SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Ministério da Saúde anuncia substituição de médicos cubanos no Mais Médicos

Serão oferecidas mil vagas para profissionais brasileiros. O edital deve ser lançado na próxima sexta-feira (11)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2016 14:38

Maurenilson Freire/CB/D.A Press

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (8) a abertura de mil vagas para profissionais brasileiros com objetivo de substituir médicos cubanos no programa Mais Médicos. Profissionais estrangeiros participam atualmente do programa por meio de cooperação com a Organização Pan-americana da Saúde (Opas).

 

Segundo o MEC, do total de mil vagas do programa em 462 municípios, 838 são ocupadas por médicos cubanos e 166 são relativas à reposição de desistentes. O edital deve ser publicado na próxima sexta-feira (11).

 

O objetivo a longo prazo é substituir 4 mil médicos cooperados por profissionais brasileiros em três anos, reduzindo de 11,4 mil para 7,4 mil o número de vagas ocupadas por cubanos. A estratégia utilizada, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, será ofertar vagas em locais mais procurados por candidatos brasileiros nas últimas seleções e que são atualmente exercidas por estrangeiros.

 

Para o ministro, tal medida poderá contribuir para maior permanência do profissional no programa, residindo mais tempo no município eleito. No primeiro edital, a maior parte das vagas será destinada a capitais, regiões metropolitanas e municípios com mais de 250 mil habitantes. Além disso, o documento prevê que o profissional terá 15 dias para trocar sua vaga com outro médico selecionado para o programa.

 

As inscrições poderão ser feitas entre 20 de novembro de 23 de dezembro. As vagas remanescentes serão oferecidas a brasileiros formados no exterior. A expectativa da pasta é que um novo edital seja publicado a cada três meses com novas vagas.

 

O programa Mais Médicos tem atualmente 18.240 participantes, sendo 5.274 (29%) brasileiros com diploma no país, 1.537 (8,4%) brasileiros com formação no exterior e 11.429 (62.7) são médicos advindos da cooperação com a Opas. Segundo o Ministério da Saúde, o programa atende a a mais de 63 milhões de famílias.

 

Em setembro, o Congresso Nacional aprovou a prorrogação por mais três anos da atuação de médicos estrangeiros no programa. Devido a esta decisão, quase 90% do profissionais intercambistas optaram por permanecer no país.

publicidade

publicidade