EDUCAÇÃO CONTINUADA »

ILB oferece capacitações para servidores e cidadãos de graça

Criado há duas décadas, instituto do Senado ministrou cursos para mais de 1 milhão de alunos. No caso de funcionários, o objetivo é garantir que eles tenham melhor desempenho no serviço público. Para a população em geral, a vantagem é a atualização e a diferenciação no currículo. Todos os cursos estão com matrículas abertas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/11/2017 16:04 / atualizado em 26/11/2017 16:12

Antonio Cunha/CB/D.A. Press

 

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao seu tamanho original.” A frase foi proferida por Albert Einsten no início do século 20 e continua válida. É para ajudar a expansão de conhecimentos de servidores públicos, parlamentares e cidadãos que foi criado o Instituto Legislativo Brasileiro (ILB). Oferecendo de cursos livres a pós-graduações totalmente gratuitos, a instituição opera com esse nome desde 1997, mas a escola do governo subordinada ao Senado Federal tem origens mais antigas, pois é resultado da consolidação do Serviço de Seleção e Aperfeiçoamento de Pessoal (Seap), criado na década de 1970. Mais de 1 milhão de pessoas fizeram cursos a distância oferecidos pela organização. Presencialmente, o ILB não conseguiu calcular o número de ex-alunos.


Helder Rebouças, diretor-executivo da instituição, avalia que a grande importância desse trabalho é, primeiramente, ajudar a elevar o nível dos servidores públicos e dos serviços oferecidos e, em segundo lugar, levar conhecimento à população. “A dívida do Senado para com a sociedade é paga ao oferecer o melhor atendimento possível e isso requer capacitação dos funcionários”, justifica. Na visão de Rebouças, a escola tem importante papel social, pois debate política e democracia.


Coordenador de Planejamento e Relações Institucionais do ILB há 11 anos e professor da especialização em comunicação legislativa da instituição, Francisco Etelvino Biondo avalia que as capacitações oferecidas são de excelência. “Nossos professores estão sempre em constante atualização e incentivam os alunos a pesquisarem mais e se aprofundarem em matérias teóricas”, explica. Graduado em relações-públicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ele acredita que profissionais de qualquer área devem sempre buscar aprimoramento. “O mercado de trabalho acompanha o desenvolvimento tecnológico, por isso, planejamos aulas sobre assuntos atuais com materiais interativos e recursos multimídia”, afirma.


No rol de cursos oferecidos pelo instituto, os on-line são abertos para a população em geral, enquanto os presenciais são exclusivos para servidores do Senado Federal e de órgãos conveniados. A primeira formação da instituição foi Processos legislativos, ministrada até os dias de hoje a distância com carga horária de 60 horas. Hoje, há 33 oportunidades presenciais voltadas para os funcionários do Senado, com 1.016 inscritos; e 26 virtuais (que incluem a sociedade), com 320 mil matriculados. Apesar do nome da instituição, nem todas as capacitações têm foco legislativo, como é o caso das aulas sobre desenvolvimento de equipes, excelência no atendimento e conhecendo o novo acordo ortográfico.

 

Regulação da web em pauta

O ILB promove, entre 4 e 5 de dezembro, das 9h às 16h30, o seminário Regulação e governança da interno. O encontro, no auditório do ILB, no anexo E do Senado, tem como público-alvo especialistas, parlamentares, estudantes e juristas, mas a sociedade em geral pode participar. Interessados devem fazer inscrição na plataforma Interlegis (goo.gl/AWsrxB) até o dia o dia do evento. Há 60 vagas abertas.

 

Aperfeiçoamento interno

 

 

Lanna Silveira/Esp.CB/D.A Press

 

 

Rafael Silveira, doutor em ciência política pela Universidade de Brasília (UnB), é consultor legislativo do Senado há 13 anos e professor do ILB há 10, após passar por processo seletivo interno. Ele leciona disciplinas presenciais como processos políticos, teoria política, fundamentos da economia e legislação. O docente percebe que os servidores participantes se adéquam à rotina de aulas — ministradas no turno matutino — porque o ambiente de estudo integra o conteúdo e a prática profissional. “Esses cursos trazem capacitação e aprendizagem continuada, o que é de grande valia, afinal o funcionário público precisa se aprimorar sempre”, defende. “Quem mais ganha com isso é a sociedade. O grande objetivo das aulas ofertadas no Instituto Legislativo Brasileiro é propiciar aprimoramento das funções de cada matriculado”, observa.


A assessora parlamentar do Senado Federal Izabel Machado, 53 anos, acredita que os benefícios de se fazer alguma das capacitações têm efeito não só no trabalho, mas também na vida pessoal. “Não podemos parar no tempo. O aperfeiçoamento é sempre necessário e, quando agregamos mais conhecimento na nossa área de formação, encontramos satisfação”, explica. A assessora fez curso presencial de InDesign e outro a distância de gestão do conhecimento. “Conheci pessoas com pensamentos diferentes, o que é bom para a troca de experiências e de informações. Esse intercâmbio ampliou muito minha forma de pensar”, destaca Izabel.

 

 

Aulas na web

 

 

Lanna Silveira/Esp.CB/D.A Press
 

 

 

Os cursos on-line do ILB foram desenvolvidos para que a população em geral também tenha acesso aos conteúdos ministrados, como explica a coordenadora de Capacitação, Treinamento e Ensino a Distância da instituição, Simone Dourado. “Eles estão disponíveis desde 1997”, lembra. No primeiro ano, foram 70 inscritos; no segundo, 300; e, no terceiro, havia 1 mil pessoas de diversos cantos do Brasil matriculadas. Atualmente, há 26 cursos disponíveis para mais de 320 mil alunos. “O retorno é muito bom. Fizemos uma entrevista em dezembro do ano passado com 70 mil participantes para saber se eles estavam satisfeitos e constatamos que 98% dos entrevistados aplicaram os conhecimentos aprendidos no ILB no ambiente profissional”, comemora.


Para o gestor de RH da Faculdade UnyLeya Vilson Sérgio de Carvalho, cursos como os do instituto são indispensáveis, pois podem fazer com que o candidato a um emprego se destaque. “O ensino a distância do ILB é uma alternativa muito boa, sem falar no ganho de conhecimento, que é sempre bem-vindo”, explica. “Quem busca ampliar os conhecimentos prova que quer crescer profissionalmente. Muitas vezes, há vagas disponíveis, mas poucas pessoas preparadas. É bom saber que instituições como o ILB se preocupam com o desenvolvimento profissional da sociedade”, elogia.


A advogada Dinny Leite, 23 anos, está entre os ex-alunos do instituto. Quando ainda estava na graduação, a jovem precisava cumprir 200 horas de atividades complementares para concluir a formação acadêmica. Em virtude disso, ela fez o curso Dialogando sobre a lei Maria da Penha, com 60 horas. “Essa legislação foi vista muito superficialmente na faculdade. A partir das aulas do ILB consegui entender pontos específicos da regra, o que foi bastante enriquecedor”, afirma. A jovem está desempregada, mas foi aprovada em processo seletivo para trabalhar num escritório de advocacia na cidade de Belém (PA). Dinny Leite recomenda o curso para estudantes de direito.

“Quem fica preso somente ao que é passado em sala de aula pode ter sérias dificuldades no mercado de trabalho”, avalia a jovem.

 

 

Antonio Cunha/CB/D.A. Press
Pioneirismo em pós

Helder Rebouças, diretor-executivo do ILB, se orgulha do fato de a instituição ter sido a primeira escola de governo autorizada pelo Ministério da Educação (MEC) a oferecer pós-graduação. O programa começou em 2013. Atualmente, há 64 servidores matriculados em oito especializações disponíveis: administração legislativa, comunicação legislativa, ciência política, orçamento público, análise da constitucionalidade, avaliação de políticas públicas e MBA em gestão integrada de projetos. Desde 2001, 439 servidores do Senado Federal e da Câmara dos Deputados concluíram especializações no local. “A meta agora é ofertar cursos de mestrado e doutorado nas áreas de direito e comunicação”, diz. “A faculdade da Organização das Nações Unidas (ONU) pretende abrir uma pós-graduação em segurança pública no Brasil e, em razão disso, firmou parceria com o instituto. A capacitação estará disponível para servidores do Senado, da Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União (TCU)”, comemora. O nome do curso é Justiça social, criminalidade e direitos humanos, com início previsto para abril de 2018.


A servidora Cláudia Brasil, 48 anos, está entre os profissionais que buscam capacitação continuada no ILB. Analista legislativa da Câmara dos Deputados há 19, ela participa, desde o início de setembro, da especialização em Comunicação, legislativo e sociedade, com duração de quatro meses e carga horária de 360 horas. Para ela, as aulas foram de grande valia, visto que ampliou os conhecimentos sobre política e jornalismo, área de formação. Essa pós-graduação tem quatro professores e Cláudia Brasil é só elogios para eles. “São instrutores muito capacitados, com vivência grande em órgãos legislativos e isso deixa a aula mais atrativa”, diz. “Qualquer pessoa, concursada ou não, precisa se aprimorar, caso contrário será passada para trás. É preciso sair da zona de conforto para alcançar o sucesso profissional”, avalia.


Valéria Ribeiro, coordenadora de pós-graduação da instituição, acredita que a especialização de servidores pode auxiliar até mesmo senadores. “Quando um parlamentar vai elaborar, por exemplo, um projeto de lei, precisa de uma equipe preparada para ajudá-lo a criar um texto bem adequado e elaborar boas propostas. Isso só acontece se os integrantes da equipe tiverem boa formação”, afirma. No entanto, os benefícios, segundo a coordenadora, são ainda maiores. “Os funcionários da Casa passam a ser mais presentes na resolução de problemas internos. Eles acabam se envolvendo diretamente ao elaborar propostas que melhoram o desempenho dos colegas, podem desenvolver ações — como formas de reduzir o uso de papel, por exemplo — e tudo isso se aprende nas aulas de especialização”.

 

Serviço

Interessados em fazer algum curso a distância do ILB devem se inscrevem no site saberes.senado.leg.br e escolher qual a capacitação desejada. Há, também, um telefone disponível: (61) 3303-5202

Abertos para a sociedade
Cursos sem tutoria disponíveis para a
comunidade com matrículas abertas

» Cerimonial no ambiente legislativo (40 horas))
» Conhecendo o novo acordo ortográfico (20 horas)
» Desenvolvimento de equipes (10 horas)
» Deveres, proibições e responsabilidade do servidor público federal (60 horas)
» Dialogando sobre a lei Maria da Penha (60 horas)
» Direito administrativo para gerentes no setor público (35 horas)
» Doutrinas  políticas (20 horas)
» Ética e administração pública (40 horas)
» Excelência no atendimento (20 horas)
» Fundamentos da integração regional (40 horas)
» Introdução ao direito constitucional (40 horas)
» Introdução ao direito do consumidor (40 horas)
» Introdução ao orçamento público (40 horas)
» Lei de acesso à informação (12 horas)
» Modalidades, tipos e fases de licitação (60 horas)
» O poder legislativo (40 horas)
» O poder legislativo municipal (20 horas)
» Ouvidoria na administração pública(20 horas
» Ouvidoria no ambiente legislativo municipal (35 horas)
» Política contemporânea (60 horas)
» Processo legislativo federal (45 horas
» Relações internacionais (60 horas)

Cursos com tutoria disponíveis, primeiramente, para servidores públicos e, depois, para
a comunidade

» O público-alvo são os servidores do legislativo em âmbito federal, estadual e municipal; de órgãos parceiros e, havendo vagas, os cidadãos, mediante ordem de chegada da pré-matrícula, no site podem participar.
» Administração pública descritiva (60 horas)
» Fundamentos da ciência econômica (60 horas)
» Gestão do conhecimento legislativo (60 horas)
» Licitação e contratos administrativos (60 horas)
» Orçamento público avançado (60 horas)
» Organização de gabinete parlamentar (60 horas)
» Redação e técnica legislativa (60 horas)
» Técnicas em didática para EAD (60 horas)

Exclusivos para servidores
Cursos livres

» Adobe Audition (10 horas)
» Adobe InDesign (20 horas)
» Angular JS, como aprender uma extensão da linguagem HTML (20 horas)
» Arquimedes, sistema de gestão interna (20 horas)
» BPM, mapeamentos e automação de projetos (20 horas)
» Docker,  plataforma de construção de aplicativos (20 horas)
» CorelDrawn X7 (20 horas)
» Controle de multidões (10 horas)
» Defesa pessoal para mulheres (16 horas)
» Escriba: taquigrafia (8 horas)
» Excel básico (20 horas)
» Excel intermediário (20 horas)
» Excel avançado (20 horas)
» Gegab, sistema de gestão em gabinetes de senadores (4 horas)
» Gestão documental e arquivística (20 horas)
» Gestão de projetos (20 horas)
» JavaScript (16 horas)
» LexEdit, editor de requerimentos, recursos e emendas (4 horas)
» Metodologia para avaliação e acompanhamento de curso (20 horas)
» Noções de língua portuguesa (24 horas)
» Processo legislativo e regimento interno (40 horas)
» QlickView, plataforma de capacitação para tomadas de decisão intuitivas (16 horas)
» Redação oficial e argumentativa (24 horas)
» Sigad avançado, sistema sobre arquivação de     documentos (20 horas)
» Sustentabilidade no setor público (8 horas)
» Tramita — Agepar, sobre como dominar o Outlook (4 horas)

Cursos de pós-graduação
» Capacitação destinada apenas aos servidores do Senado Federal, Câmara dos Deputados e Tribunal de Contas da União (TCU)
» Administração legislativa (360 horas)
» Comunicação legislativa (360 horas)
» Ciência política (360 horas)
» Orçamento público (360 horas)
» Análise da constitucionalidade (360 horas)
» Avaliação de políticas públicas (360 horas)
» MBA em gestão integrada de projetos (360 horas)

 

 

 

 

*Estagiário sob supervisão de Ana Paula Lisboa