ENTREVISTA / Nathana Lacerda

Para construir influência e autoridade

No mundo do trabalho, a fim de ser considerado um bom profissional, apresentar resultados é o mais importante. No entanto, também ajuda bastante transmitir uma imagem positiva. Confira dicas para melhorar sua reputação em 2018

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/12/2017 14:06

Lucas Marigo/Sigma Six

 

 

De acordo com a coach de imagem e reputação Nathana Lacerda, um profissional bem-visto é aquele que mantém alinhamento entre o discurso e a ação. No entanto, há uma série de outros aspectos que contam bastante para formar a ideia que fazemos de alguém. Trabalhar em equipe, manter os próprios valores e respeitar os da empresa, apresentar aparência adequada, seguir a etiqueta corporativa, ter um diferencial competitivo e, claro, conseguir bons resultados são ingredientes para lá de importantes. Alguns podem pensar que o que os outros pensam a seu respeito é problema deles, no entanto, a empregabilidade e a progressão na carreira dependem do seu conceito perante colegas e chefes. Jornalista e presidente do grupo Sigma Six, especializado em construção de autoridade para influenciadores, Nathana dá orientações do que fazer e do que não fazer para limpar ou trazer mais prestígio ao seu nome.



O que significa ser bem-visto no ambiente de trabalho?
Ao contrário do que se pensa, não é tentar agradar a todos. Querer ser bem-visto pode ser uma armadilha que faz você buscar aprovação a qualquer custo e não pensar em si mesmo, nos resultados da empresa ou na equipe com a qual trabalha. Uma imagem positiva é consequência de diversas ações e, para conseguir isso num ambiente profissional, o primeiro passo é respeitar os valores da companhia. Depois, é preciso ser um profissional de resultados porque isso é primário para garantir a continuidade no emprego. Por último, é mandatório saber se posicionar com confiança, comunicação clara e trabalhar em equipe. O conceito de “boa imagem” é relativo, mas podemos dizer que alguém tem uma quando o que fala, o que aparenta e a forma como vive transmitem a mesma mensagem. O comportamento vai variar de acordo com a etiqueta de cada local. Entretanto, é importante que a pessoa mantenha os próprios valores.

 

 

 

O que um profissional deve fazer para se destacar?
Há muitos fatores, mas, se eu pudesse escolher um único, seria: gerar resultados, aquilo que você coloca na mesa se sobrepõe aos outros aspectos. Nesse sentido, você precisa ser um bom profissional e gerar impacto positivo para seus clientes e a empresa para a qual trabalha. Também é importante ter um diferencial, algo que faça com que você se destaque dos demais. Pode ser uma habilidade, uma área de conhecimento, a forma de atender, uma metodologia própria, enfim, você precisa ter algo que os outros não têm.

Quais são os principais pontos a serem trabalhados para melhorar a imagem profissional?
O primeiro deles é o posicionamento. Um dos grandes trunfos das pessoas que querem se tornar mais reconhecidas é saber se posicionar de forma única. O segundo é o resultado, que orienta sobre como obter feedbacks, que comprovem eficiência. O visual também é uma forma de comunicação, além do networking, que ajuda na aproximação de pessoas estratégicas para gerar mais oportunidades. Analisamos a possibilidade de o profissional ter redes sociais para compartilhar o conteúdo produzido e se tornar reconhecido.

Quais são as principais dificuldades das pessoas quando o assunto é a própria reputação?
Percebo duas grandes dificuldades: a primeira é a insegurança em relação a como se posicionar no mercado, fazer escolhas e deixar de lado oportunidades que não combinam com o caminho escolhido. A segunda é em relação ao visual, se estão transmitindo, com a aparência, tudo aquilo o que desejam e estão adequados à área em que atuam.

Na sua visão, quais comportamentos prejudicam a imagem de alguém num ambiente de trabalho?
O maior erro é tentar interpretar um papel e parecer aquilo o que não é. Hoje, com as redes sociais, as pessoas ficam muito mais expostas e, uma hora, a verdade vem à tona. O grande trunfo está em melhorar como indivíduo cada dia mais para que haja congruência entre a imagem, o discurso e as ações.

De que forma as redes sociais podem prejudicar um profissional?
Hoje quem está nas redes sociais pode ser considerada uma pessoa pública, mesmo que tenha perfil fechado. Porém, muitos ainda não entenderam isso e se comportam ali como se ninguém do ciclo profissional estivesse vendo. Vale a máxima: não publique na sua rede social nada que você não teria coragem de verbalizar no trabalho.

Se um trabalhador tem um histórico negativo, é difícil deixá-lopara trás perante os colegas?
Sim. Porque é necessário provar muito mais vezes que houve alguma mudança. Neste caso, a pessoa tem que ter muita paciência para resgatar a confiança das pessoas e se esforçar para que sua conduta mostre ainda mais esses novos valores.

O que é possível fazer para a imagem profissional em 2018? Quais referências procurar?
Investir em uma consultoria de imagem, fazer um curso de personal branding  (marca pessoal) e ler livros sobre o assunto.

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Ana Paula Lisboa