PERFIS DE SUCESSO - MANOEL DAVI RAMOS FILHO E MARIA ONEIDA MARQUES DAVI »

Conheça a história dos empreendedores Manoel Davi e Maria Oneida

Casal de MG veio para o DF a fim de melhorar de vida e comanda loja de produtos variados na cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/02/2018 17:12 / atualizado em 12/02/2018 18:32

 

 

funcionamento há 24 anos no Setor Tradicional de Planaltina (DF), o Bazar Brasília se tornou conhecido entre moradores da cidade. Diferentemente do que o nome poderia sugerir, não se trata de uma loja de produtos de segunda mão: nas prateleiras, são oferecidos artigos de armarinho, utensílios domésticos, vasilhas de alumínio, ferragens e estruturas elétricas e hidráulicas. “Hoje em dia, as pessoas associam com itens usados, mas, quando a gente abriu, a palavra bazar era usada para designar um lugar que vende de tudo, várias mercadorias”, explica Maria Oneida Marques Davi, 64 anos. Ela e o marido, Manoel Davi Ramos Filho, 73, comandam juntos o estabelecimento. “A gente simpatizou com esse nome porque tínhamos um bazar em Minas Gerais, que era misturado com um bar”, conta Manoel.

 

 

Karine Rodrigues/Esp.CB/D.A. Press
 

 

 

O casal, natural de Douradoquara (cidade com cerca de 3,5 mil habitantes que faz divisa com Goiás por meio do Rio Paranaíba), se casou há 47 anos e veio para Planaltina há quase 46. “Nos mudamos para cá em busca de uma vida melhor”, afirma Maria Oneida. A variedade de produtos oferecidos no Bazar Brasília veio para conciliar os interesses dos donos. “Eu queria mexer com a parte de elétrica e hidráulica e minha mulher desejava ter uma papelaria e armarinho. Então juntamos”, esclarece Davi. Ao longo de tantos anos, o negócio sobreviveu a mudanças de moeda, governo e costumes, e até ganhou uma segunda unidade, em Planaltina (GO), pelas mãos de Welmar Marques Davi, 36, filho caçula do casal. “Ele trabalhou conosco muito tempo, mas queria ser independente. Então abriu outra loja”, relata Maria Oneida.

 

 

Karine Rodrigues/Esp.CB/D.A. Press
 

 

 

Segundo ela, o segredo para resistir no mercado por tantos anos está na credibilidade construída. “Todo mundo nos conhece”, diz. O contato com a clientela também faz diferença. “Nosso atendimento é de primeira. Planaltina cresceu, mas não se desenvolveu. É uma cidade pacata, então dá para bater papo. A pessoa vem comprar uma fita isolante que seja e perguntamos como está a saúde e a família”, observa Manoel. Para o casal, essa é uma das partes mais prazerosas do negócio. “É uma terapia para a gente”, destaca o mineiro. O Bazar Brasília tem apenas um funcionário, então, na maior parte das vezes, o público tem contato direto com os proprietários, que veem na presença constante deles na loja outro ingrediente para o sucesso. “O olho do dono faz muita diferença, ainda mais porque a loja depende muito de nós: nem temos como tirar férias”, revela Maria Oneida.

 

 

Karine Rodrigues/Esp.CB/D.A. Press
 

 

 

Nas poucas vezes em que se ausentaram do empreendimento, os donos o fizeram de forma separada. “É o nosso esforço, levantando cedo e fechando tarde que nos mantém. A gente acabou se tornando resistente”, completa Manoel. O casal tem uma filha, a professora Cordélia Marques Davi, 40, que, ocasionalmente, dá uma força para os pais, atendendo na loja. O Bazar Brasília recebe de 30 a 40 clientes por dia. O carro-chefe do negócio são produtos hidráulicos, como canos. Os pequenos empresários preferem não revelar o faturamento mensal, mas informam que ele caiu devido à crise econômica. Entre os desafios da jornada empreendedora, Manoel cita os altos encargos e contas. “Quase tudo que se vende é para pagar contas e boletos, como os de água e luz, que são muito altos em Brasília. O governo explora muito”, diz. Outro desafio é lidar com a concorrência.

Experiência
O Bazar Brasília não é a primeira experiência de Manoel e Maria Oneida com o empreendedorismo. Em Brasília, trabalharam com máquina de beneficiar arroz por quase duas décadas. Em Goiânia, Manoel teve um bar por nove anos. De volta a Minas Gerais, montou uma mistura de bar e bazar. “No interior, não tem como ganhar muito dinheiro porque as pessoas não têm grande poder de compra. Na cidade, dá para tirar mais, apesar de boa parte ir para o governo. Tentei a vida em muitos lugares até virmos para Planaltina, onde a gente se deu bem”, conclui Manoel.

 

Saiba mais

3389-1093 / bazarbrasiliadf94@gmail.com