Estudantes da Unip prestam serviços gratuitos a moradores do DF e Entorno

Em 2016, 74 mil pessoa foram atendidas em clínicas de saúde, centro psicológico e escritório jurídico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/09/2017 06:00 / atualizado em 12/09/2017 16:14

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press


O aprendizado aliado ao papel social do ambiente universitário tem transformado a vida da comunidade que procura serviços gratuitos em uma das instituições particulares de ensino de Brasília. Cerca de 74 mil moradores do DF e do Entorno foram atendidos gratuitamente por estudantes de graduação da Universidade Paulista (Unip) em 2016 em clínicas de saúde, centro psicológico e escritório jurídico. De odontologia a nutrição, passando por enfermagem, psicologia, fisioterapia e direito, a meta é auxiliar aqueles que não podem pagar por esses serviços.


Leia mais notícias no Eu, Estudante

Ildetes Gomes do Nascimento, 65 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) em abril de 2014 e ficou com sequelas no braço e na perna, o que dificultou os movimentos nesses membros. Quando o problema de saúde surgiu, ela trabalhava em uma loja e fazia fisioterapia em casa, graças ao plano de saúde vinculado à empresa. Com a aposentadoria por invalidez, no entanto, ela perdeu o convênio e passou a depender do tratamento na rede pública de saúde, até que encontrou o projeto da instituição de ensino. “Deixei meu nome na lista de espera e, depois de pouco tempo, fui chamada”, afirma.

A aposentada frequenta a clínica há cerca de dois anos, duas vezes por semana. “Eu estou muito melhor com a fisioterapia, recuperando meus movimentos. Ando sozinha, faço minhas coisas e não posso parar. Quero evoluir mais”, ressalta. “O atendimento é excelente, eu me sinto bem, pois todos são pessoas interessadas em ajudar”, completa.

O tratamento dentário oferecido pela clínica odontológica fez a felicidade da estudante de educação física da Universidade de Brasília (UnB) Rayssa Ximenes, 24. Ela não se sentia bem com seu sorriso e decidiu procurar ajuda especializada para a retirado do excesso de gengiva. Por indicação de uma professora, descobriu a clínica da Unip. “A gengivoplastia em clínica particular é muito cara, e fiquei feliz de poder fazer aqui, sem custo algum”, comemora ela, que passou pelo procedimento na parte superior dos dentes. Rayssa não vê a hora de completar o tratamento, nos dentes inferiores. “Eu adorei tudo, ficou muito bom e estou com a minha autoestima lá em cima”, enfatiza.

Integração

 
"O nosso intuito é prestar atendimento gratuito à comunidade, desenvolvendo interação e ajuda à vizinhança”, explica o professor Pedro Paulo de Morais, diretor do câmpus de Brasília da Unip, na 913 Sul. A assistência ao público visa a aplicação, na prática, do que vêm aprendendo os universitários da instituição, supervisionados pelos professores e coordenadores, que auxiliam nos procedimentos e tiram dúvidas. As clínicas fazem parte dos cursos das respectivas especialidades.

Natália Cristina Santos, 23 anos, é estudante do último semestre de odontologia da Unip e participa da clínica de odontologia há mais de três anos. Insegura no início das práticas, ela consegue perceber a evolução. “No último semestre, mudou muito. Nós acompanhamos os pacientes em todos os aspectos de vida, o que ajuda a nos aproximar deles”, diz. O ensino atrelado à prática é fundamental para cada curso. “A experiência prática na universidade é muito produtiva, temos que trabalhar em todas as especialidades e atender ao público, o que é um diferencial, além de recuperarmos o sorriso das pessoas”, destaca.

Papel social

A clínica odontológica conta atualmente com 25 professores, que auxiliam os alunos da graduação. Welington Pereira Júnior é professor de endodontia há cinco anos e ressalta a necessidade da extensão, uma das partes do tripé essencial da educação universitária, que conta ainda com ensino e pesquisa. “Ela é inerente à profissão, e sua ampliação tem um papel importante para o público externo, pois atende pessoas carentes e de nível socioeconômico baixo. Além disso, contribui para o aprendizado do aluno”, relata.
 
O conhecimento adquirido é visto com bons olhos pelo mercado de trabalho. “Aprendi a interagir e a conversar melhor com os pacientes. Já saímos com um pé no mercado de trabalho”, observa Fellipy Mendonça de Matos, 23, estudante do 8° semestre de odontologia. O aluno faz uma primeira avaliação do paciente e, em seguida, o professor o avalia, para dar a orientação necessária. No fim do procedimento, ele confere se tudo foi feito corretamente. “No começo, senti dificuldades por não ter destreza, mas depois, com a prática, eu me aperfeiçoei”, finaliza o estudante.
 

Para saber mais

 
Odontologia
Serviços: restaurações, tratamentos 
de gengiva e canal são gratuitos.
Prótese e implante têm custos
relativos aos materiais, e panorâmica o custo de R$20.
Atendimento: de segunda a 
sexta-feira, das 8h às 18h
Contato: 2192-7080

Nutrição
Serviço: acompanhamento depois da dieta passada
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
Contato: 2192-7017

Enfermagem
Serviço: triagem, glicemia capilar, curativos, papanicolau e palestras educativas
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h
Contato: 2192-7018
 
* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer.