teixeira.

 

João Victor cursa o ensino médio no período noturno e, durante o dia, se dedica à construção da casa. “Meus pais acham bom eu estar aqui, porque estou treinando em vez de estar na rua”, conta ele, que é responsável por construir os móveis da casa. Nilvan cuidará da parte hidráulica e revela que haverá reaproveitamento de água da chuva. Aluno do curso técnico em edificações, Gabriel ficará responsável pela aplicação de cerâmica. “Serão quase 500 horas de treinamento contínuo por conta da preparação — tudo pensando no futuro”, conta. “Minha expectativa é alta por representar o DF numa competição desse nível”, revela Saulo.


No Senai de Taguatinga, o espaço onde a equipe do desafio de tuning de um carro trabalha fica totalmente fechado, para que as ideias do projeto não vazem. Guilherme César Benigno, 20, Jonathan Barros da Silva, 24, Marcos Vinícius Silva de Carvalho, 18, e Rodrigo Macário, 15, se dedicam de domingo a domingo para fazer bonito na comeptição. “Estamos treinando há três meses, e ajudo principalmente na parte de som e adesivação”, diz Jonathan, que fez curso técnico em mecânica no Senai e cursa faculdade de gestão financeira. “Eu me interessei por carros por causa do meu avô, que é mecânico e me ensinou muita coisa. Não estou nervoso para a olimpíada. Sabemos o que temos que fazer e vamos lá pegar essa medalha”, diz Guilherme César, que faz curso técnico em automobilística e faculdade de gestão pública.


“Nossa pintura está extraordinária. Acredito que é algo que as equipes dos estados não têm”, afirma Rodrigo, que está no ensino médio e fez curso técnico em pintura automobilística. “Minha parte principal é fazer alterações no motor. O desafio vai ser difícil, mas estamos bem preparados”, conta Marcos Vinícius, aluno do curso técnico em manutenção automobilística. A expectativa de Victor Silvano, um dos instrutores da equipe, é alta. “Nosso tema é Brasília. Os meninos estão bem encaminhados. O nível deles é muito bom.”

 

Palavra de especialista

O valor do ensino técnico


Sérgio Lima

 

A Olimpíada do Conhecimento é, na sociedade brasileira, o maior evento de educação profissional, um tipo de ensino  extremamente importante por se tratar de um caminho de inserção no mundo do trabalho. No Brasil, apenas 12% da população adulta tem ensino superior. Entre os jovens, só 17% vão para a universidade. Não é justo que o sistema educacional não dê uma profissão para a maioria das pessoas. Mas há um modelo que pode resolver isso: o que dá mais oportunidades e que funciona bem no resto do mundo é a educação profissional. Em média, nos países mais ricos e nos emergentes mais bem-sucedidos da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), metade ou mais da metade dos jovens fazem educação profissional concomitante com a regular. No Brasil, são 11% —  número muito pequeno.

Rafael Lucchesi, diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai)

 

Fora de Brasília

 

Caroline Pilz Pinnow
 

 

A expectativa pela Olimpíada do Conhecimento também é alta fora do DF. Rafaela Priscila Bezerra (foto), 23 anos, e Pablo Vitor Campos, 18, são alunos do curso técnico de panificação do Senai em Cuiabá (MT) e estão empolgados para o desafio Festa saudável. “É difícil achar alimentos para essas pessoas, então vimos uma bela oportunidade de inventar receitas”, conta Rafaela. “A maior dificuldade foi fazer o pão sem glúten, mas conseguimos chegar em um resultado gostoso”, afirma Pablo, que agora pretende trabalhar com isso. 

 

As equipes do DF

 

Tecnologia rural

 

Ed Alves

Duas equipes do câmpus Planaltina do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) disputarão o desafio de produtividade leiteira da Olimpíada do Conhecimento. Apesar de os dois times — formados por alunos do ensino médio integrado ao técnico em agropecuária — serem rivais, ali, “o clima é de colaboração”, como observa a professora Heloisa Falcão. A professora coordena o grupo Bemap (Bem-estar animal, sustentabilidade e tecnologia de automação na bovinocultura de leite), formado por Mariele Santos, 17, Mateus Ramos, 17, Moysés Rodrigues, 16, Myllena Kathleen Guimarães, 16, Tharley Costa, 17, e Vinícius Rodrigues, 17.


“Nossa proposta é um sistema de gerenciamento de baixo custo para pequeno, médio e grande produtor de gado. O nosso propósito é focar no bem-estar animal para melhorar a produção”, comenta a empolgada Myllena, sem revelar muitos detalhes, pois o projeto só poderá ser apresentado durante a competição. “Treinamos toda hora que surge oportunidade. Estamos ansiosos e vamos dar nosso máximo”, diz Mateus. “Participar do evento vai ser importante. A gente tem que ser pau para toda obra e, agora, vai ser a hora de mostrar isso ao público e a empregadores”, afirma Moysés. “Nesse projeto, a gente tem que implementar algo do zero. É diferente do resto do curso”, conta Mariele.


 

Sob a coordenação do professor Vinicius Machado dos Santos, a equipe Geprotec (Bovinocultura leiteira: tecnologias para gerenciamento da produção) conta com a participação de Álvaro Mota, 17, Joyce Spindola, 16, Leo Jaime Ribeiro, 18, Naicon Rech, 18, Priscíla Evangelista, 16, e Walyson Borges Rodrigues, 18. “A matriz é o gerenciamento da produção por um aplicativo de celular sem precisar acessar a internet toda hora”, comenta Naicon. “Estou bem confiante e estamos trabalhando muito para tentar chegar à vitória”, diz Leo. “A equipe sempre se mostrou muito proativa. Só participar será fantástico para eles”, aponta o professor Vinicius Machado. Dirceu Macagnan, diretor de Produção do câmpus Planaltina do IFB, concorda. “O sistema de educação nos disciplina muito para sermos funcionários de alguém, mas esses alunos estão tendo a experiência fantástica de criar algo”, comenta. (A. P.  L.)

 

Participe!

A entrada na Olimpíada do Conhecimento é totalmente gratuita. O evento vai de 10 a 13 de novembro, das 9h às 17h, no ginásio Nilson Nelson. Informações: www.mundosenai.com.br/eventos/olimpiada-do-conhecimento. Confira as atrações:

 

Desafios por equipes
» Casa popular inteligente

Desafio: projetar e construir uma residência inteligente — com reaproveitamento de água, geração de energia elétrica, automação, móveis ergonômicos e funcionais e acessibilidade — para um casal.
Profissões participantes: instalações hidráulicas e de aquecimento, instalações elétricas prediais, movelaria, construção em alvenaria e aplicação de revestimentos cerâmicos
Equipes de oito alunos de DF, ES, RJ, RO, RS e SC

» Carro conceito
Desafio: criar um veículo compartilhável não poluente
Profissões participantes: polimecânica, usinagem, CNC, soldagem, eletrônica, controle industrial, CAD e manutenção industrial
Equipes de oito alunos de ES, MG (do Instituto Federal de Minas Gerais), PR, RN, RS e SP

» Soluções sustentáveis em TI
Desafio: criar um aplicativo ou software com alguma solução sustentável para pessoas ou empresas
Profissões participantes: redes de cabeamento estruturado, soluções de software para negócios, web design e gestão de sistemas de redes TI
Equipes de quatro alunos de AL, MT, PR, RJ, RO (do Instituto Federal de Rondônia) e SC

» Tuning
Desafio: customizar um veículo novo com alterações na pintura, no motor e no sistema de som
Profissões participantes: tecnologia automotiva e pintura automotiva
Equipes de quatro alunos de BA, CE, DF, PR, RS e SC

» Festa saudável
Desafio:  produzir pratos saudáveis para um evento com 50 convidados de diferentes idades e restrições alimentares
Profissões participantes: confeitaria e panificação
Equipes de seis alunos de AL, MT, PB, PE, RN e SE

» Roupa multifuncional
Desafio: criar roupas customizadas para uma família e animais de estimação que tenham mais de uma forma de utilização
Profissões participantes: tecnologia da moda e vitrinismo
Equipes de cinco alunos de MA, MG, MS, PE, RJ e SC (do Instituto Federal de Santa Catarina)
» Produtividade leiteira
Desafio: criar soluções que contribuam para aumentar a produção leiteira, prevendo um sistema de irrigação, aumento de conforto térmico dos animais, detecção do cio, reaproveitamento da água, pasto rotacionado e gestão pela internet
Profissões participantes: agrimensura, inseminação artificial em bovinos e irrigação
Equipe de seis alunos de DF (duas equipes do IFB), ES (do Instituto Federal do Espírito Santo), MG (duas equipes dos institutos federais do Triângulo Mineiro e do Sul de Minas)

Desafios individuais técnicos

Avaliação prática de estudantes do Senai


Inova Senai, em que equipes devem propor produtos ou processos inovadores que receberão voto popular; isso contará pontos para a Olimpíada do Conhecimento

Festival Sesi de Robótica, em que estudantes de escolas públicas e do Sesi resolvem problemas por meio de robôs montados com peças de Lego

 

Palestras
Confira a programação. Para assistir, inscreva-se pelo site www.mundosenai.com.br/eventos/olimpiada-do-conhecimento. A organização recomenda que os pré-inscritos cheguem com pelo menos uma hora de antecedência

Quinta-feira, 10/11
11h - Matéria-prima e construções sustentáveis, com o designer Marcelo Rosenbaum
15h - Manufaturas e engenharias, com Iberê Thenório, do canal Manual do Mundo
17h - A indústria do storytelling por meio de grupos teatrais, com a Cia. de Comédia Setebelos

Sexta-feira, 11/11
17h - Games e app, com Marco Tulio, do canal Authentic Games, e Irmãos Piologo, do Mundo Canibal

Sábado, 12/11
11h - Customização de carros, com Tarso Marques, do quadro Lata-velha
15h - Moda e criatividade, com os estilistas Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Ronaldo Fraga e Lino Villaventura
17h - Saúde, bem-estar físico e psicológico, com o especialista em qualidade de vida Márcio Atalla

Domingo, 13/11

11h - Gastronomia, com Carlos Bertolazzi, chef e apresentador do SBT
15h - Marketing digital, com a youtuber Jout Jout e o blogueiro Hugo Gloss
17h - Indústria do entretenimento: área de produtores e gravadores de música, com Rick Bonadio

 

 

 

publicidade

publicidade