publicidade

Premiê iraquiano visita Ramadi, controlada em parte por rebeldes

Os ataques contra o exército e a polícia são frequentes neste país, e são normalmente cometidos por insurgentes sunitas ligados à rede Al-Qaeda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 15/02/2014 10:51

France Presse

Ramadi - O primeiro-ministro iraquiano Nuri al Maliki visitou neste sábado Ramadi, cidade situada a 100 km de Bagdá, onde as forças governamentais tentam retomar o controle de alguns bairros em mãos da insurgência.

Ahmed Saad / POOL


Maliki, um xiita, deve supervisionar a evolução das operações militares nesta cidade, capital da província majoritariamente sunita de Al Anbar, e reunir-se com chefes tribais, indicou uma fonte do governo que não quis ser identificada.

Os insurgentes, em especial, os jihadistas do Estado Islâmico no Iraque e o Levante (EIIL), tomaram o controle, no início de janeiro, da cidade de Fallujah e de vários bairros de Ramadi. Desde então, o exército e a polícia, apoiados por tribos pró-governamentais, tentam retomar esses setores.



Os combates levaram mais de 370 mil pessoas a fugir de Al Anbar, o que representa o êxodo mais importante no Iraque em sete anos, segundo a ONU.

Além disso, dezesseis policiais e soldados morreram em ataques cometidos durante a madrugada deste sábado no Iraque, informaram fontes de segurança.

Os ataques contra o exército e a polícia são frequentes neste país, e são normalmente cometidos por insurgentes sunitas ligados à rede Al-Qaeda.

Leia mais notícias em Cidades

O Iraque vive desde o início de 2013 a pior onda de violência desde os confrontos religiosos de 2006-2007. Segundo o governo, mais de mil pessoas morreram no mês de janeiro.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade