Inep divulga relação de servidores e professores para a capacitação da Rede

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/08/2017 11:25

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, nesta sexta-feira(25) a relação dos servidores públicos do Poder Executivo Federal e professores da rede pública estadual e municipal aptos a participar da capacitação da Rede Nacional de Certificadores (RNC) do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. Mais de 60 mil inscritos poderão fazer o curso a distância, mas só aqueles que conseguirem aproveitamento mínimo no curso poderão atuar na aplicação das provas, em 5 e 12 de novembro. A lista com os candidatos aptos está disponível no endereço certificadores.inep.gov.br.


A capacitação será dividida em quatro turmas, da seguinte forma:

Turma Piloto – De 4 a 14 de setembro
Turma A – Entre 16 a 25 de setembro
Turma B – Entre 27 de setembro a 8 de outubro
Turma Resgate – Entre 9 a 18 de outubro


RNC – Os certificadores são representantes do Inep no local de aplicação, sendo responsáveis por conferir vários procedimentos. Foram selecionados os candidatos que cumpriram os critérios estabelecidos pelo Inep: servidores públicos do Poder Executivo Federal que não estejam em gozo de licenças, afastamentos legais ou inativos; e docentes das redes públicas estaduais e municipais efetivos e devidamente registrados no Censo Escolar. A formação mínima exigida foi o Ensino Médio. Os certificadores também não podiam estar inscritos no Enem 2017, nem ter parentes de até 3ª grau fazendo o Exame este ano.

Para atuar na RNC é indispensável ter smartphone ou tablet com acesso à Internet móvel, com especificações técnicas detalhadas no edital, para acessar o aplicativo que permite o contato dos certificadores com o Inep. Os certificadores precisam, ainda, ter computador com acesso à Internet para realização do curso de capacitação. A remuneração é de R$318 por dia, com 12 horas de trabalho.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.