SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Governo indiano tenta incluir terrorismo na agenda da cúpula dos Brics

País tem sido alvo de ataques. Um ataque recente de militantes que supostamente entraram no território pela fronteira com o Paquistão provocou a morte de 19 soldados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2016 11:43

Agência Estado

O Estado de Goa, na Índia, foi transformado em uma zona de alta segurança neste sábado para a Cúpula dos Brics. Milhares de soldados, membros da guarda costeira e policiais faziam a segurança dos locais onde os líderes de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul se reúnem neste fim de semana.

A Índia está tentando incluir o terrorismo na agenda da cúpula, após o recente assassinato de 19 soldados indianos por militantes que supostamente entraram no país pela fronteira com o Paquistão. O terrorismo foi um dos principais assuntos das conversas entre o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e o presidente russo, Vladimir Putin, neste sábado.

Modi disse que a posição da Rússia em relação ao combate ao terrorismo é a mesma que a da Índia. Em comunicado conjunto divulgado após as conversas, Modi e Putin ressaltaram a necessidade de tolerância zero ao lidar com terroristas e seus apoiadores.

Segundo fontes, a Índia estaria pressionando por uma forte declaração contra o terrorismo ao fim da cúpula. Mas não se sabe ainda se a China concordaria com uma condenação de países que servem de refúgio para grupos terroristas, já que isso poderia ser interpretado como uma referência ao Paquistão.

Há muito tempo, a Índia acusa o Paquistão de permitir que militantes operem em seu território, mas Islamabad nega as alegações. Modi deve retomar o assunto mais tarde, quando se reúne com o presidente da China, Xi Jinping.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade