SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Governo colombiano e ELN iniciam negociações de paz em 27 de outubro

Antes do início da etapa de negociações, o Exército de Libertação Nacional (ELN) - segunda guerrilha colombiana depois das Farc - comprometeu-se a libertar dois reféns

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2016 23:18

France Presse

O governo colombiano e a guerrilha do ELN iniciarão negociações de paz no próximo 27 de outubro, em Quito, para por fim a um conflito armado de mais de meio século, anunciaram as partes nesta segunda-feira (10/10), em Caracas.

"As delegações do governo nacional e do ELN acertaram (...) instalar no dia 27 de outubro, em Quito, Equador, a mesa pública de conversações", revela a declaração lida na Casa Amarela, sede da chancelaria venezuelana.

Antes do início da etapa de negociações, o Exército de Libertação Nacional (ELN) - segunda guerrilha colombiana depois das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) - comprometeu-se a libertar dois reféns.

"Além disso, cada uma das partes fará, a partir da data, outras ações e dinâmicas humanitárias para criar um ambiente favorável à paz", acrescentou o comunicado assinado por quatro delegados do governo e cinco do ELN.

Leia mais notícias em Mundo


Em Bogotá, o presidente colombiano, ganhador do Nobel da Paz este ano, Juan Manuel Santos, disse que com a instalação de negociações com o ELN a paz no país "será completa".

"Estamos buscando há cerca de três anos uma negociação com a guerrilha do ELN para acabar também com o conflito armado com eles (...) Agora que avançamos com o ELN será completa. Será uma paz completa!" - afirmou o presidente em uma declaração à TV da Casa de Nariño, sede do Executivo.

Horas antes do anúncio das negociações, o ELN entregou ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) um homem identificado como Nelson Alarcón, que mantinha sequestrado há três meses. A liberação ocorreu em uma zona rural de Fortul, no departamento (estado) de Arauca, na fronteira leste com a Venezuela.

Ele foi o terceiro civil libertado pelo ELN nas últimas duas semanas.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade