SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

UnB recebe alunos de 19 países para intercâmbio estudantil

Jovens vindos de lugares como Alemanha, Espanha, Coréia do Sul, Suriname e República Tcheca escolheram a Universidade de Brasília para estudar matérias que vão da Música à Engenharia Mecatrônica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/08/2013 11:32 / atualizado em 13/08/2013 11:39

 

 

 

 

 

 

 

O auditório do prédio da Reitoria ficou cheio, na manhã desta segunda-feira, com a presença de 60 alunos estrangeiros que chegaram à Universidade de Brasília para realizar intercâmbio estudantil. Vindos de 19 países, eles foram recebidos pela equipe da Assessoria de Assuntos Internacionais (INT) e pelo reitor, Ivan Camargo, que falou aos novos estudantes sobre a importância de aproveitar ao máximo a experiência de vivenciar outra cultura. “Esse processo de ir para outro país é muito enriquecedor. Aproveitem bastante”.

Para isso, segundo o reitor, é indispensável exercitar o português, cujo aprendizado pode não ser fácil. “Falo por experiência própria. Ninguém se iluda, o intercâmbio é sempre difícil, precisa de dedicação, mas os resultados certamente são muito positivos”, completou, lembrando sua própria trajetória. “Eu, que passei muitos anos fora do Brasil, sei que a gente passa a ver o nosso país com um novo enfoque”, contou ele, que também desejou boa sorte aos alunos que estudarão pelos próximos meses na Universidade de Brasília.

Alguns estudantes escolheram o Brasil por ouvirem relatos de experiências positivas no país. “Nosso pai veio há uns dois anos para cá e falou muitas coisas das cidades, das pessoas. Também soubemos que Oscar Niemeyer desenhou a cidade de Brasília e como nós estamos estudando Arquitetura, essa foi uma das coisas que nos fizeram vir para a UnB”, contam os mexicanos Alejandro e Eduardo Galván Avilés, gêmeos de 21 anos que estudam na Faculdade de Habitat da Universidade Autónoma de São Luis Potosí, no México.

Outra jovem que veio ao Brasil por influência do pai foi a sul-coreana Eunjae Kim, de 21 anos. Estudante de Administração na Hankuk University of Foreign Studies, em Seoul, a capital do país, Kim acredita que a importância estratégica do Brasil no cenário mundial pode ser um diferencial em seu currículo. “Meu pai recomendou o Brasil porque o país tem um grande potencial e como não há pessoas que falam português no meu país, ele pensou que se eu estudasse aqui seria muito bom no futuro”, explicou Kim, que pretende cursar disciplinas voltadas ao idioma e cultura brasileiros. “Espero fazer amigos e aprender português bem”, disse a jovem.

Já a estudante de Jornalismo María Olábarri, da Universidade de Navarra, em Bilbao, na Espanha, ainda não está segura sobre as disciplinas que irá cursar na UnB, mas tem muita curiosidade pela cidade de Brasília. “Gosto muito de arquitetura”, conta.

Em meio ao burburinho em vários idiomas, os jovens se esforçaram em se apresentar ou pronunciar algumas palavras em português, recorrendo ao inglês ou espanhol quando a comunicação ficava mais difícil. No fim da manhã já era possível ver alguns saírem combinando o local de almoço com os novos colegas de faculdade.

Emília Silberstein/UnB Agência
 

ESTADA - Os alunos realizarão o intercâmbio no período de seis meses a um ano, de acordo com o tipo de convênio e interesses estabelecidos entre as universidades envolvidas. A UnB oferecerá, gratuitamente, curso de português para todos os estudantes estrangeiros do programa. “Já estão matriculados. A não ser que tenham estudado o idioma e justifiquem, aí estão dispensados de fazer”, conta Leonardo Souza, coordenador de intercâmbios da INT.

Além disso, serão disponibilizados cinco apartamentos, num total de 28 moradias para os intercambistas. “São apartamentos da reserva técnica do reitor que ele autorizou utilizar para a internacionalização”, explica Leonardo.  “Infelizmente, não temos moradia para todos”, justifica. Uma alternativa é a parceria com estudantes brasileiros, também conhecidos como padrinhos, que ficam responsáveis por hospedar os alunos estrangeiros. “Queria deixar um agradecimento aos padrinhos e madrinhas, mesmo que informais, porque o apoio de vocês é essencial para que a estadia dos estudantes internacionais seja mais agradável. Vocês têm todo o nosso reconhecimento”, disse a diretora do INT, Ana Flávia Granja e Barros.

A reunião com os novos alunos também serviu para que fossem apresentados à equipe do INT, responsável por auxiliá-los durante a estadia na universidade. Foi ainda uma oportunidade de transmitir algumas informações e explicar o funcionamento da UnB, o calendário acadêmico e o sistema de aula presencial, que requer no mínimo 75% de participação para aprovação. “Se tiverem a oportunidade, eu aconselho visitar alguns pontos do Brasil. Mas claro, levando em consideração que o primeiro objetivo do intercâmbio é o estudo”, avisou Leonardo.

Os estudantes de graduação e pós-graduação que acabaram de chegar ao Brasil escolheram a UnB para cursar disciplinas das áreas de Geociência, Economia, Direito, Ciências Ambientais, Administração, Agronomia, Relações Internacionais, Engenharia Civil, Antropologia. Desenho Industrial, Ciência da Computação, Jornalismo, Filosofia, Pedagogia, Música, Letras, Artes Visuais, Ciência Política, Ciências Ambientais, Desenho Industrial, Engenharia Mecatrônica, Farmácia, Educação Física, Sociologia e Arquitetura e Urbanismo. 

Confira abaixo alguns dos países conveniados com a Universidade de Brasília para realizar intercâmbio estudantil:

 

UnB Agência

Tags:

publicidade

publicidade