SIGA O
Correio Braziliense

PERFIS DE SUCESSO »

Guru dos cabelos

Ela ganha a vida vendendo madeixas naturais e sintéticas e começou a trabalhar com beleza aos 14 anos. Conheça a história da dona de uma loja especializada em perucas e rabos, no Pistão Sul

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/04/2017 17:22

Gabriela Studart

Natural de Divinópolis (GO), Maria Cleonice Prado, mais conhecida como Cléo, nutre uma paixão antiga pelo mundo da beleza, no qual trabalha desde os 14 anos. A consolidação dessa trajetória é a Universo dos Cabelos (saiba mais em www.universodoscabelos.com.br ou 99986-1650), marca que, desde 2002, comercializa cabelos naturais e sintéticos para apliques fixos ou removíveis ou na forma de perucas. Os produtos são procurados por clientes carecas que desejam melhorar a aparência, por outros que têm pouco volume (seja por genética seja por causa de algum procedimento químico ou corte que deu errado) e querem complementar as madeixas, mas também por um público com boa quantidade de fios, mas que, mesmo assim, cobiça uma cabeleira mais cheia, como as de celebridades. “O que eu mais gosto no meu trabalho é de ver alguém transformado. A empresa é o somatório da vontade de empreender e do objetivo de aumentar a autoestima das pessoas por meio da arte da beleza”, explica Cléo.


A loja, de 133 m², fica no shopping Pátio Capital (localizado na QS 3, no Pistão Sul, entre Taguatinga e Águas Claras) e recebe uma diversidade de pessoas — boa parte chega lá por indicação de cabeleireiros ou compradores satisfeitos. O público varia a cada semana, mas Cléo informa que tem mais de 5 mil clientes cadastrados. A goiana faz segredo sobre como é a compra dos cabelos, mas esclarece que os fios vêm da Ásia. “O que posso dizer é que somos muito seletivos na aquisição”, garante. As madeixas chegam com texturas diferentes (lisas, cacheadas, onduladas), mas a coloração é feita pela empresária. “Para produzir fios loiros, descolorimos. Demorei oito anos até chegar à melhor técnica: joguei muito cabelo fora, foram várias experiências, escutei bastante as clientes, que diziam o que ficava ou não legal.” E valeu a pena: “hoje, o que ouço é que meu loiro é top e não tem igual no mercado”.

Fórmula de ouro
“O que fez e faz a Universo dos Cabelos dar certo é um somatório de tudo: meus conhecimentos acadêmicos e os que adquiri ao longo da vida, paixão e vontade de trabalhar na área, ética, equilíbrio emocional, Deus, que me sustenta nos momentos difíceis”, enumera a administradora e pós-graduada em marketing. O comprometimento é outro ingrediente essencial. “Muitas vezes, chego cedo e saio daqui mais de meia-noite. Sou criteriosa e submeto os empregados a um treinamento rigoroso, mas estou sempre mostrando o que pode melhorar. Delego atividades, mas a responsabilidade, como empreendedora, é minha”, define. Outra característica positiva é a preocupação com o público. “A missão da Universo dos Cabelos é criar e oferecer serviços e produtos inovadores que realizem o sonho dos clientes”, afirma.

Início
Cléo, que prefere não revelar a idade, diz que sempre foi vaidosa, o que a atraiu para esse ramo. “Nasci com isso. Aos 8 anos, eu me lambuzava toda de creme”, recorda. Aos 14 anos, ela transformou a preocupação com a estética em profissão. “Sempre trabalhei para mim mesma. No início, eu vendia cosméticos diferenciados, depois, passei a mexer com cabelos sintéticos de fibra, vindos do Japão. Posteriormente, com cabelo humano”, conta. Ela estava certa da vocação, mas precisou fazer os outros compreenderem aquele sonho. “Quando você tem certeza do que gosta e quer, as pessoas acabam respeitando. No início, dois dos meus irmãos não entendiam por que eu queria ir para a área privada sendo uma excelente aluna que poderia conseguir segurança prestando um concurso público”, revela.


“Realmente, teria sido mais fácil fazer isso, mas aí eu não viveria exatamente daquilo que eu queria: uma empresa na área de que sempre gostei”, pondera. Ao longo dos anos, Cléo teve outras experiências com o empreendedorismo até montar, em 2002, a Universo dos Cabelos. O negócio começou em casa, mas com tudo regulamentado. “O local era de difícil acesso, mas as pessoas vinham de longe, porque gostavam da qualidade do produto. Trabalhei muito o marketing de relacionamento e, a cada dia, chegavam mais clientes”, diz.  Com o crescimento, a proprietária resolveu adotar um endereço comercial. Para isso, fez um planejamento estratégico definindo todos os passos e metas da companhia.


“A crise fez com que vários planos se atrasassem. Comprei a loja no Pátio Capital ainda na planta e, quando o prédio ficou pronto, ainda era muito vazio e demorou a passar a ter movimento por causa desse período de recessão. Então, aluguei outro espaço em outro lugar”, esclarece. Em dezembro do ano passado, ela mudou para o endereço atual, está contente com os primeiros resultados e prepara a abertura de um salão de beleza no mesmo espaço, ainda sem data certa para começar a funcionar. “Não deixei o planejamento estratégico na gaveta. É um projeto de crescimento em longo prazo que faz muita diferença, porque me faz saber onde estou e para onde vou”, observa. No entanto, a recessão ainda tem seus efeitos. O número de funcionários, por exemplo, passou de oito para dois.