publicidade

Caça aos jovens talentos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/08/2012 08:10 / atualizado em 20/08/2012 18:29


Mayko Ferreira, 24 anos, estudante de administração da UnB, só foca em programas de trainee.


Para o jovem recém-formado, o ingresso no primeiro emprego pode ser uma grande fonte de preocupação. Muitos tentam driblar a concorrência dos concursos públicos, uma empreitada que exige esforço. Mas a iniciativa privada também conta com uma competição acirrada: são os programas de trainee, que, todos os anos, oferecem a chance de conhecer de perto uma grande empresa. Com inscrições abertas para cerca de 26 processos seletivos, as oportunidades para o próximo ano já começaram a aparecer (veja quadro na página 2). As vagas englobam diversas áreas de conhecimento e permitem a participação de pessoas formadas em, no máximo, dois anos. A faixa salarial fica entre  R$ 2 a R$ 8 mil. O desafio das empresas não é mais encontrar um trainee capacitado e, sim, conseguir mantê-lo.

"Ao ver que não era bem aquilo que ele pensava, o candidato desiste e procura outro programa. As companhias estão mais preocupadas em reter um trainee que queira ficar na empresa", explica a consultora de carreiras Leila Barbosa. Para ela, a distância é uma das principais causas desse desencantamento. A maioria dos programas de trainee ocorre em São Paulo, mas, se efetivado, o empregado pode ser lotado em outra cidade. Além disso, a disponibilidade para viajar figura entre os pré-requisitos mais frequentes em seleções desse tipo.

Muitos candidatos, no entanto, não estão verdadeiramente preparados. Leila costuma encontrar estudantes que foram os melhores de grandes universidades sem cumprir as expectativas das empresas depois da fase de treinamento. "Mais do que ter sido um aluno nota 10, é preciso transitar bem dentro da organização. Nem sempre quem veio de uma faculdade de primeira linha vai se engajar", afirma a consultora.

Os programas de trainee têm duração média de um ano e, em geral, preparam o candidato para atuar em setores diferentes de uma mesma organização. Não há garantia de contratação, mas os melhores têm boas chances de ser efetivados logo após o término do programa. Foi assim com o brasiliense Vinicius Morita, 25 anos, graduado em ciências farmacêuticas pela Universidade de Brasília (UnB). Ele participou da última edição do programa de trainee da produtora de bebidas Ambev. O jovem foi contratado este mês e exerce a atividade de supervisor do processo cervejeiro - um cargo de responsabilidade para um jovem com tão pouca experiência.

Morita defende os programas com entusiasmo. "É uma porta de entrada excelente e um programa muito planejado, porque o trainee conhece todas as áreas da companhia, não só a de sua formação. Além de ter contato com muita gente que deu certo", enaltece. O jovem, no entanto, admite a falta de engajamento de alguns colegas depois  do programa. "A nossa geração é muito impaciente. O trainee tem que se conscientizar que nem sempre as coisas acontecem na velocidade que se espera."

Preparação
 A maior parte das seleções de trainees utiliza a plataforma on-line como forma de recrutamento. As entrevistas virtuais são práticas e permitem que candidatos do Brasil inteiro participem. Mas não é por ser a distância que essas dinâmicas não devam ser levadas a sério. Alexsandra Bentlemuller, gerente de mídias sociais da Universia Brasil - rede que conecta o ambiente universitário ao mercado de trabalho -, aponta alguns erros comuns dos aspirantes a trainee na hora de participar do processo seletivo on-line: vestuário inadequado, fundo ambiente desorganizado, conexão de internet lenta, ausência de contato visual no vídeo. "São detalhes que os examinadores observam", garante Alexsandra. A consultora de carreiras Leila Barbosa, no entanto, é contra esses tipos de seleções. "É um modismo. Acho que as empresas precisam de indicadores mais consistentes. Nem sempre quem vai muito bem nessas dinâmicas virtuais cumpre as expectativas."

Para evitar uma desilusão, é preciso estudar bem o programa antes de se inscrever em um processo seletivo para trainee. Alexsandra destaca a importância dessa preocupação ainda nas fases iniciais. Como qualquer outro emprego, o candidato deve estar atento ao fato de que precisa gostar daquilo que vai fazer - a seleção costuma durar meses e pode ser cansativa. "A escolha de qual programa de trainee realizar também exige planejamento, motivação. É fundamental estudar bem a missão e os valores de cada empresa, além de criar uma estratégia que valorize seus pontos fortes", ressalta a gerente da Universia Brasil.

Ter certeza do próprio objetivo profissional figura entre os quesitos mais avaliados. Pelo menos quanto a isso, o estudante Mayko Ferreira, 24 anos, considera-se preparado. Ele está no último semestre do curso de administração da UnB e só foca em programas de trainee. "Acho que é a maneira mais fácil de entrar no mercado com uma posição melhor", justifica. Enquanto espera o resultado de uma seleção realizada recentemente, o universitário começa a pensar em outras.

Diferentemente de grande parte de seus colegas de faculdade, Mayko sequer pensa em prestar concurso público. Ele conta que essa decisão causa estranhamento entre os aspirantes a trainee que conhece em São Paulo - os brasilienses não são muito populares na iniciativa privada. O porquê da escolha de Mayko está sempre na ponta da língua: ele adora desafios. "Não quero cair na rotina. Quanto mais jovem, mais temos a aprender. Acho que o programa de trainee é um investimento a longo prazo."

Temporário
Os programas de trainee são lançados anualmente por grandes empresas como forma de recrutar jovens talentos. Candidatos passam por várias fases de seleção e, se escolhidos, têm a oportunidade de ingressar na empresa como funcionário temporário para aprender e conhecer o trabalho. Posteriormente, muitos são contratados.

R$ 2 a R$ 8 mil
Faixa salarial de  um trainee

Oportunidades
O Grupo CCR, grupo de concessão de infraestrutura da América Latina, selecionará 26 jovens recém-formados na 6ª edição de seu Programa de Formação de Profissionais, Trainees 2013. As inscrições estão abertas até 16 de setembro.A iniciativa tem o objetivo de identificar profissionais com elevado potencial de desenvolvimento, para atuar nas unidades de negócio da companhia nos Estados de São Paulo (São Paulo, Jundiaí, Tatuí, Barueri e Santa Isabel), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro e Niterói) e Paraná (Ponta Grossa). Os interessados em se inscrever devem acessar o site www.ciadetalentos.com.br/ccr. O programa terá duração de oito meses.

A Johnson & Johnson do Brasil está com 34 vagas abertas para estudantes graduados nas áreas de ciências biológicas, exatas e humanas. O objetivo do programa Jovens Talentos Trainee 2013 é preencher postos nas três divisões da companhia — consumo, médica e farmacêutica. As oportunidades são para as cidades de São Paulo e São José dos Campos, no interior paulista. Os candidatos devem ter fluência em inglês e ter disponibilidade para residir no local da vaga. Os interessados devem se inscrever até 10 de setembro pelo site www.jnjbrasil.com.br/carreira

Tags:

publicidade

publicidade