MENTORIA »

Desenvolvimento de carreira on-line

Startup lançada há três anos se propõe a ser aquela mãozinha que falta para ajudar você a colocar seus objetivos profissionais em prática. Pela internet, 50 tutores atendem usuários em todo o país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/04/2017 12:36 / atualizado em 02/05/2017 17:06

CP7/Divulgação
A internet, em muitos casos, funciona como uma central de troca de conhecimentos. Por que não aproveitar esse canal e encontrar as pessoas certas para tirar dúvidas sobre a carreira? É com essa finalidade que o contador Marcos Roberto Alves, 53 anos, idealizou a Thutor, startup aberta há três anos. “Como a entrada de pessoas na plataforma é muito dinâmica, prefiro não arriscar o número exato de usuários. A meta é chegar a 20 mil até o fim do ano”, almeja o diretor- geral. Trabalhadores dos mais diversos ramos podem se cadastrar no site, montar um perfil, responder a um questionário e escolher um objetivo (conseguir um emprego, montar um negócio, aprender a liderar uma equipe ou qualquer outra meta). A partir daí, “thutores” (como os monitores da plataforma são chamados) do outro lado da tela mapearão o perfil do usuário e o orientarão sobre as melhores atitudes a tomar, seja para alcançar um propósito seja para lidar com dilemas profissionais e pessoais.


Além de interações semanais, a mentoria — personalizada e confidencial — é composta por um acompanhamento mensal a fim de avaliar a evolução do internauta. Para ajudar nesse processo, o site disponibiliza uma biblioteca multimídia com vídeos, e-books e outros materiais. Tudo isso por R$ 69,90 por mês, um valor acessível segundo o fundador. “Além de ser muito mais barato do que um coach, nós temos um atendimento que evita deslocamentos e pode ser feito quando e onde a pessoa quiser”, compara. Com sede em Americana (SP), a empresa conta com 50 mentores. “Geralmente, são profissionais da área de humanas. O importante é que gostem de lidar com pessoas”, afirma o fundador, Marcos Roberto Alves, especialista em administração financeira.


O serviço pode ser contratado por trabalhadores (visando o próprio desenvolvimento pessoal) ou empresas (para o engajamento de equipes). No último caso, o atendimento pode ser on-line ou presencial. A plataforma tem como base a filosofia de gestão, método criado por Márcio Fernandes, autor do livro Felicidade dá lucro, referência nacional em gestão de pessoas e presidente da distribuidora de energia Elektro. Assim, os internautas são estimulados a acreditar em si mesmos, praticar as dicas recebidas, buscar melhorar e compartilhar o que aprendem. “Essa filosofia é o nosso diferencial. Temos uma licença exclusiva para usá-la”, diz Marcos.


Mudanças

A médica Fernanda Fulanetti, 28 anos, se cadastrou na rede em outubro do ano passado. “Eu estava em uma zona de conforto: ganhando bem, mas dando muitos plantões, sacrificando minha vida pessoal. Os especialistas da Thutor me ajudaram muito, fizeram perguntas e me levaram a pensar. Eles não dão soluções, mas te estimulam a se conhecer”, conta. Agora, ela tem um novo plano: se especializar em dermatologia e, futuramente, abrir uma clínica. “No início, achei que a interação na plataforma seria mecânica por ser on-line, mas parece que os especialistas me conhecem. O site superou muito minhas expectativas”, relata. Moradora de Indaiatuba (SP), a médica lê todos os materiais que a startup disponibiliza, principalmente os que abordam autoconhecimento.


Arquivo pessoal
A contadora Kelen Vória, 27, mora em Governador Valadares (MG) e conheceu a plataforma há quatro meses, depois que a Cooperativa de Poupança e Crédito do Vale do Rio Doce Ltda (Sicoob Crediriodoce), em que ela trabalha, contratou a Thutor para uma consultoria. Especialista em auditoria, Kelen atua como supervisora de controles internos e riscos e percebe que o processo tem feito diferença. “A plataforma funciona mesmo por meio das provocações que o tutor faz e a aplicação que faço no dia a dia. Vi grandes resultados, principalmente na questão da liderança, que me gerava insegurança antigamente”, diz. “A minha motivação também mudou muito. Passei a ter vontade de conquistar sonhos”, revela. O site também fez crescer nela a vontade de ajudar o próximo, algo que ela compartilhou com a família. “Hoje, eu, meus pais, minha irmã, meu marido e minha avó prestamos auxílio no Abrigo Esperança, que apoia pessoas com câncer”, conclui.


Acesse!
Com mensalidade de R$ 69,90, o serviço está disponível no site thutor.com. No primeiro mês, o usuário
individual paga R$ 34,95.

 

Três perguntas para Marcos Roberto Alves

 

Agência Noar/Diviulgação
 

 

Como surgiu a ideia para a criação da plataforma?
Trabalhei por 20 anos em controladorias e nas partes de finanças e de gestão de pessoas de grandes e pequenas empresas e comecei a perceber que a grande maioria dos liderados não têm “voz” onde trabalham. Vivem, muitas vezes, sem perspectivas de crescimento profissional, desorientados e desperdiçando talentos. Foi pensando nisso que criei a Thutor. Atualmente, podemos encontrar todo tipo de resposta na internet. Porém, de nada adianta uma grande quantidade de informações sem o entendimento adequado. A interação face a face dificilmente pode ser superada, mas, com a tecnologia — que é um caminho sem volta —, é possível ter escalabilidade, ou seja, levar esse serviço para o Brasil e o mundo.

Como é a interação entre usuários e monitores?
A comunicação é por meio de relatos, ou seja, a pessoa escreve como está se sentindo e o especialista dá dicas a partir daquilo. Mesmo que o contato seja pela internet, conseguimos colocar uma dose muito alta de humanização nas respostas, fazendo “provocações” para que as pessoas se desenvolvam de acordo com aquilo que elas mesmas escreveram. É importante ressaltar que, quando é um atendimento corporativo, o processo é feito a partir dos valores da companhia que contratou o serviço. Percebo que os resultados gerados são muito importantes. Ter a oportunidade de transformar vidas, tirar as pessoas da inércia e ver elas lhe dizerem “obrigado! Não estava vendo a vida desse ângulo” é muito gratificante e não tem dinheiro que pague.

Que dicas você pode deixar para pessoas que desejam criar plataformas on-line?
Em primeiro lugar, é preciso ter um propósito comum entre sua vida pessoal e profissional, o que significa trabalhar com o que ama. Depois, é importante ter um produto ou serviço que promova algo de bom para quem usa. Por último, recomendo que as pessoas sonhem, planejem e não tenham medo de seguir a caminhada em busca de propósitos, acreditando em seus potenciais.

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Ana Paula Lisboa