SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estados Unidos detectam lançamento fracassado de míssil da Coreia do Norte

Lançamento ocorre em momento em que o Conselho de Segurança da ONU debate novas sanções contra o país depois do quinto teste nuclear. Governo norte-coreano está submetido a sanções internacionais desde o primeiro teste, em 2006

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2016 12:24

O exército dos Estados Unidos anunciou ter detectado no sábado (15/10) um lançamento fracasso de um poderoso míssil norte-coreano de alcance intermediário, capaz de chegar às bases americanas do Pacífico norte. As resoluções da ONU proíbem a Coreia do Norte de possui qualquer programa balístico e nuclear.

Este lançamento acontece num momento em que o Conselho de Segurança da ONU debate novas sanções contra Pyongyang depois de seu quinto teste nuclear de 9 de setembro. A Coreia do Norte está submetida a várias séries de sanções internacionais desde seu primeiro teste em 2006, que foram reforçadas em março passado.

No entanto, isso não dissuadiu seu dirigente Kim Jong-Un de ordenar que o país prossiga sem pausa em seus programas militares. "Os sistemas do Centro de Comando Estratégico americano (US Stratcom) detectaram o que seria um lançamento fracassado de um míssil norte-coreano às 03H33 GMT de sábado", indica um comunicado.

O míssil lançado pela Coreia do Norte "não representa uma ameaça para a América do Norte", segundo a mesma fonte, o que o identificou como um míssil balístico de alcance intermediário Musudan, que já foi testado sete vezes por Pyongyang. O míssil Musudan tem teoricamente um alcance entre 2.500 e 4.000 km, por isso poderia alcançar a Coreia do Sul ou o Japão, e também a base ameriana da ilha de Guam, no Pacífico norte.

Provocação

O porta-voz do Pentágono, Gary Ross, condenou o que considerou uma clara violação das resoluções da ONU e insistiu que Pyongyang se abstenha de realizar qualquer outra ação que possa aumentar a já elevada tensão na península da Coreia. "Estamos preparados para nos defender e defender nossos aliados de qualquer ataque ou provocação", acrescentou.

A imprensa estatal norte-corana não mencionaram este disparo, mas a agência oficial KCNA citou uma declaração do Ministério das Relações Exteriores na qual adverte os Estados Unidos que "pagarão um alto tributo" por sua atitude hostil, que "fere a dignidade do comando supremo norte-coreano".

O presidente Barack Obama "compreenderá o preço a pagar antes de deixar a Casa Branca", ameaçou um porta-voz ministerial. Por sua vez, o ministério da Defesa de Seul confirmou o disparo realizado da zona de Kusong, no noroeste da Coreia do Norte. Depois de cinco lançamentos fracassados, a Coreia do Norte lançou um Musudan em junho que voou 400 km até cair no mar do Japão.

Este lançamento foi elogiado pelo líder norte-coreano Kim Jong-Un, que o classificou de sucesso absoluto e prova da capacidade da Coreia do Norte para atacar bases americanas no Pacífico. Os analistas militares americanos acreditam que um teste bem sucedido do Musudan ajudaria a Coreia do Norte a desenvolver um míssil balístico intercontinental capaz de alcançar o território dos Estados Unidos até 2020.

Sistema antimísseis

Este lançamento do Musudan é o primeiro que a Coreia do Norte realiza desde que Seul e Washington acertaram em julho passado posicionar um sofisticado sistema antimísseis na Coreia do Sul para proteger o país da ameaça nuclear norte-coreana.

Pyongyang respondeu então ameaçando realizar ações de represália contra o novo sistema, condenado igualmente pela China, principal aliado norte-coreano.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.