SIGA O
Correio Braziliense

PERFIS DE SUCESSO - LUIS CARLOS ALCOFORADO E LAWRENCE BARBOSA »

No comando do Inácia Bistrô

Restaurante na 103 Sul tem passado por mudanças que vão do cardápio à gestão. Para garantir boa transição, o fundador convidou um amigo para entrar na sociedade. Agora, eles dividem funções para garantir a qualidade dos pratos e do atendimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/03/2017 15:22 / atualizado em 19/03/2017 16:27

 

Tão importante quanto abrir e comandar bem um negócio é a habilidade de fazer a empresa atravessar bem as mudanças. Nisso, Luis Carlos Alcoforado, 54 anos, e Lawrence Barbosa, 34, donos do Inácia Bistrô — antes, chamado de Inácia Poulet Rôti — têm se aperfeiçoado. A troca do título também envolveu uma alteração mais profunda: antes focado em frango e aves, o cardápio do restaurante, localizado na 103 Sul, tem sido remodelado e diversificado pela nova chef, Thaís Lins. Antes dela, o peruano Jhon Ccolque e Alexandra Alcoforado, irmã de Luis, assumiram a direção da cozinha no estabelecimento.


Para completar, a liderança passou a ser dividida com a entrada de Lawrence no negócio, há cerca de um ano. Os sócios veem com bons olhos as transformações. “Houve várias mudanças internas e externas para melhorar a qualidade da comida, do atendimento e da divulgação. Sem sombra de dúvida, temos hoje uma das melhores equipes da cidade”, afirma Lawrence. “A cozinha é uma experiência de inovação: é preciso evitar o conservadorismo e a mesmice e tentar sempre transformar. Se não, até o consumidor não gosta”, percebe Luis Carlos. Apesar de incentivar uma gastronomia autoral, os sócios acompanham de perto todas as mudanças.


“Nós dialogamos muito com a chef, que é muito talentosa e criativa”, explica. Apesar de a casa ter passado a oferecer carnes, as pedidas favoritas dos sócios ainda são das aves. Luis Carlos destaca, entre seus pratos preferidos, o peito de marreco servido com risoto de quinoa, acompanhado de maçã-verde, uvas-passas, nozes e queijo brie. Já o queridinho de Lawrence é um que leva o nome dele, que consiste em  coxa e sobrecoxa de frango desossadas com crosta de parmesão crocante, purê de batata trufado e arroz. Mas o Inácia tem se destacado também em outros tipos de preparações.


Gabriela Studart

“Nosso ceviche foi eleito, num concurso às cegas feito na Embaixada do Peru, o melhor da cidade. Também oferecemos o sirigado, um peixe nobre, de corpo alto, que vem fresco diretamente do Ceará, todas as sextas-feiras”, observa Lawrence. “A comida é maravilhosa”, diz, satisfeito, Luis Carlos, que percebe esse como um dos principais fatores para o sucesso do negócio. A adega também é um destaque da casa. “Como somos proprietários também de lojas de vinho, temos um dos estoques mais completos da cidade, com mais de 480 rótulos”, acrescenta Lawrence, que cita, além da qualidade da comida, o atendimento como um dos pontos altos do empreendimento.

Parceria
“O Lawrence entrou na sociedade no ano passado para cuidar da estratégia e da gestão”, conta o fundador, o advogado Luis Carlos. “Nós nos conhecemos há cinco anos e nos tornamos grandes amigos e conselheiros. Eu e minha esposa pensávamos em diversificar nossos negócios e, num almoço, o Luis nos convidou para esse desafio”, lembra Lawrence, técnico em tecnologia da informação. A mulher dele, Daiany Barbosa, o ajuda na parte executiva, financeira e de controle da operação. Já a Luis Carlos, com a esposa, Gabriela Alcoforado, cabe a parte de idealização de pratos, criação de conceitos, promoção de eventos, decoração (que é um charme à parte) e divulgação.


“A melhor parte desse trabalho é poder ver um cliente elogiar o que comeu”, comenta Luis Carlos. Lawrence gosta ainda de “pensar e administrar o negócio de forma que ele funcione sem interrupções e falhas”. A casa atende cerca de 280 pessoas por semana e 1.120 por mês. A direção quer mais que isso. “A crise afetou muito restaurantes gourmet como o nosso. Há uma tendência de melhora pela qual estamos torcendo”, observa Lawrence. “Temos um público que segue conosco, mas a recessão teve seu preço. O mercado é muito cruel. Por isso, não penso em expandir”, complementa Luis Carlos. Por ora, a missão é consolidar a reformulação do restaurante.

 

Interesse pela gastronomia
Paraibano de João Pessoa, Lawrence é dono de uma empresa de desenvolvimento e fornecimento de softwares aberta há 10 anos. Luis Carlos também tem outras experiências com o empreendedorismo. Nascido em Natal (RN) e criado no Rio de Janeiro, veio morar em Brasília em 1987, quando abriu o primeiro negócio dele: o escritório  Alcoforado Advogados Associados, que tem 36 empregados. Por se interessar por gastronomia, abriu o Inácia em 2012,  com a ajuda da irmã. “Gosto de boa comida, bom vinho, mas como apreciador e idealizador de pratos, não executor”, esclarece. O nome do restaurante é uma homenagem à avó materna de Luis Carlos, Inácia Barreto, que morreu há cerca de uma década. O tributo foi repetido numa pousada que Luis Carlos abriu na Chapada dos Veadeiros em dezembro.


Ele constata o desafio que é ser um pequeno empresário no Brasil nas três empresas. “O Estado fica contra você. Os sistemas legais, tributários e trabalhistas são muito ruins e há muita burocracia”, critica. “Então, mesmo tendo experiência, o controle financeiro é difícil”, completa. Lawrence concorda. “Ser empreendedor no Brasil sempre é desafiador, pois há escassez de mão obra qualificada e a carga tributária é muito elevada. Para o desafio da mão de obra, a Daiany desenvolveu um método contínuo de treinamento e motivação. Quanto à carga tributária, apenas aprendemos a conviver com ela”, explica. Hoje, há 25 funcionários no Inácia Bistrô (saiba mais em www.facebook.com/InaciaBistro).