COMPETÊNCIA COMPORTAMENTAL »

O sucesso está dentro de você

Para que serve o autoconhecimento? Na carreira, é uma habilidade essencial para compreender como você reage às situações, corrigir falhas com mais facilidade, além de ajudar a traçar os rumos que deseja seguir com mais precisão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/01/2017 11:12 / atualizado em 11/01/2017 18:23

Ana Rayssa

O poder do autoconhecimento

O autoconhecimento ganha especial importância neste momento em que a economia está em crise, visto que o mercado tem privilegiado cada vez mais os profissionais com bom perfil comportamental — algo que só pode ser conquistado mergulhando em si mesmo para identificar falhas e, assim, buscar melhorar. “Uma pessoa que se conhece sabe como reage às situações e, dessa forma, terá mais sucesso profissional. A inteligência emocional e o autocontrole são a grande pedida no mercado e são necessários para se relacionar bem com os outros, sabendo os gatilhos que podem tirar você do sério”, afirma Lucila Simão, coach de carreira e diretora-executiva do Instituto Fenasbac, da Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central do Brasil.


Segundo ela, a grande sacada do profissional que se conhece é a capacidade de virar uma espécie de drone, sendo capaz de observar as situações com certo distanciamento e não apenas vivê-las. “Isso é importante para se perceber em tudo que faz, entender como negocia, como administra conflitos, como lida com a ansiedade e, a partir daí, tentar mudar para melhor”, diz. Assim, é possível ouvir mais os outros, pensar antes de agir e ter mais domínio próprio. De acordo com Karine Ribeiro, psicóloga e pós-graduada em gestão de pessoas, “o primeiro passo para se aprimorar em qualquer coisa é se conhecer”. O autoconhecimento também é fundamental para entender os próprios talentos e vocações, escolher ou, se necessário, mudar de carreira e emprego, além de evitar arrependimentos. “Pessoas em fases diferentes da trajetória profissional enfrentam os mesmos dilemas quanto a missão, vocações e habilidades. O problema é que muitos só se dão conta de que precisam conhecer a si mesmos muito tarde”, observa Lucila Simão.


Ana Rayssa

 

No entanto, não adianta lamentar o tempo perdido: o melhor é seguir em frente e aprender com isso. “É fundamental parar de sentir culpa pelas escolhas passadas, pois, de alguma maneira, elas formam o que somos. Isso é necessário para traçar os novos caminhos que venham a partir de então”, acredita Daniela Lemes, responsável pelo programa de Autoconhecimento da Fundação Estudar, organização sem fins lucrativos de incentivo à educação. Saber quem você é pode parecer algo fluido e inalcançável, mas pode ser mais simples do que parece. Para Daniela Lemes, trata-se de um processo que trata do momento imediato, pois o ser humano está em constante transformação. Segundo ela, o exercício de se perceber precisa entrar na rotina como hábito para que a pessoa não tome decisões por fatores externos (como moda ou influência dos colegas), o que, com o passar do tempo, entra em conflito com a essência do indivíduo. “Quando não se conhece, a tendência é que o profissional defina objetivos e trilhe uma carreira que não tem sentido para ele. Quando, na verdade, deve-se fazer escolhas a partir de coisas de que não se abre mão e que são importantes para você”, indica.

Caminhos
“Tem gente que escolhe o aniversário ou o fim ou o começo de um ano para fazer um processo de imersão interna. Então, por que não aproveitar essa deixa do início de 2017 para se reinventar ou aprimorar?”, indaga a psicóloga especializada em RH Karine Ribeiro. Para isso, pode-se procurar ajuda de profissionais, pesquisar e ler sobre o tema. Daniela Lemes, da Fundação Estudar, frisa que não existe fórmula para alcançar o autoconhecimento, e é válido experimentar várias opções e ir até o fim para ver o que funciona. “Esses auxílios externos são um ponto de partida no processo, mas a pessoa tem que continuar a se observar”, complementa a coach Lucila Simão. “Questione-se bastante, não no sentido de se cobrar, mas de sair da zona de conforto, refletir e construir um novo caminho”, aconselha Daniela Lemes.

 

O engenheiro eletricista Márcio Gonçalves, 42, está no grupo dos que buscaram se conhecer melhor para levar a cabo mudanças na carreira. Ele aceitou o desafio de deixar um cargo operacional de eletricista para ocupar uma função gerencial em uma empresa de engenharia e consultoria. Em um acompanhamento com um coach, lacunas ficaram mais evidentes; uma delas é a dificuldade na gestão do tempo. “Identifiquei que eu tinha os requisitos necessários para as novas atribuições, percebi quais eram minhas potencialidades e carências e estabeleci um norte”, conta. Para colocar o autoconhecimento em prática, Márcio tem um método: identificar o problema; mapear as circunstâncias fazendo perguntas a si mesmo (como “Determinada fraqueza só ocorre quando estou sob pressão ou em toda situação?” e “O problema tem a ver comigo, com uma pessoa específica ou com uma área?”).


Formada em administração e pós-graduada em gestão de pessoas, Keli Oliveira, 45 anos, sabe da importância de se conhecer para direcionar corretamente a carreira. Ela trabalha como consultora administrativa em uma instituição de ensino, diz que sempre fez boas escolhas e está contente com os rumos tomados. Apesar disso, ressalta que está em constante aprendizado. “Quanto mais se sabe, mais aprendiz se é. Todos os dias faço uma retrospectiva de como foram as últimas 24 horas, filtrando o que foi bom ou ruim”, conta. O conhecimento acerca de si mesma ajudou Keli a identificar dificuldades e a trabalhar aspectos como a resiliência.

 

Jhonatan Vieira
 

 

Três perguntas para / William Green 

 

A Arte da Guerra é um livro clássico, escrito pelo estrategista, general e filósofo chinês Sun Tzu no século 4 a.C. O paulista William Green, professor de física e autor de Mude sua vida (2002), se baseou nos ensinamentos de Sun Tzu para escrever A arte da guerra: 50 questões para o autoconhecimento baseadas na obra de Sun Tzu. O livro em formato de caixa apresenta perguntas para que as pessoas possam navegar melhor nos próprios mares e, assim, conquistar vitórias.

 

De que forma seu livro colabora para o autoconhecimento?
Confúcio, outro grande mestre oriental, dizia que “Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas do barco para chegar aonde quer.” Creio que, fazendo ajustes internos, temos mais condições de enfrentar tormentas. Essas adequações precisam vir a partir da dúvida. Minha obra procura fazer as pessoas pensarem nas próprias atitudes. Sun Tzu liderou milhões para enfrentar desafios.

Por que os desafios pessoais e profissionais são comparados a uma guerra?
Não sou original ao dizer que “nosso maior inimigo está dentro de nós mesmos”. Frequentemente, nos sabotamos, deixamos de ver com carinho nossos sonhos, não sabemos lidar com nossos limites e com os dos outros. Temos que ser generais de nossas mentes se quisermos evoluir pessoal e profissionalmente: mudar dentro de nós para mudar o outro.

O autoconhecimento é a chave para obter sucesso na carreira?
Sem dúvida. De nada adianta acumular conhecimentos se você despreza o próprio eu. Imagine um líder que não sabe por que trata mal os subordinados. Como vai liderar se não domina a si próprio? O mundo está sempre nos pressionando, mexendo com nossas posições morais. Procurar se entender é encontrar paz de espírito. Fica mais fácil lidar com as agruras do dia a dia: nossas guerras.

 

Leia
A arte da guerra: 50 questões
para o autoconhecimento
baseadas na obra de Sun Tzu
Autor: William Green
Editora: Matriz
50 cartas
R$ 28

 

 

 

 

Para se inspirar

Confira indagações do livro A arte da guerra: 50 questões para o autoconhecimento baseadas na obra de Sun Tzu, que traz sempre um trecho do livro original, seguido de uma pergunta:

» Se você conhece o inimigo e também a si mesmo, não temerá o resultado de cem batalhas; se conhece a si mesmo, mas não o inimigo, para cada vitória terá sofrido também uma derrota. Se não conhece o inimigo nem a si mesmo, sucumbirá a cada batalha.
   Quanto você está investindo em seu autoconhecimento?

» Quando um general é impaciente e ordena que suas tropas escalem muralhas, perderá um terço delas. Ataques assim são sempre calamitosos.
   Como está seu autocontrole hoje?

» Se você reforçar todos os lados, enfraquecerá todos os lados. Fazer tudo ao mesmo tempo desvia sua atenção.
   Vamos melhorar seu foco de ação?

» É preciso atacar o inimigo quando ele estiver desordenado. Evitá-lo quando ele for mais forte.
   Como você pode se preparar para saber a hora de recuar
   ou ir em frente?

 

Palavra de especialista

 

Vida saudável — em todos os sentidos
O autoconhecimento é a capacidade que o indivíduo tem de se perceber em potencialidades, necessidades de desenvolvimento e, principalmente, em momentos de escolhas. É uma prática fundamental para a empregabilidade, para não estacionar na carreira e para viver longe de doenças. E mais: conhecer a si mesmo é crucial para estabelecer uma boa relação no trabalho e, a partir disso, levar essa atmosfera saudável para o ambiente familiar e de amigos. O autoconhecimento conduz à tomada de posicionamentos para dizer sim ou não quando é necessário e saber o momento em que se deve abrir mão de prazeres para alcançar metas.

Karine Ribeiro, psicóloga e especialista em RH

 

TESTE DE AUTOCONHECIMENTO »

 

 

 

Compreenda melhor seu perfil comportamental

 

Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas e especialista em treinamentos, elaborou um teste que se baseia no modelo Disc (Dominância, Influência, Estabilidade, Conformidade), do psicólogo William Moulton Marston. Os resultados podem ser úteis para que você conheça como se comporta frente a situações e, assim, tenha mais noção sobre si mesmo.


Responda de acordo com o que mais se aproxima da sua realidade. Seja sincero e assinale aquilo que você realmente é, e não o que gostaria de ser. A pontuação de cada item varia de 0 a cinco. É importante ressaltar que números altos ou baixos não são necessariamente bons ou ruins, apenas representam uma parte de sua personalidade que será analisada após o preenchimento.

 

Leia
Seja a pessoa certa no lugar certo — saiba como escolher empregos, carreiras e profissões mais compatíveis com sua personalidade
Autor: Eduardo Ferraz
Editora: Gente
192 páginas
R$ 29,90 

 

* Estagiário sob supervisão
de Ana Paula Lisboa