SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Turquia não permanecerá à margem de operação em Mossul, diz Edorgan

A Turquia se opõe a qualquer participação nesta ofensiva de grupos xiitas ou grupos armados curdos filiados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que considera terrorista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2016 09:29

Istambul, Turquia - O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira (17/10) que a Turquia terá um papel na ofensiva iraquiana apoiada pelos Estados Unidos para recuperar a cidade de Mossul dos extremistas, e considerou impensável que Ancara permaneça à margem. "Estaremos na operação e estaremos na mesa. De nenhuma forma vamos ficar fora", declarou em um discurso televisionado.

"Temos irmãos em Mossul: árabes, turcomanos, curdos, são nossos irmãos", acrescentou Erdogan. A Turquia insiste em estar associada à operação para recuperar a cidade do norte do Iraque nas mãos do grupo Estado Islâmico, cujo início foi anunciado durante a noite pelo primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi. As relações entre Ancara e Bagdá ficaram tensas nos últimos dias enquanto parecia que a Turquia era mantida à margem dos intensos preparativos para a ofensiva de Mossul.

Erdogan ameaçou na sexta-feira recorrer a um "plano B" se o exército turco não estivesse associado a esta ofensiva, sem dar, no entanto, detalhes sobre as eventuais medidas. A Turquia se opõe a qualquer participação nesta ofensiva de grupos xiitas ou grupos armados curdos filiados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que considera terrorista.

O governo iraquiano denunciou, por sua vez, a presença de centenas de militares turcos desde dezembro de 2015 em uma base em Bachiqa, na região de Mossul, para treinar voluntários sunitas buscando uma reconquista do reduto iraquiano do EI. "Que ninguém espere que nós deixemos Bachiqa", respondeu Erdogan nesta segunda-feira.

Leia mais notícias em Mundo

Em uma aparente tentativa de reduzir a tensão, Ancara enviou a Bagdá uma delegação dirigida pelo subsecretário de Relações Exteriores Umit Yalçin, para falar da presença militar turca em Bachiqa e da ofensiva de Mossul, segundo a agência de notícias pró-governamental Anatolia.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
filomena
filomena - 17 de Outubro às 15:01
Erdomerda esta invading pais alheio, o president do Iraque ja' o mandou se retirar mas ele nao obedece.