PARA RECéM-FORMADOS »

Empresas buscam líderes do futuro por meio dos programas de trainee

Chances para recém-formados têm salários atrativos, ultrapassando R$ 5 mil, e oferecem a oportunidade de conhecer várias áreas da empresa. Confira seleções abertas e o que fazer para ser selecionado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/08/2017 12:36 / atualizado em 06/08/2017 13:18

A busca pelos líderes do futuro

 

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
 

 

É para isso que servem os programas de trainee: selecionar, recrutar e treinar mão de obra promissora. Chances para recém-formados têm salários atrativos, ultrapassando R$ 5 mil, e oferecem a oportunidade de conhecer várias áreas da empresa. Confira seleções abertas e o que fazer para ser selecionado

 

Conseguir um bom emprego é um dos maiores desafios para recém-formados, mas existe um atalho que pode te ajudar a chegar lá. Um caminho para garantir o ingresso numa vaga com chances claras de crescimento para assumir posições de liderança são os programas de trainee. Quem passa nesse tipo de seleção começa a trabalhar como empregado efetivo e, durante os primeiros anos, terá a chance de receber treinamentos e passar por vários setores da empresa. No fim, se apresentar resultados satisfatórios, pode ser promovido e se tornar líder. As companhias com esse tipo de programa, em geral, são consolidadas, apresentam um plano de carreira e valorizam talentos. A maior parte exige disponibilidade para mudanças e viagens. Normalmente, os salários são atrativos, acima do que costuma ser pago a iniciantes, chegando a mais de R$ 5 mil. Ficou interessado? Então aproveite a oportunidade, pois está aberta a temporada dos programas de trainee (confira vagas no quadro Chances promissoras).

 

Minervino Junior/CB/D.A. Press
 


Breno Braga, 24 anos, se formou em engenharia aeroespacial pela Universidade de Brasília (UnB) no início deste ano e está interessado em seleções do tipo, por acreditar que são um bom jeito de iniciar a carreira. “A situação está difícil, tenho mandado currículos e não consigo trabalho, então vi nas vagas de trainee uma boa forma de conseguir emprego mais rápido”, diz. “Tenho me inscrito para todos os que têm vagas para engenharia”, conta. Se aprovado, ele espera aprender com pessoas com mais experiência, passar a ter responsabilidades e crescer profissionalmente. “Agora eu estou me preparando, lendo jornais e estudando. Acho que todas as etapas serão um desafio.” Sobre a possibilidade de ter que se mudar para fora do DF, não pestaneja: “estou preparado para esse tipo de mudança, meu problema é a questão financeira, mas quando chegar a hora a gente resolve”.

Disputa
O grande problema nos processos seletivos para trainee é que não faltam interessados. E desbancar uma grande concorrência — às vezes maior que um vestibular para medicina ou concurso público — é uma tarefa penosa. Rodrigo Ladeira, diretor de Recursos Humanos da Cremer, diz que, nas triagens da companhia de produtos de saúde, se inscrevem em média 35 mil jovens. “É para conseguir filtrar os melhores candidatos que adotamos várias etapas, que incluem jogos on-line e painéis de negócios”, explica. Segundo Ladeira, o ingrediente essencial para passar por todas as fases é a autenticidade. “O candidato tem que ser ele mesmo. Isso aumenta muito as chances de contratação”, aconselha. “Cada vez mais as companhias buscam gente que tem coragem de ser autêntica”, concorda Ricardo Bretas, superintendente de RH do banco Santander.


Kleber Piedade, CEO da empresa de consultoria em processos seletivos Matchbox, explica que o candidato também tem que identificar o próprio perfil e as organizações com as quais combina. “É importante ter autoconhecimento, buscar os lugares que têm mais a ver com você em vez de atirar para todos os lados”, alerta. Outra dica clássica que os candidatos a trainee não podem deixar de lado é estudar e buscar informações sobre a empresa. “Assim, o jovem pode imaginar como poderia contribuir para a companhia superar os desafios dela”, diz. Adriana Rillo, diretora de recursos humanos da Saint Gobain, multinacional de construção sustentável e materiais industriais, destaca que recém-formados com determinadas competências ou atitudes levam vantagem. “Nós estamos atrás de pessoas que tenham espírito empreendedor, agilidade, capacidade de trabalhar bem em equipe, vontade de realizar e protagonismo em relação à própria carreira. Além disso, é fundamental demonstrar que trará bons resultados”, afirma.

 

Olhar para futuro
Se, para recém-formados, conseguir um emprego promissor é um grande desafio, as empresas também têm um obstáculo próprio a enfrentar: recrutar pessoas que valham a pena e treiná-las de acordo com o modelo da firma. Por isso, elas apostam em programas do tipo. “Os trainee são os líderes de amanhã”, declara Kleber Piedade. Adriana Rillo destaca que as companhias investem nisso porque acreditam que terão retorno. “O objetivo é formar os líderes do futuro. Ter um programa focado em preparar essas pessoas, para elas se desenvolverem, é muito importante”, ressalta. “Além disso, esperamos que os jovens nos ajudem a ter uma visão atual do mundo: também temos muito a aprender com essa geração. É um caminho de mão dupla”, garante.


Ricardo Bretas, superintendente de RH do banco Santander, explica que as empresas hoje não estão mais focadas em fatores que eram relevantes no passado. “Ninguém se preocupa com o curso que você fez ou a faculdade que cursou: a escolha vai depender de outros fatores, que envolvem as experiências pessoais do candidato: quão diversificada foi a trajetória de vida, como a pessoa aprende e quão curiosa é”, explica. Segundo ele, é importante que os jovens entendam que o processo seletivo em si constitui um aprendizado. “A cada etapa, ele recebe um prêmio, que é se desenvolver mais. Ao fim, mesmo se não for selecionado, estará um pouquinho maior do que entrou em termos de conhecimento.”

 

Conheça as etapas 

Os processos seletivos de trainees variam de empresa para empresa, mas todos costumam ter as seguintes fases:

1ª) Análise curricular
Há processos seletivos de trainees para todas as áreas de graduação e, em geral, é preciso ter se formado há até dois anos ou estar prestes a se formar.

2ª) Testes on-line
As empresas avaliam o nível de inglês, o raciocínio lógico e os conhecimentos de português do candidato.

3ª) Dinâmica de grupo
Essa etapa ajuda os recrutadores a identificarem as competências dos candidatos, como relacionamento interpessoal.

4ª) Entrevista
Analisa a adequação da pessoa à cultura da empresa

5ª) Painel com os gestores
Esse momento identifica a adequação dos candidatos em relação aos desafios da empresa

 

Eu cheguei lá Conheça histórias de trainees e ex-trainees

 

Em rota de aprendizado / Trainees contam como tem sido a experiência

 

Para fazer carreira

 

 

Arquivo Pessoal
 


Trainee do Itaú há sete meses, Laura Pinheiro Lopes, 22, encara a experiência como oportunidade única. “Sou desafiada o tempo todo e incentivada a ter autonomia. Tem muita pressão porque a gente tem que entregar os processos, mas vejo tudo isso como algo muito bom”, conta ela, que se formou em administração pela Fundação Getulio Vargas (FGV) no fim de 2016. “Eu queria muito trabalhar em banco, conhecia algumas pessoas que tinham feito isso e falavam muito bem, então decidi que queria ser trainee em um”, lembra. Ela enfrentou cinco meses de processo seletivo e cinco etapas e considera a última a mais desafiadora. “Na entrevista pessoal com os executivos, fiquei muito nervosa, eu não sabia muito bem como iria ser”, diz. Laura quer fazer carreira no banco e acredita que esse foi um bom começo. “A gente recebe muito treinamento, aprende a identificar os próprios pontos fracos e fortes, tem contato com diversas pessoas e áreas. Essa oportunidade fez com que eu tivesse muito mais certeza da minha decisão de seguir essa carreira.” 

 

Treinamento diferenciado

 

 

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
 


Formado em administração pela UnB e trainee da companhia de bebidas Ambev há oito meses, Matheus Santana, 22 anos, queria um modelo de carreira em que pudesse crescer de acordo com os resultados e enxergou nos programas de trainee uma forma de alcançar esse objetivo. “Na minha experiência, estou podendo conhecer a empresa como um todo, entender cada área, como pensa a liderança da empresa e quais são as expectativas voltadas para as equipes”, destaca. “Passei por diversas cidades do país, como Uberlândia, Salvador e São Paulo e, neste mês, vou participar de um treinamento nos Estados Unidos com a administração global. O contato com as pessoas de variados cargos da empresa é algo que realmente não tem preço”, diz. 

 

Em busca de dinamismo

 

 

Humberto Siqueira/Divulgação
 


A concorrência dos processos de trainee assustou Priscilla Paula Seixas, 25, mas não a desanimou. “O processo foi bem difícil, eram 12 mil candidatos, foi uma disputa bem acirrada e a cada fase você só sabia que tinha ido bem quando passava para a próxima. A dinâmica de grupo também foi complicada porque era preciso se destacar e ao mesmo tempo trabalhar em equipe”, lembra a trainee do banco Santander há oito meses. A engenheira aeroespacial, graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desde 2016, decidiu passar por processos seletivos do tipo porque viu que o perfil dela se encaixava com esse tipo de vaga. “Quando me formei e comecei a trabalhar, vi muitas restrições. Eu queria algo mais dinâmico e percebi que as oportunidades de trainee ofereciam isso”, conta. Para ela, a experiência tem sido ótima. “Está sendo melhor do que eu imaginava. Estou na terceira área de rotação e conheci diferentes setores e pessoas”, relata. 

 

Em rota de crescimento

 

Ex-trainees relembram trajetória

 

Rápida ascensão

 

 

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
 


Para o ex-trainee Rodrigo Bianchini, 24, a parte mais desafiadora do processo seletivo foi a dinâmica de grupo. “Eram poucos candidatos, todos muito competentes, e tínhamos pouco tempo para trabalhar em equipe e tomar decisões. São analisados comportamentos, conhecimentos gerais e de negócio, além dos valores da companhia”, diz. Hoje ele é gerente de vendas na Ambev e diz que o tempo como trainee foi essencial para chegar a essa posição. “O programa foi importante por permitir o conhecimento da empresa como um todo, desde a produção na cervejaria até a entrega e o consumo nos pontos de vendas”, relembra Rodrigo, engenheiro de produção pela Universidade de São Paulo (USP).

 

Chances de crescer

 

 

Humberto Siqueira/Divulgação
 

 
Natália Perrella, 32, entrou no banco Santander como trainee em 2009. “Quando eu estava me formando, fiquei me perguntando o que faria da vida. Foi quando descobri os processos de trainee”, lembra. Ela decidiu, então, se preparar. “Eu tinha participado de empresas juniores na faculdade e trabalhado em uma empresa de finanças. Para complementar, fiz um curso no exterior para melhorar o meu inglês porque vi que eles sempre pediam”, relembra Natália, que, hoje, o ocupa o cargo de gerente de Produtos. “As oportunidades acontecem, mas depende da gente ser protagonista da nossa carreira”, afirma. 

 

Juventude para renovar a firma

 

 

Arquivo Pessoal
 


Engenheiro pela USP, Marcello Siniscalchi, 42, foi trainee do Itau há quase 20 anos e construiu carreira consolidada na firma até se tornar diretor de Gestão de Investimentos. “Hoje tenho, sob a minha gestão, R$ 570 bilhões”, afirma. Na época, o processo seletivo era um pouco diferente, mas muitos aspectos permanecem os mesmos. “Quando você é novinho, não tem muita certeza de nada e tem muita vontade de aprender, mas, naquele tempo, o acesso à informação não era tão grande. Agora o desafio é filtrar as informações”, conta. Marcello acredita que os trainees são importantes para renovar o ambiente corporativo. “O jovem chega com bagagem técnica fresquinha. Às vezes, uma pergunta de um trainee faz as pessoas pensarem. No meu tempo, foi muito legal ver que minhas sugestões e propostas estavam sendo levadas a sério”, relata. “A próxima pessoa a ocupar meu cargo terá que ser muito melhor do que eu e quero muito que seja alguém que tenha sido trainee”, afirma.

 

Realização de um sonho

 

 

Humberto Siqueira/Divulgação
 


Para Renato Barros dos Santos, 32, trabalhar numa multinacional era um sonho. “Eu imaginava que teria um grande sentimento de orgulho”, conta ele, que, hoje, é gerente regional de Operações da Ambev em Brasília. Quando entrou na companhia como trainee, em 2012, a melhor parte foi o convívio com outros jovens. “Nós tínhamos ótimas histórias para contar, além de termos feito grandes amizades”, destaca. A dica do engenheiro eletrônico pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) é que interessados procurem organizações com as quais se identificam para se inscrever. “O primeiro passo é escolher a empresa certa. É extremamente importante que o trainee tenha afinidade com a cultura da companhia. Também vejo que a autenticidade é extremamente importante no processo de seleção”, conclui.

 

Processo enriquecedor

 

 

Arquivo Pessoal
 


Hessica Magalhães, 26, hoje é gerente de Recursos Humanos na Cremer. Ela começou como trainee da empresa em 2014. “O processo foi desafiador, muita gente competindo comigo, mas tive um aprendizado muito grande, não só com os gestores, mas também com os outros candidatos, devido às dinâmicas de grupo”, explica a economista pela Universidade Federal Fluminense (UFF). A decisão de tentar ser trainee partiu das possibilidades que a função poderia trazer. “Apesar de eu saber desde o inicio que queria trabalhar com RH, queria conhecer a companhia como um todo e o programa me deu essa chance. Além disso, vislumbrei que poderia adquirir muitos conhecimentos e crescer na empresa, como aconteceu”, diz. Os desafios não acabam depois de passar no processo de trainee. “A gente tem que lidar com pessoas de níveis hierárquicos diversos, então é preciso ter um bom jogo de cintura e iniciativa, além de saber colocar a mão na massa. Os recrutadores estão atrás de novos líderes, então você tem que mostrar que tem potencial para isso”, conta. 

 

 

Chances promissoras
Confira as oportunidades com inscrições abertas:

Mercedes-Benz
Segmento: indústria automobilística
Número de vagas: seis
Salário: não informado
Cursos: bacharelado nas áreas de exatas e humanas
Formatura: concluído entre dezembro de 2014 e dezembro de 2016
Inscrições: até 6 de agosto de 2017, no site

 


Air Liquide
Segmento: óleo e gás
Número de vagas: não informado
Salário: R$ 5.500
Cursos: engenharias química, mecânica, gestão, produção ou biomédica
Formatura: conclusão entre julho de 2015 e julho de 2017
Inscrições: até 10 de agosto pelo site goo.gl/86HSuT

 


Whirlpool
Segmento: eletrodomésticos
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: todas as áreas de formação, com exceção da área de saúde
Formatura: conclusão entre dezembro de 2014 e dezembro de 2017
Inscrições:
até 21 de agosto de 2017 pelo site

 

 

Scania
Segmento: indústria automobilística
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração, engenharias (mecânica, mecatrônica, produção, elétrica / eletrônica, automobilística, controle e automação), ciências econômicas, ciências contábeis, marketing, logística, relações internacionais e direito
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 a dezembro de 2017
Inscrições: até 22 de agosto pelo site

 

 

Bunge
Segmento: agronegócio
Número de vagas: 15
Salário: não informado
Cursos: engenharias: mecânica, agrícola, agronômica, química, elétrica, instrumentação, produção, alimentos ou eletromecânica
Formatura: de quatro a cinco anos de formação
Inscrições: até 24 de agosto de 2017, no site



Santander
Segmento: bancos e serviços financeiros
Número de vagas: 20
Salário: não informado
Cursos: todas as áreas de conhecimento
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 28 de agosto pelo site

 


Tata Consultancy Services (TCS)
Segmento: tecnologia
Número de vagas: 70
Salário: R$ 2 mil
Cursos: análise de sistemas; administração; engenharias; ciência da computação; sistemas de informação; tecnologia em processamento de dados.
Formatura: conclusão entre julho de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 30 de agosto pelo site



Red Bull
Segmento: bens de consumo
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração, marketing, publicidade, engenharia e economia
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 31 de agosto pelo site

 


M. Dias Branco

Segmento: varejo
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração, sistemas da informação, análise de sistemas, ciência da computação, biologia, ciências contábeis, ciências econômicas, direito, engenharia(s), estatística, marketing, pedagogia e química;
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 31 de agosto pelo site



General Motors
Segmento: indústria automobilística
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração, economia, contabilidade, relações internacionais, marketing, comunicação e engenharia
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 1º de setembro pelo site



Horizonte Logística

Segmento: transportes
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: todas as áreas de conhecimento
Formatura: cursando o último ano do curso superior ou ter até dois anos de formado
Inscrições: até 2 de setembro pelo site



Cultura Inglesa
Segmento: educação
Número de vagas: não informado
Salário:
não informado
Cursos: administração de empresas, engenharia, ciências da computação, economia, direito, pedagogia, psicologia, ciências contábeis, comunicação social e relações internacionais
Formatura: cursando o último ano do curso superior ou ter até dois anos de formado
Inscrições: até 3 de setembro pelo site



Andrade Gutierrez
Segmento: infraestrutura
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração (com todas as ênfases), arquitetura e urbanismo, ciências contábeis, ciências sociais, comércio exterior, comunicação social (com todas as ênfases), direito, economia, engenharias (todas), estatística, física, matemática, marketing, química, psicologia, publicidade e Propaganda, relações internacionais e relações públicas
Formatura: conclusão entre dezembro de 2014 e dezembro de 2017
Inscrições: até 4 de setembro pelo site

 

 

Itaú Unibanco
Segmento: bancos e serviços financeiros
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: humanas e exatas
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2018
Inscrições: até 4 de setembro de 2017 pelo site



Saint-Gobain
Segmento: construção sustentável e materiais industriais
Número de vagas: 24
Salário: não informado
Cursos: administração de empresas, arquitetura, ciências contábeis, ciências econômicas, engenharias, estatística, marketing, psicologia e química
Formatura: ter concluído a graduação há no máximo dois anos
Inscrições: até 10 de setembro de 2017 pelo site


Bemis

Segmento: celulose e embalagens
Número de vagas:14
Salário: não informado
Cursos: administração, engenharias, ciências contábeis, marketing, sistemas de informação, ciências da computação, psicologia, ciências econômicas e química
Formatura: até três anos de formação acadêmica
Inscrições: até 11 de setembro pelo site

 


Ambev
Segmento: bens de consumo
Número de vagas: não há número limitado
Salário: inicial de R$ 6.100
Cursos: todas as áreas de conhecimento
Formatura: até dois anos de formados ou que tenham previsão de formatura para o fim de 2017
Inscrições: até 15 de setembro de 2017 pelo site

 


Cremer

Segmento: saúde
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: todas as áreas de conhecimento
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições:
até 17 de setembro pelo site



Vetor Brasil

Segmento: gestão pública
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: qualquer graduação de bacharelado ou licenciatura
Formatura: formados ou formatura prevista até 31 de março de 2018
Inscrições: até 19 de setembro de 2017, pelo site



EY
Segmento: consultoria / auditoria
Número de vagas: não informado
Salário: a partir de R$ 1.035
Cursos: ciências contábeis. administração de empresas, ciências atuariais, direito, economia, engenharia (todas), estatística, física, cursos de tecnologia da informação (TI), matemática e relações internacionais.
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2019
Inscrições: até 1° de outubro pelo site



Quero-Quero
Segmento: varejo
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: preferencialmente administração, economia ou engenharias, mas demais formações serão aceitas também
Formatura: conclusão entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017
Inscrições: até 1° de outubro pelo site

 

 

Deloitte
Segmento: consultoria / auditoria
Número de vagas: não informado
Salário: não informado
Cursos: administração de empresas, ciências atuariais, ciências contábeis, comércio exterior, direito, economia, estatística, engenharia, matemática, física, relações internacionais, psicologia, gestão de recursos humanos e cursos de TI
Formatura: conclusão entre dezembro de 2016 e dezembro de 2019
Inscrições: até 31 de dezembro pelo site

 

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Ana Paula Lisboa