Mais de 50.000 crianças correm risco de morte no Sudão do Sul, denuncia ONU

Guerra civil, que já dura seis meses, deixa rastro de doença e fome

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/06/2014 09:57

France Presse

Juba - Mais de 50 mil crianças no Sudão do Sul estão em risco de morte por doenças e fome, alertou a ONU que pediu quase um bilhão de dólares para ajudar as vítimas da guerra civil que já dura seis meses. No conflito morreram milhares de pessoas, há 1,5 milhão de deslocados e ONGs alertam para o risco de fome.

"As consequências podem ser dramáticas: 50.000 crianças poderiam morrer em um ano, se não receberem ajuda", declarou o responsável da ONU para o Sudão do Sul, Toby Lanzer, no lançamento do plano de ajuda a 3,8 milhões de pessoas "afetadas pela fome, violência e doenças".

O presidente Salva Kiir e seu adversário Riek Machar se comprometeram esta semana a estabelecer um cessar-fogo. Analistas estão pessimistas quanto a aplicação real da trégua, e não acreditam que eles realmente querem acabar com o conflito através de negociações.

Leia mais notícias em Mundo


"Apesar do cessar-fogo, o conflito já afetou milhões de pessoas", disse Lanzer, acrescentando que as agências humanitárias precisam de pelo menos 740 milhões de euros.

"Agora que as chuvas começaram, as condições no Sudão do Sul estão se deteriorando a cada dia. As pessoas estão vivendo literalmente na lama", ressaltou Lanzer.

"Doenças como a cólera e a malária apareceram e as crianças estão desnutridas. Milhões de pessoas precisam desesperadamente de cuidados de saúde, alimentação, água potável, saneamento e abrigo para viver o resto do ano", disse o representante da ONU.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.