Família de menino sírio afogado queria imigrar para o Canadá

A foto do menino afogado gerou comoção no Canadá e na Europa, confrontada a uma pressão crescente para gerenciar a chegada de milhares de refugiados ao continente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/09/2015 10:02

France Presse

Ottawa, Canadá - A família do menino que morreu afogado em uma praia depois do naufrágio de uma embarcação de refugiados sírios, e cuja foto comoveu o mundo, queria imigrar para o Canadá, informou sua tia, segundo o jornal Ottawa Citizen. 

Teema Kurdi, que reside em Vancouver (oeste) desde que imigrou para o Canadá há 20 anos, disse que entrou com um pedido de imigração na condição de refugiado para seu irmão, sua cunhada e seus dois filhos, de 3 e 5 anos. "Tentei servir de avalista, com ajuda de amigos e vizinhos, para as garantias bancárias, mas não conseguimos", explicou Kurdi ao jornal.

Leia mais notícias em Mundo

O serviço de imigração canadense rejeitou seu pedido de refúgio em junho, segundo Kurdi, devido à complexidade dos pedidos de asilo procedentes da Turquia. Consultado a respeito, o secretário de Imigração canadense, Chris Alexander, afirmou que o número de refugiados aumenta rapidamente e que cerca de 2.500 refugiados sírios foram acolhidos pelo Canadá este ano. Depois de ter seu pedido de imigração negado, a família tentou então fugir por mar, e sua embarcação acabou naufrando.

A foto de um dos meninos afogado em uma praia da Turquia gerou comoção no Canadá e na Europa, confrontada a uma pressão crescente para gerenciar a chegada de milhares de refugiados ao continente. As duas embarcações que naufragaram tinham saído da cidade turca de Bodrum com destino à ilha grega de Kos, porta de entrada da União Europeia.

A guarda costeira turca foi alertada por gritos de passageiros dos barcos e conseguiram resgatar os corpos de 12 pessoas, entre eles o de um menino pequeno que jazia de bruços na praia. No naufrágio morreram cinco menores e sete adultos, enquanto 15 pessoas puderam ser resgatadas.

A fotografia de um agente turco carregando o menino foi divulgada por meios de comunicação e pelas redes sociais com a hashtag #KiyiyaVuranInsanlik (A humanidade é um fracasso, em turco). Um dos agentes do resgate disse à AFP que as autoridades turcas ouviram o depoimento da família do menino e acreditam que todos procediam da cidade síria de Kobane.

Meios de comunicação turcos reportaram que o menino se chamava Aylan Kurdi e que tinha três anos. Jornais de toda a Europa repercutiram a comoção provocada pela imagem e a foto estampou a primeira
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.