SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Alemanha anuncia detenção de sírio suspeito de preparar atentado

O homem de 22 anos estava no apartamento de um sírio que havia abordado na estação de trens de Leipzig e ao qual havia solicitado abrigo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2016 07:15 / atualizado em 10/10/2016 23:22

France Presse

Hendrik Schmidt/AFP
 

 

A Polícia deteve nesta segunda-feira (10/10) o fugitivo sírio suspeito de preparar um atentado terrorista, após dois dias de uma grande operação de busca que deixou a Alemanha em suspense e terminou com a denúncia de três compatriotas que chegaram a abrigá-lo.

Jaber Albakr, de 22 anos, foi detido graças à ajuda de três sírios que tinham-no abrigado, pensando se tratar de um refugiado passando necessidade. Ao reconhecê-lo, entregaram-no à Polícia.

"Tivemos sucesso. O suspeito de terrorismo (Jaber) Albakr foi detido à noite em Leipzig", na Saxônia, leste do país, informou a Polícia no Twitter.

Albakr havia se alojado no apartamento de cidadãos sírios, com os quais entrou em contato usando um fórum para refugiados.

Seus compatriotas alojaram-no, mas, ao reconhecê-lo em uma página do Facebook como o foragido mais procurado, atacaram-no, tiraram uma foto do homem algemado e um deles mostrou a imagem à Polícia.

Finalmente, as forças especiais de intervenção encontraram Albakr amarrado no apartamento em Leipzig.

"Ele tentou nos subornar, mas dissemos que podia nos dar o dinheiro que quisesse, que não íamos libertá-lo", contou um dos sírios à emissora de televisão RTL, sem mostrar o rosto por medo de represálias.

"Fiquei furioso com ele, não podia aceitar algo assim, especialmente na Alemanha, um país que nos abriu as portas", afirmou.

 

Leia mais notícias em Mundo

 

O chefe do governo local, Stanislaw Tillich, qualificou o comportamento de "corajoso" e de "responsável". Nesta segunda-feira, a chanceler Angela Merkel ligou para o sírio que denunciou o foragido à Polícia para cumprimentá-lo.

Leipzig fica perto de Chemnitz (260 km ao sul de Berlim), onde morava Albakr. Lá, a Polícia havia encontrado explosivos altamente perigosos.

"Tudo indica que o suspeito tinha a intenção de cometer um atentado islamita", afirmou a Promotoria.

O alvo poderia ser um aeroporto, ou uma plataforma de transporte, especula a imprensa alemã.

Jaber Albakr estava em contato com o grupo extremista Estado Islâmico (EI) pela Internet, noticiou o jornal alemão Süddeutsche Zeitung.

A detenção aconteceu à 1h desta segunda-feira (20h de domingo, horário de Brasília), após uma gigantesca operação de busca de 48 horas.

Tudo começou na sexta-feira, quando o Serviço de Inteligência interna da Alemanha solicitou à Polícia de Chemnitz a detenção de Albakr por conta do risco iminente de atentado.

A Polícia tentou realizar a detenção na manhã de sábado, mas o suspeito já havia escapado.

O explosivo preferido do EI

Na casa do suspeito, a Polícia alemã encontrou 500 gramas de TATP (peróxido de acetona), a substância explosiva preferida dos extremistas do EI.

O TATP foi utilizado pelos homens-bomba dos atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris (130 mortos), e de 22 de março, em Bruxelas (32 mortos).

A pessoa de nacionalidade síria que tem o nome no contrato de aluguel do apartamento de Chemnitz também foi indiciada por cumplicidade na preparação de um atentado e foi detida.

No domingo, as forças especiais da Polícia anunciaram a detenção de outro suspeito, que está sendo interrogado.

Albakr obteve o status de refugiado em junho de 2015, depois de entrar ilegalmente na Alemanha em fevereiro, vários meses antes da chegada maciça de refugiados, no outono.

Este caso de grande repercussão reativou o debate sobre o controle dos refugiados na Alemanha e a política de abertura iniciada pela chanceler Angela Merkel em 2015.

No ano passado, a Alemanha acolheu 890.000 refugiados, um número recorde.

"Os Serviços Secretos devem acessar os dados" sobre os refugiados, coisa que não acontece atualmente, declarou Michael Kretschmer, vice-presidente do grupo parlamentar da União Democrática Cristã (CDU), o partido de Merkel.

"Os Serviços de Inteligência estrangeiros e domésticos devem estar mais envolvidos nos interrogatórios e nas verificações dos imigrantes", disse um responsável da União Social Cristã (CSU), o braço bávaro da CDU.

Em julho, a Alemanha sofreu dois atentados cometidos por refugiados, cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Os atentados preocuparam parte da opinião pública alemã a respeito dos solicitantes de asilo, situação que provocou várias derrotas eleitorais do partido de Merkel.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade