SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Mercado

Como reter os jovens talentos

Empresas estão perdendo trainees para a concorrência. Uma consultoria adotou estratégia inusitada: ofereceu aos pais um café da manhã para apresentar as oportunidades que os filhos terão para crescer na firma

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/09/2012 11:11 / atualizado em 10/09/2012 18:19

Mariana Niederauer

A retenção de talentos é um dos desafios que as empresas enfrentam para garantir o desenvolvimento do negócio e alcançar bons resultados no mercado. Os novos profissionais buscam chegar ao topo da carreira cedo. Quando isso não ocorre no prazo desejado por eles, acabam buscando outro emprego. Nos programas de trainee a preocupação é maior, pois são feitos investimentos altos na formação e perder profissionais que foram moldados e preparados para atuar da forma que a organização precisa gera custos.

Segundo levantamento feito este ano pelo Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube), de 50 a 70% dos jovens são efetivados nas empresas após participarem de programas de trainee. A filial de Brasília da empresa de auditoria e consultoria internacional PwC usou uma estratégia curiosa para incentivar a retenção desses profissionais: convidou os pais deles para participar de um café da manhã e conhecer a empresa. “Eles são os principais conselheiros dos filhos durante a formação, e dar um conselho sem conhecer o assunto é mais difícil. A ideia era aproximar as famílias da empresa”, conta o sócio da PwC em Brasília Geovani Fagunde.

Os pais de advogada Laís Morais, 24 anos, aprovaram o encontro. “Isso dá tranquilidade para a família, pois conhecemos o ambiente profissional onde nossos filhos estão inseridos”, diz a mãe da jovem, Dulce Teresinha Barros Mendes de Morais, 58, que é professora universitária. O pai, o economista Almir Mendes de Morais Filho, 62, concorda: “Fiquei admirado com a iniciativa”. Os dois atuaram em áreas parecidas à que Laís escolheu, por isso, sempre aconselham a filha sobre a profissão. Conhecer o trabalho dela de perto, porém, deu outro significado ao relacionamento. “Agora, eles sabem a dimensão, sabem o tanto que a empresa me valorizou e o quanto foi difícil ser selecionada”, explica a trainee.

Para a advogada Rita Aguiar, 57 anos, o encontro ajudou a ampliar o diálogo com o filho,Gabriel, 21, estudante do 5º semestre de direito, e a tranquilizou. “Ele está em processo de formação acadêmica. Então, você se preocupa com uma atividade laboral que possa vir a prejudicá-los. Eu estava temerosa com isso. Acho que o café da manhã foi importante para a gente ter uma noção do que eles estão vivendo aqui.” Além do apoio da família, outros benefícios oferecidos, como a possibilidade de fazer intercâmbio, fazem com que Gabriel tenha o objetivo de construir carreira longa na empresa.

Transparência
Para a vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Elaine Saad, a geração jovem é fruto de um mundo de respostas rápidas. Agitação e impaciência são algumas das características que os definem e acabam refletindo no que eles esperam para a carreira profissional. “Hoje, nós temos uma combinação que é um pouco perigosa: o jovem que quer uma mudança ágil e uma economia que favorece essa mudança. A empresa tem que perceber o que é preciso fazer para retê-lo. A remuneração e o pacote de benefícios são importantes, mas só isso não basta”, comenta. Elaine acredita que o que pesa na decisão desse profissional é trabalhar num ambiente agradável, ter bom relacionamento com o chefe e uma expectativa clara de como se desenvolver dentro da empresa. “O que eles querem é essa transparência de comunicação”, completa.

O programa de trainee da companhia de bebidas Ambev é conhecido pelo processo rigoroso de seleção. Para o último, que ocorreu no ano passado, a organização recebeu cerca de 72 mil inscrições e selecionou apenas 20 candidatos. “Um bom processo seletivo é a chave para você ter certeza de que realmente está recrutando pessoas que têm a ver com a empresa”, afirma a gerente de recrutamento e seleção Isabela Garbers. Ela lembra que é dedicado muito tempo e investimento aos trainees, daí a importância da retenção desses talentos. O programa da Ambev teve início há 22 anos e nas duas últimas edições conseguiu manter todos os selecionados trabalhando na empresa. Elaine Saad observa que a saída de profissionais, além de ter custos altos por causa do pagamento de direitos trabalhistas, pode parecer frente ao mercado que a empresa está passando por problemas.

 De acordo com o coach Jefferson Leonardo, o desafio das áreas de recursos humanos é repensar os modelos de gestão, pois apenas planos de carreira não vão acompanhar a velocidade com que os jovens pretendem se desenvolver na vida profissional. “Ele sabe que, hoje, pode passar de uma fase para outra de uma maneira mais prática, simples e veloz”, diz. “Se ele entra na empresa e não tem oportunidade de crescimento e desafios, simplesmente parte para outra organização.”

Líderes do futuro
A experiência de promover um programa de trainee é novidade na credenciadora Redecard. O primeiro processo seletivo desse tipo ocorreu em 2011. Cerca de 70% dos candidatos escolhidos ficaram até o fim do curso. O diretor executivo de recursos humanos e marketing da empresa, Fabio Herszkowicz, explica que a principal estratégia para reter esses jovens é o acompanhamento feito por gestores e com coaching externo. “O objetivo do programa é formar lideranças em médio prazo, preparando-os para crescer profissionalmente dentro ou fora da empresa”, relata.

Esse também é um dos intuitos da PwC. Geovani entrou na empresa como trainee há 21 anos e tornou-se sócio em 2006. Ele ressalta que todos podem seguir o mesmo caminho.

Laís está de olho nessa oportunidade. O principal motivo para participar do processo seletivo da consultoria foi a oportunidade de trabalhar numa multinacional e poder conhecer outros países. “Pretendo consolidar a carreira aqui, acho que entramos no programa para isso”, afirma. “Quero me preparar para ser a melhor no que eu estou fazendo”, completa. O trainee Felipe  Russo, 22  anos, formado em administração, tem como objetivo gerir o negócio de sua família no futuro: “Estou num processo de treinamento. É uma missão que eu tenho, de trabalhar fora de casa até os 30 anos, sem ambição financeira, só visando o crescimento e o aprendizado”.


"Isso dá tranquilidade para a família, pois conhecemos o ambiente profissional onde nossos filhos estão inseridos”
Dulce Teresinha Barros Mendes de Morais, mãe da advogada Laís Morais


Não perca
Diversas empresas estão com processo de seleção aberto para programas de trainee. Confira:


Ambev
Inscrições até amanhã
www.traineeambev.com.br

Redecard
Inscrições até 30 de setembro
www.redecard.com.br

Camargo Corrêa

Inscrições até 1º de outubro
www.jovensprofissionais. construtoracamargocorrea. com.br

Cyrela
Inscrições até 24 de setembro
www.jovensempreendedores cyrela.com.br

Rodobens
Inscrições até 15 de setembro
wwww.rodobens.com.br/trainee/ trainee2013

Philip Morris

Inscrições até 28 de setembro
www.traineephilipmorris.com.br.

Votorantim
Inscrições até 17 de setembro
www.eunavotorantim.com.br

Grupo CCR
Inscrições até 16 de setembro
www.ciadetalentos.com.br/ccr

BDO Brazil
Inscrições até 28 de setembro
www.bdobrazil.com.br

Citi
Inscrições até 20 de setembro
www.citibank.com.br/trainees 2013

Bosch
Inscrições até 23 de setembro
www.bosch.com.br/programas

Embraco

Inscrições até 1º de outubro
trainee.embraco.com

Tecnisa
Inscrições até 30 de setembro
www.traineetecnisa.com.br

Orica
Inscrições até 1º de setembro
www.ciadetalentos.com.br/orica


Lojas Americanas

Inscrições até 30 de setembro
www.companhiadetalentos.com.br/lasa 

 

B2W
Incrições até 30 de setembro
http://www.ciadetalentos.com.br/b2w/

Tags:

publicidade

publicidade